O que são os alimentos prânicos?

Você já ouviu falar de alimentos que aumentam a energia vital? É nisso que se baseia a dieta prânica. Vamos falar mais sobre o assunto a seguir.
O que são os alimentos prânicos?

Última atualização: 18 Agosto, 2021

Os alimentos prânicos positivos ativam a energia vital das pessoas, enquanto os alimentos prânicos negativos têm a capacidade de extinguir as forças vitais. No meio estão os neutros, que não têm efeito em nenhuma direção.

Esta é uma classificação baseada na cultura e prática da ioga na Índia, em que o alimento é consumido para nutrir o corpo, a alma e a mente. Você está interessado em saber mais sobre isso? A seguir, contaremos todos os detalhes sobre essa prática alimentar.

Prana, dieta prânica e alimentação

Em sânscrito, a palavra prana significa “energia primária”, e às vezes também é traduzida como “respiração”, “força vital”, “energia da consciência” ou “poder criativo original”. Na realidade, ela tem vários significados e é difícil de descrever.

Prana é o suporte da vida e é obtido da respiração, do ar, da luz do sol e dos alimentos. Todos esses processos são essenciais para as células se nutrirem, crescerem e se renovarem normalmente. Não é de surpreender que, na maioria dos dialetos indianos, a morte seja conhecida como o prana que deixa o corpo físico.

A maneira de se alimentar de acordo com a prática iogue é apenas mais uma forma de cuidar do corpo, da mente e da alma. O alimento não é valorizado por seus macronutrientes ou pelas calorias que fornece, mas por como afeta e modifica essa energia vital.

A dieta é mais um elo dentro da abordagem holística da saúde que é a ayurveda. Esta é uma das medicinas tradicionais da Índia, onde tem status oficial. Qualquer doença ou desequilíbrio é tratado por meio de alimentos, plantas, óleos e seguindo certas práticas físicas e de meditação.

Classificação dos alimentos prânicos

Como mencionamos, nessa dieta os alimentos são avaliados pela maneira como afetam o prana ou a energia vital. Dessa forma, existem os positivos, os neutros e os negativos.

No momento, o autor ou autores dessas classificações e do conceito geral desta dieta são desconhecidos. Ainda assim, existem semelhanças com as práticas ayurvédicas e iogues. Tanto a ioga quanto a ayurveda têm textos muito antigos que descrevem a melhor maneira de comer para otimizar a saúde.

Alimentos prânicos positivos

Os alimentos prânicos positivos são aqueles que fornecem energia vital ao corpo. Não se trata apenas de uma lista de alimentos específicos, mas inclui também o fato de serem orgânicos, frescos, cultivados localmente, sazonais, integrais e pouco processados. Entre eles, destacam-se:

  • Frutas e vegetais: quase todos, exceto tomate, berinjela, alho e cebola.
  • Grãos integrais: painço, arroz, aveia, cevada, trigo mourisco e teff. São considerados alimentos de excelente valor nutricional.
  • Leguminosas: lentilhas, ervilhas amarelas, todos os tipos de feijão, grão de bico, tofu.
  • Sementes e oleaginosas: sementes de chia, cânhamo, gergelim, linhaça e abóbora, além de pinhão, nozes, nozes pecan e amendoim.
  • Ghee, óleo de coco, óleo de palma e gergelim.
  • Mel.

Além disso, a forma como os alimentos são preparados e consumidos é muito valorizada. Isso ocorre porque alguns processos subtraem ou adicionam prana. Por exemplo, alimentos crus e frescos têm mais energia prânica do que alimentos cozidos. Neste último caso, é melhor cozinhar imediatamente antes de comer e no menor tempo possível.

Oleaginosas e sementes devem ser comidas cruas e, se possível, após terem sido deixadas de molho. Além disso, no caso de grãos integrais e leguminosas, é preferível germinar ou deixar de molho antes de submeter ao cozimento.

Alimentos prânicos positivos
Leguminosas e vegetais desempenham um papel importante na dieta prânica.

Alimentos negativos

Nesse grupo estão todas as substâncias com atividade sedativa e estimulante. Quando ingeridos, fornecem componentes que roubam ou extraem o prana, além de promover um estado de nervosismo, inquietação mental, embotamento da consciência e falta de energia a longo prazo.

