Câncer de mama: alimentos para preveni-lo

9 de janeiro de 2019
O câncer de mama está muito relacionado com os níveis de estrogênio no sangue. O exercício físico reduz a produção de estrogênio no organismo, e por isso é muito recomendado para prevenir a doença.

O autoexame mensal das mamas e a mamografia anual após os 40 anos de idade (antes disso, em caso de histórico familiar de câncer de mama) é a melhor maneira de detectar precocemente o câncer de mama, além de aumentar as chances de cura.

No entanto, muitas pesquisas descobriram que certos alimentos e determinados fatores no estilo de vida de uma mulher podem ajudar a reduzir o risco da doença. Esses serão apresentados no presente artigo.

Alimentos ricos em fibras para reduzir o risco de câncer de mama

Brócolis para reduzir o risco de câncer de mama
O brócolis é rico em vitamina C e fibras, também contém inúmeros nutrientes com fortes propriedades anti-cancerígenas.

O câncer de mama está intimamente ligado aos níveis de estrogênio no sangue, e quanto maior seu teor no corpo de uma mulher, mais alto é o risco câncer de mama.

Nesse sentido, os alimentos ricos em fibras impedem a reabsorção do estrogênio eliminado e, portanto, protegem o corpo.

Por isso, inclua três porções de vegetais frescos (especialmente brócolis, couve-flor, repolho e couve de Bruxelas) e duas frutas por dia; assim como cereais integrais para aumentar as fibras na dieta.

Reduzir a quantidade de gorduras

O consumo de alimentos gordurosos aumenta a quantidade de tecido adiposo no corpo, o qual atua como uma “fábrica de estrogênio”.

Por isso, manter o peso certo para a altura e idade reduz o nível de estrogênio no corpo e o risco de sofrer câncer de mama.

Saiba mais: 5 queima-gorduras naturais

Mais ômega 3 e menos ômega 6

salmão para prevenir o câncer de mama
Os peixes apresentam altas concentrações de ácidos graxos ômega 3 e 6.

Várias pesquisas apontam que alimentos ricos em ácidos graxos ômega 6 (margarina, gordura hidrogenada, óleo de girassol, óleo de soja e óleo de amendoim) aumentam o risco de câncer de mama.

Por outro lado, alimentos ricos em ácidos graxos ômega 3 (como salmão, atum, sardinha e óleo de peixe) reduzem o risco. Dessa forma, inclua uma porção destes alimentos em sua dieta duas vezes por semana.

As sementes de linhaça também são uma boa fonte de ômega 3. Os especialistas recomendam consumir 25 g deste produto por dia para prevenir o câncer de mama; pode ser moído a seco no liquidificador e acrescentado ao iogurte ou a um pedaço de queijo branco.

Os ácidos graxos ômega 9 presentes no azeite de oliva também reduzem o risco. Portanto, acrescente um par de colheres de chá do azeite na salada para prevenir o câncer.

Evitar o consumo de álcool

O consumo excessivo de álcool é um fator intimamente atrelado ao risco aumentado de câncer de mama. Em suma, o álcool é convertido em acetaldeído, substância que causa câncer em ratos de laboratório.

Além disso, o álcool inibe a utilização de ácido fólico nas células, uma vitamina com papel importante na regulação da divisão celular. E para piorar as coisas, o álcool aumenta os níveis de estrogênio no sangue.

Portanto, evitar seu consumo reduz o risco de câncer de mama.

Leia mais: Efeitos nocivos do álcool no organismo

Fazer atividades físicas

exercício físico reduz o risco de câncer de mama

Está também comprovado cientificamente que as mulheres que realizam exercícios moderados 4 horas por semana têm risco menor de desenvolver câncer de mama.

Visto que a atividade física reduz a produção de estrogênio no organismo. Mantenha-se ativa, caminhando, correndo, nadando ou andando de bicicleta. Evite a doença!

Assim sendo, para encerrar, vale lembrar a importância de sempre realizar os controles apropriados para a detecção precoce do câncer de mama e consultar o médico em caso de dúvidas.

  • de Carvalho Padilha, P., & de Lima Pinheiro, R. (2004). O papel dos alimentos funcionais na prevenção e controle do câncer de mama. Revista Brasileira de Cancerologia50(3), 251-260.
  • Rose, D. P., & Connolly, J. M. (1999). Omega-3 fatty acids as cancer chemopreventive agents. Pharmacology & therapeutics83(3), 217-244.
  • MacLean, C. H., Newberry, S. J., Mojica, W. A., Khanna, P., Issa, A. M., Suttorp, M. J., … & Morton, S. C. (2006). Effects of omega-3 fatty acids on cancer risk: a systematic review. Jama295(4), 403-415.