O que é a epilepsia e como conviver com ela?

A epilepsia é uma patologia que requer conhecimentos em várias áreas. A seguir, vamos mostrar uma série de chaves que todo paciente epiléptico deve conhecer para melhorar a sua qualidade de vida.
O que é a epilepsia e como conviver com ela?

Última atualização: 27 Maio, 2021

A epilepsia é um distúrbio neurológico do sistema nervoso central no qual a atividade cerebral se torna anormal, causando episódios de convulsões, comportamentos atípicos ou perda de consciência, conforme indicado pela Clínica Mayo.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), aproximadamente 50 milhões de pessoas sofrem de epilepsia no mundo, o que a torna um dos distúrbios neurológicos mais comuns mundialmente. Infelizmente, 70% dos pacientes não recebem o tratamento necessário por impossibilidade financeira.

Viver com epilepsia pode parecer um verdadeiro desafio após o diagnóstico, mas, na verdade, os medicamentos prescritos costumam funcionar de forma muito positiva na maioria dos casos. Se você quer saber quais são os hábitos que uma pessoa epiléptica deve ter no dia a dia, continue lendo.

Hábitos de vida que uma pessoa com epilepsia deve ter

Conforme indicado pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), a epilepsia não é o fim da linha ou do bem-estar individual. Os medicamentos atuam com eficácia em dois de cada três pacientes que sofrem com o problema e, em alguns casos, a cirurgia e outras abordagens também são opções que podem ser adotadas.

O portal Vivir con Epilepsia e muitas outras fontes mostram algumas dicas para melhorar a vida dos pacientes no dia a dia. Vamos falar brevemente sobre algumas delas.

1. Fazer exercícios

O exercício é essencial para todas as pessoas, pois promove o bem-estar físico, emocional e fisiológico adequado. De acordo com a fonte já citada, diversos estudos apontam que a atividade física pode elevar o limiar convulsivo e reduzir as descargas epileptiformes, o que contribui para controlar melhor as crises.

Adolescente correndo
A atividade física pode reduzir o risco de ataques epilépticos; portanto, a sua prática regular é recomendada.

Saiba mais: Tipos de epilepsia 

2. Manter a sua vida social, mas extremando as precauções

As organizações que conscientizam sobre a epilepsia não aconselham o paciente a abandonar a vida social em nenhum caso. Somos animais gregários e, como tal, necessitamos da companhia de outros seres humanos para nos desenvolvermos adequadamente. Mesmo assim, é preciso ter cuidado com alguns fatores:

  • Sair à noite não é desaconselhado, mas é preciso tomar muito cuidado com luzes estroboscópicas e com o barulho de alguns estabelecimentos.
  • Limite o consumo de álcool e tabaco. O primeiro está relacionado a alguns episódios de crise, e embora o tabaco não esteja, a redução de ambos é recomendada por razões óbvias.

3. Dirigir tem certas reservas

Essa questão é polêmica, pois algumas fontes argumentam que existem documentos que estimam que as pessoas com crises epilépticas sob controle têm baixo risco de acidente, enquanto outras pesquisas afirmam que existe um risco inerente.

Em países como a Espanha, é proibido que uma pessoa com epilepsia dirija se tiver apresentado crises no último ano, para a sua segurança e para a de todos. Fale com o seu médico especialista ou com a entidade de trânsito da sua região se tiver dúvidas.

Como evitar uma convulsão se você tiver epilepsia?

Há uma série de medidas a serem seguidas para evitar o aparecimento de crises convulsivas em pacientes epilépticos. Algumas delas são as seguintes:

  • Tome os seus medicamentos sem esquecer uma única dose e converse com o seu médico de confiança se você se sentir estranho ou tiver alguma dúvida.
  • Durma bem: portais como o Apiceepilepsia.org alertam que a diminuição das horas de sono pode favorecer o aparecimento de convulsões. Tente dormir de 7 a 10 horas por dia.
  • Limite a ingestão de bebidas alcoólicas: o álcool excita os neurônios do cérebro, altera os padrões de sono normais e pode interagir com os medicamentos para a epilepsia. Este é um terreno fértil perfeito para o surgimento de uma nova crise.
  • Não use drogas: drogas excitantes como cocaína, ecstasy e anfetaminas podem promover o aparecimento de ataques epilépticos.
  • Evite levar uma vida muito estressante: períodos de estresse podem levar a um sono insatisfatório ou ao esquecimento da medicação por parte do paciente.

Como ajudar uma pessoa durante uma crise epiléptica?

Biblioteca Nacional de Medicina dos Estados Unidos resume a base de atuação diante de uma crise convulsiva em vários pontos essenciais. Estes são os seguintes:

  1. Quando ocorre uma convulsão, o objetivo principal é proteger o indivíduo de lesões. Portanto, a pessoa que está tendo uma crise epiléptica deve ser colocada no chão, deitada em uma área segura, livre de móveis e objetos pontiagudos.
  2. Depois disso, é necessário deixar a sua cabeça descansar.
  3. Afrouxe as roupas apertadas, especialmente ao redor do pescoço.
  4. Vire a pessoa de lado, caso ela comece a vomitar. Isso evita que o vômito seja regurgitado e desviado para os pulmões.
  5. Procure uma pulseira de identificação médica com informações sobre o paciente e o número para ligar. Você deve carregar uma delas se teve convulsões recentemente.
  6. Fique com o paciente até a chegada de ajuda. Enquanto isso, monitore os seus sinais vitais (pulso e frequência respiratória) tanto quanto possível.

O que você não deve fazer em hipótese alguma é imobilizar a pessoa, colocar algum objeto na sua boca para que ela não morda a língua, ou realizar respiração ou outras técnicas de reanimação. Apenas fique calmo, posicione o paciente de maneira adequada e monitore até a ajuda chegar.

Epilepsia infantil
As crises epilépticas exigem calma de quem está por perto para controlar os sintomas, virar o paciente de lado e evitar lesões.

Reduzir o risco da epilepsia na vida cotidiana

Conforme você pôde observar, a epilepsia é uma patologia que requer múltiplas considerações no dia a dia do paciente. Ainda assim, seguindo as diretrizes estabelecidas e com o tratamento adequado, uma pessoa epiléptica pode levar uma vida quase normal sem grandes percalços.

As medidas diárias para evitar as crises convulsivas se baseiam em dormir bem, evitar o uso de drogas e álcool e não passar por eventos que causem emoções intensas demais ou estressantes. Se você seguir essas dicas, minimizará o risco de ter um ataque.

Pode interessar a você...
Epilepsia e gravidez: tudo que você precisa saber
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Epilepsia e gravidez: tudo que você precisa saber

A associação entre epilepsia e gravidez não é impossível, mas possui seus riscos. Por isso, é importante saber mais informações sobre o tema.