Entre eles, estão as seguintes opções:

  • Bebidas como café, chá ou álcool.
  • Alho, cebola, alho-poró e berinjela.
  • Pimentas em geral e assa-fétida (uma planta picante amplamente utilizada na preparação de chutneys).

Peixes, carnes e ovos também estão presentes neste grupo. No entanto, algumas fontes consideram que não são tão prejudiciais se ingeridos de vez em quando, e nunca em sua forma crua.

Alimentos classificados como neutros

Apenas tomates e batatas estão neste grupo. Em princípio, eles não atuam sobre a energia vital, mas em alguns casos pode surgir uma sensação de letargia após o consumo.

O que a ciência diz sobre a dieta prânica?

No momento, não existem estudos que avaliem os possíveis efeitos positivos na saúde após a adoção da dieta prânica. No entanto, sua base é composta por frutas, vegetais, grãos integrais, leguminosas, oleaginosas e óleo. Esses alimentos são considerados saudáveis e há evidências de seus benefícios.

Uma dieta rica em vegetais, fibras, gorduras saudáveis e alimentos integrais tem sido associada a um risco menor de doenças crônicas. Isso inclui doença cardíaca isquêmica, diabetes tipo 2, hipertensão, obesidade e certos tipos de câncer.

Além disso, esta dieta destaca também a qualidade desses produtos, o cultivo, a proximidade e a forma de prepará-los. Valoriza ainda a forma como os ingerimos, já que esta deve ser lenta, sem pausa, desde que tenhamos fome e a refeição anterior tenha sido digerida.

No que se refere aos alimentos considerados negativos, há evidências científicas sobre a importância de reduzir o consumo de carnes vermelhas e processadas, e também sobre os efeitos negativos que os alimentos processados e com adição de açúcar têm no corpo.

Os demais componentes desse grupo, como peixes, solanáceas, alho, cebola e pimenta possuem nutrientes e pigmentos benéficos. Por isso, com algumas exceções, podem fazer parte de uma alimentação saudável e balanceada. No entanto, não é possível avaliar suas consequências na energia vital além das experiências pessoais.

O que a ciência diz sobre a dieta prânica?
As evidências sobre a dieta prânica são limitadas. Porém, há estudos que falam dos benefícios dos alimentos que a compõem.

Os alimentos prânicos positivos são saudáveis e podem ser a base da sua dieta diária

Os idealizadores e as origens da dieta prânica são desconhecidos. No entanto, pode-se dizer que sua prática está intimamente ligada à ioga e à ayurveda, duas disciplinas com muita tradição que visam potencializar o bem-estar físico, mental e espiritual.

Seus alimentos recomendados têm lugar em uma dieta saudável e balanceada para qualquer pessoa. Hoje existem muitos especialistas e planos alimentares que promovem a ingestão de vegetais, frutas, leguminosas, alimentos integrais, proteínas magras e gorduras saudáveis.

Além disso, o consumo moderado de ovos, peixes, carnes e laticínios também é positivo, desde que bem tolerados. Claro, é preciso lembrar que qualquer modelo alimentar deve andar de mãos dadas com hábitos saudáveis para promover uma mudança real na saúde.

Pode interessar a você...
Descubra a dieta hindu para perder peso
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Descubra a dieta hindu para perder peso

Rica em especiarias, sabores exóticos e condimentos termogênicos, que ajudam a queimar gordura, a dieta hindu pode ser excelente para perder peso.



  • BMJ. New evidence links ultra-processed foods with a range of health risks. Mayo 2019.
  • Muñoz Muñoz J.M. Medicina ayurveda: definiciones, principios y práctica contemporánea. Escuela Superior de Ayurveda. Julio 2021.
  • Payyappallimana U, Venkatasubramanian P. Exploring ayurvedic knowledge on food and and health for providing innovative solutions to contemporary healthcare. Frontiers in Public Health. Marzo 2016. 4:57.
  • Rao R.V. Ayurveda and the science of aging. Journal of Ayurveda and Integrative Medicine. Julio-Septiembre 2018. 9(3): 225-232.
  • Srinivasan TM. Prana and electrons in health and beyond. International Journal of Yoga. Enero-Junio 2014. 7(1): 1-3.
  • Vasanto M, et al. Position of the Academy of Nutrition and Dietetics: vegetarian diets. Journal of the Academy of Nutrition and Dietetics. Diciembre 2016. 116(12): 1970-1980.
  • World Health Organization. Cancer: carcinogenicity of the consumption of red meat and processed meat. Octubre 2015.