Aftas na garganta: o que são e como tratá-las?

29 Setembro, 2020
A estomatite aftosa (afta) consiste no aparecimento, na cavidade oral, de úlceras branco-amareladas com uma borda avermelhada. Geralmente elas desaparecem dentro de uma semana, e causam desconfortos como queimação e dor.

As aftas na garganta são aquelas pequenas lesões que aparecem na cavidade oral. Elas estão relacionadas ao mau funcionamento do sistema imunológico.

Esse distúrbio é chamado de estomatite aftosa e geralmente começa na adolescência, embora às vezes possa ter início em estágios posteriores. Uma única lesão ou várias podem aparecer ao mesmo tempo.

A aparência dessas aftas é branca amarelada com uma borda avermelhada. Geralmente desaparecem dentro de uma semana. Em alguns casos elas causam um grande desconforto, incluindo queimação, dor, e podem até formar pequenas protuberâncias.

Mulher com afta na boca
As aftas bucais podem causar uma dor intensa.

Esta é uma condição benigna que pode se tornar crônica, aparecer em surtos várias vezes ao ano e, em alguns casos, provocar sintomas graves e complexos. Às vezes, causa uma perda de peso significativa. O paciente tem dificuldade de se alimentar devido à dor.

Causas das aftas na garganta

Embora suas causas não sejam totalmente conhecidas, sabemos que elas têm uma relação com o sistema imunológicoAlém disso, podemos apontar os seguintes fatores de risco:

  • Uma certa predisposição familiar foi verificada. É comum que vários membros da mesma família sejam afetados pelas aftas na garganta.
  • O estresse emocional está presente em muitos episódios. Embora não haja certeza científica, acredita-se que o estresse emocional afete o sistema imunológico e predisponha o sujeito a aftas na garganta.
  • Um trauma na mucosa oral resultante de mordidas involuntárias também pode ser um fator desencadeante.
  • Baixos níveis de ferro, ácido fólico ou vitamina B12 foram detectados em alguns pacientes.
  • As aftas também têm sido associadas ao consumo de alimentos ácidos e ao refluxo gastroesofágico.
  • Há suspeitas da relação de alergias alimentares e aquelas causadas pelo lauril sulfato sódico presente em muitos cremes dentais.
Estresse emocional
O estresse emocional pode estar entre as causas das aftas.

Dados curiosos sobre a sua evolução médica

Até aqui, vimos alguns dos fatores que foram apontados como causadores das aftas na garganta. Na maioria dos casos, esta ainda é uma doença idiopática (de origem desconhecida), embora alguns dados sejam conhecidos:

  • Sua causa não é uma doença infecciosa.
  • Não é causada pelo vírus do herpes.
  • Não é contagiosa.

Você pode estar interessado em ler: Herpes-zóster

As aftas na garganta desaparecem quando a causa é identificada e tratada, mas isso nem sempre é possível, e tratamentos sintomáticos e de suporte são usados ​​para aliviar a dor.

Aftas e feridas na garganta

Quando as medidas de higiene não são suficientes, são utilizados tratamentos farmacológicos. É importante destacar que, às vezes, será necessário fazer um diagnóstico diferencial de possíveis patologias importantes que podem provocar aftas na boca. Pode até ser necessário fazer biópsias, entre outros exames.

Como sempre aconselhamos, é importante consultar um médicoevitar a automedicação, que pode mascarar os sintomas e piorar o prognóstico.

Medidas preventivas

  • Use uma escova de dentes de cerdas macias.
  • Use um enxaguante bucal após a escovação para matar os germes.
  • Reduza o consumo de alimentos ácidos: limão, tomate, kiwi, abacaxi, etc.
  • Evite excesso de alimentos apimentados e altamente condimentados.
Higiene oral
Uma escovação adequada e o uso de enxaguantes ajudam a atenuar os sintomas das aftas.

Alguns remédios naturais também podem ajudar. Segundo algumas fontes, o extrato de própolis possui ação antibiótica, e a calêndula tem propriedades anti-inflamatórias.

Leia também: 5 remédios para curar uma afta rapidamente

Tratamento farmacológico para as aftas na garganta

  • Pomadas à base de cianoacrilato para cobrir a úlcera. Atua como uma cola que impede o contato de alimentos e saliva com a lesão.
  • Anestésicos tópicos, como lidocaína ou benzocaína, que aliviam a dor.
  • Corticosteroides para uso tópico, para fazer enxágues ou aplicar em pomadas à base de fluocinonida, clobetasol ou dexametasona.
  • Para lesões muito grandes, é possível injetar esteroides diretamente na úlcera ou tratá-las com um laser de CO2.
  • Aumente o consumo de alimentos que contenham ácido fólico, vitaminas do complexo B e ferro: maçã, iogurte, banana, manga, leguminosas, etc.
  • Gargarejos antissépticos com água salgada e/ou peróxido de hidrogênioAmbos são antissépticos eficazes que podem impedir o aparecimento ou reduzir os sintomas das aftas.

Se uma melhora imediata não for alcançada ou os episódios se repetirem várias vezes por ano, um médico deve ser consultado para fazer um diagnóstico correto e descartar outras doenças mais graves.

  • Rioboo García R. Educación para la salud bucodental: Odontología Preventiva y Odontología Comunitaria. Madrid: Avances Méd Dentales; 2002. p. 1321-5.
  • Soto Araya M, Rojas Alcayaga G, Esguep A. Asociación entre alteraciones psicológicas y la presencia de Liquen plano oral, Síndrome boca urente y Estomatitis aftosa recidivante. Med Oral Chile. 2004;(9):1-7.
  • Casanova Rivero Y, Lima Álvarez M, Casanova Rivero A, Santana Ramírez H. Estrés y su influencia en la Enfermedad Periodontal. Clínica Estomatológica Provincial Docente. Camagüey. Rev AMC. 1997;1(1)
  • Pérez Borrego A, Guntiñas Zamora MV, González Labrada A. Estomatitis aftosa recurrente (II Parte). Determinación de marcadores de inmunidad celular. La etiopatogenia de la enfermedad no es totalmente conocida. Rev Mexicana de Odontología Clín. 2008;2(4).
  • Gutiérrez Ramos F. Efecto del estrés y del tabaquismo en la estomatitis aftosa recurrente [tesis]. Lima: Universidad Nacional Mayor de San Marcos; 2005 [citado 18 Abr 2009]. Disponible en: http://www.cybertesis.edu.pe/sisbib/2006/gutierrez_rd/pdf/gutierrez_rd-TH.back.1.pdf
  • Siriamornpun, S., Kaisoon, O. y Meeso, N. (2012). Cambios en el color, actividades antioxidantes y carotenoides (licopeno, β-caroteno, luteína) de la flor de caléndula (Tagetes erecta L.) como resultado de diferentes procesos de secado. Journal of Functional Foods, 4 (4), 757–766. https://doi.org/10.1016/j.jff.2012.05.002
  • Khairnar MS, Pawar B, Marawar PP, Mani A. Evaluación de Calendula officinalis como agente antiplaca y anti-gingivitis. J Indian Soc Periodontol 2013; 17: 741-7
  • Ramón Bonet & Antonieta Garrote (2015). Aftas bucales. Farmacia Profesional. https://www.elsevier.es/es-revista-farmacia-profesional-3-articulo-aftas-bucales-X0213932415727469