Quais são os riscos da presença de amianto em cosméticos?

Os produtos cosméticos contêm ingredientes que podem ser prejudiciais à saúde. Infelizmente, estas substâncias tóxicas incluem o amianto, um mineral que predispõe a doenças graves.
Quais são os riscos da presença de amianto em cosméticos?

Última atualização: 24 Outubro, 2021

Os produtos cosméticos utilizam minerais naturais, como o talco, para obter as características ideais que permitem seu uso. No entanto, foi demonstrado que o talco usado nesses elementos pode estar contaminado com fibras de amianto. A presença de amianto em cosméticos representa um risco para a saúde.

A contaminação de produtos à base de talco com amianto não é um tópico novo. As primeiras descobertas dessa substância tóxica em produtos de beleza datam da década de 1970.

As empresas têm enfrentado problemas legais devido à contaminação de seus cosméticos com amianto. Na verdade, a Johnson & Johnson teve que pagar US $ 2 milhões a uma mulher em 2020 que alegou que o talco de bebê causava câncer no ovário. Quer saber mais sobre o amianto em cosméticos e seus riscos? Continue lendo!

O que são o talco e o amianto?

O talco é um mineral natural conhecido como silicato de magnésio, de cor branca a cinza-azulada. Este mineral é muito utilizado na indústria, sendo útil na fabricação de cerâmicas, gesso, tintas e alguns produtos cosméticos. O uso de talco sozinho é seguro; o problema ocorre quando ele está contaminado com fibras de amianto.

O amianto é um mineral composto por fibras microscópicas moles e elásticas. As propriedades desta substância a tornam uma matéria-prima ideal para muitos produtos, especialmente materiais de construção. No entanto, alguns estudos mostram que a inalação de fibras de amianto aumenta a probabilidade de desenvolver doenças graves.

Vários governos em todo o mundo proibiram o uso de amianto na fabricação de materiais de construção e produtos de vários tipos. O objetivo dessa medida é cuidar da saúde da população, já que doenças causadas por este mineral podem ser fatais.

Como o talco é usado na maquiagem?

O talco é um ingrediente comum em diversos produtos, sendo amplamente utilizado em itens de higiene pessoal devido à sua suavidade. O uso de talco em maquiagens e cosméticos é seguro, desde que não sejam encontradas fibras de amianto. Este mineral não irrita a pele e geralmente não causa efeitos nocivos óbvios.

A lista de produtos de maquiagem que utilizam talco em sua composição é muito ampla. Pós faciais, blushes, sombras e bases são alguns dos cosméticos que empregam este composto. A adição do mineral nos produtos ajuda a dar textura macia e a absorver a umidade.

Outros usos do talco na maquiagem são os seguintes:

  • Adiciona cor aos produtos.
  • Melhora a aparência e a textura.
  • Ajuda a corrigir a maquiagem na pele.
  • Evita descamar a maquiagem.

O silicato de magnésio também é o principal componente do talco em pó usado em bebês. Esses produtos são relativamente seguros para o uso em todas as idades. No entanto, o mineral pode conter outros compostos que causam alergias.

Talco
O talco é um produto relativamente seguro. O problema é a sua contaminação com fibras de amianto.

Possíveis riscos do amianto em cosméticos

O problema do amianto nos cosméticos ocorre devido à falta de regulamentação para a purificação do talco. A Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos tenta impor medidas únicas para a purificação do talco desde 1977. No entanto, as empresas optaram por aplicar outros recursos, propostos por diferentes associações.

Empresas que utilizam talco em seus produtos purificam o mineral, mas estudos mostram que o método não realiza a tarefa de forma adequada. As técnicas utilizadas não são capazes de detectar baixos níveis de contaminação, de modo que os cosméticos apresentam níveis indetectáveis de amianto, em vez de serem 100% isentos do mineral.

A presença de amianto em cosméticos pode favorecer o aparecimento de doenças. Todas as patologias causadas por essa substância têm muitos anos de latência e aparecem por inalação. Dentre as principais que podem se desenvolver devido à exposição às fibras, destacam-se as seguintes:

  • Asbestose
  • Câncer de pulmão
  • Placas pleurais
  • Mesotelioma maligno
  • Câncer de ovário

Recomendações de uso

A melhor recomendação para evitar a inalação do amianto contido em cosméticos é usar produtos sem talco. Várias marcas, como L’Oreal, Chanel e Revlon, têm cosméticos em que o talco não é usado na fabricação.

Outras marcas que não utilizam talco na fabricação de seus cosméticos são as seguintes:

  • Pacífico.
  • Shea Moisture.
  • Smashbox.
  • Ecco Bella.
  • Juice Beauty.

Também é importante reconhecer os outros nomes desse mineral, como pó de talco, talco cosmético ou silicato de magnésio. Desta forma, produtos que o contenham podem ser evitados. Além disso, todos os cosméticos orgânicos são isentos de talco e amianto.

As pessoas devem ler os rótulos dos produtos que contêm talco e verificar se são 100% livres de amianto. Hoje não há níveis seguros de exposição a esse mineral tóxico, então 1% de amianto em cosméticos pode ser prejudicial à saúde.

Kit de maquiagem
É imprescindível que os produtos de maquiagem tenham rótulos que especifiquem o uso do talco.

Amianto em cosméticos: uma situação alarmante

A presença de amianto em cosméticos, como as maquiagens infantis, é um problema que remonta a muitos anos. O amianto acaba presente nesses tipos de produtos porque pode estar contido no talco em concentrações muito baixas. A situação é preocupante, já que sua inalação pode gerar o aparecimento de várias doenças, como o mesotelioma e o câncer de ovário.

Felizmente, existem vários produtos disponíveis no mercado que não contêm talco. O uso de cosméticos que não utilizem este mineral em sua fabricação é 100% seguro e não gera efeitos negativos de longo prazo.

Pode interessar a você...
Os cosméticos podem irritar a pele?
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Os cosméticos podem irritar a pele?

Os cosméticos podem irritar significativamente a pele, e o número de dermatites de contato causadas por eles vem aumentando nos últimos anos.



  • Luis G, Hernández C, Rubio C, Frías I et al. Toxicología del asbesto. Cuad Med Forense. 2009; 15(57): 207-213.
  • Rosner D, Markowitz G,Chowkwanyun M. “Nondetected”: The Politics of Measurement of Asbestos in Talc, 1971–1976. Am J Public Health. 2019;109: 969–974.
  • Stoiber T, Fitzgerald S, Leiba N. Asbestos Contamination in Talc-Based Cosmetics: An Invisible Cancer Risk. Environmental Health Insights. 2020;14:117863022097655.
  • Pierce JS, Riordan AS, Miller EW, Gaffney SH, Hollins DM. Evaluation of the presence of asbestos in cosmetic talcum products. Inhal Toxicol. 2017 Aug;29(10):443-456.
  • Fiume MM, Boyer I, Bergfeld WF, Belsito DV, Hill RA, Klaassen CD, Liebler DC, Marks JG Jr, Shank RC, Slaga TJ, Snyder PW, Andersen FA. Safety Assessment of Talc as Used in Cosmetics. Int J Toxicol. 2015 Jul-Aug;34(1 Suppl):66S-129S.
  • Steffen JE, Tran T, Yimam M, Clancy KM, Bird TB, Rigler M, Longo W, Egilman DS. Serous Ovarian Cancer Caused by Exposure to Asbestos and Fibrous Talc in Cosmetic Talc Powders-A Case Series. J Occup Environ Med. 2020 Feb;62(2):e65-e77.