A síndrome do túnel do tarso: o que é?

18 de agosto de 2019
25% dos casos de síndrome do túnel do tarso não têm uma causa que explique seu aparecimento. Esse quadro clínico é doloroso, mas geralmente responde bem ao tratamento. Apenas em poucos casos há sequelas como insensibilidade ou perda de movimento.

Primeiramente, a síndrome do túnel do tarso é um quadro clínico pouco comum, cujo principal sintoma é a dor na planta do pé. Além disso, afeta mais frequentemente mulheres entre 40 e 45 anos. Por outro lado, sua incidência é de aproximadamente 0,58% a cada 100.000 pessoas.

Essa síndrome foi descrita pela primeira vez em 1932, por Pollock e Davis. No entanto, foi somente por volta de 1960 que são descritos os mecanismos que determinam o aparecimento da síndrome do túnel do tarso, graças aos estudos de Kopell e Thompson.

Posteriormente, em 1962, Charles Keck fez uma descrição detalhada desse problema e afirmou que havia sido frequentemente mal diagnosticado devido à sua semelhança com a fascite plantar.  Também, Goodgold, Kopell e Spieldholz detalharam os efeitos que essa síndrome provoca no nervo tibial.

O que é a síndrome do túnel do tarso

Pessoa com dor no pé

É chamado de síndrome do túnel do tarso um conjunto de sinais e sintomas que derivam da compressão do nervo tibial ou dos nervos plantares no túnel do tarso. Em geral, este está localizado abaixo do retináculo flexor, no meio do tornozelo.

O túnel do tarso é um canal do tipo osteofibroso. Em primeiro lugar, devemos mencionar que está localizado na parte interna do tornozelo. O teto desse túnel é formado pelo retináculo flexor, ou ligamento lacinado, que se estende desde o maléolo interno até o calcâneo. Finalmente, sua função é estabilizar os tendões flexores.

O túnel do tarso também passa por baixo do músculo abdutor do dedo. O nervo tibial e suas ramificações passam entre o retináculo, o músculo e o calcâneo. Portanto, quando ocorre a compressão desses nervos, aparece a síndrome do túnel do tarso. Por outro lado, essa compressão acontece dentro do espaço osteofibroso inextensível.

Essa síndrome é o resultado da inflamação dos tecidos que estão ao redor do túnel do tarso. Quando isso acontece, os nervos também podem se inflamar e ficar comprimidos. É isso que causa a dor.

Leia mais: Síndrome do túnel do carpo: remédios naturais para aliviar os sintomas

Causas

A síndrome do túnel do tarso pode ser produzida por diferentes causas derivadas de vários processos. Estes são:

  • Traumatismos. É a causa mais comum. Normalmente, a síndrome do túnel do tarso ocorre depois de uma torção, fratura do maléolo interno ou do calcâneo. Todos geram um espessamento do ligamento anular e a posterior compressão.
  • Uso abusivo. Está relacionado aos movimentos repetitivos na região do tornozelo, seja devido a atividades cotidianas ou a uma prática esportiva.
  • Defeitos no pé. O pé plano valgo provoca anomalias biomecânicas que levam ao estiramento das estruturas internas e causam a síndrome do túnel do tarso.
  • Processos inflamatórios. Em particular, a tenossinovite dos flexores ou do tibial posterior.
  • Doenças no tendão ou nas veias. As veias varicosas podem exercer pressão sobre os nervos. Ou também fatores como um cisto sobre o tendão.
  • Doenças sistêmicas. Correspondem a aproximadamente 10% dos casos. As doenças que influenciam com mais frequência são: diabetes, artrite, hipertiroidismo e hiperlipidemia.
  • Sem causa conhecida. Por volta de 25% dos casos de síndrome do túnel do tarso não têm uma causa identificável.

Leia mais: 5 remédios naturais para a tendinite do calcâneo

Outros dados interessantes

Massagens no pé

Em primeiro lugar, o principal sintoma dessa síndrome é a dor, a qual se localiza próxima do tornozelo, quase sempre na parte interna do mesmo. Por outro lado, o incômodo se estende até os dedos do pé e se intensifica ao caminhar. Além disso, em etapas mais avançadas do problema, também se sente dor até mesmo em repouso.

A dor provoca sensação de ardência e costuma aparecer junto com formigamento, cãibras ou pontadas. Primeiramente, no início só é sentida quando se está em pé, caminhando ou utilizando certo tipo de calçado. O mais frequente é que a dor apareça à noite, depois da jornada diária. É parcialmente aliviada ao movimentar o tornozelo, a perna ou o pé.

Também é muito frequente que apareça uma sensação de dormência, assim como fraqueza nos músculos do pé, dos dedos do pé ou dos tornozelos. Nos casos mais graves, essa fraqueza se torna muito evidente e pode levar a uma deformação da estrutura do pé.

Em conclusão, a recuperação total da síndrome do túnel do tarso é possível com o tratamento adequado indicado pelo médico. Apenas um pequeno grupo de pessoas apresentam sequelas tais como insensibilidade parcial ou total, ou perda do movimento. Também há uma pequena porcentagem de pacientes nos quais a lesão se torna recorrente.

  • López-Gavito, E., Parra-Téllez, P., Cornejo-Olvera, R., & Vázquez-Escamilla, J. (2014). Síndrome del túnel del tarso. Revisión del tema. Acta ortopédica mexicana, 28(3), 197-202.