A apiterapia ajuda a combater a psoríase? Isso diz ciência

A apiterapia se difundiu como uma abordagem complementar para pacientes com psoríase. Há evidências de seus benefícios? Neste espaço nós o analisamos.
A apiterapia ajuda a combater a psoríase? Isso diz ciência
Leonardo Biolatto

Escrito e verificado por médico Leonardo Biolatto.

Última atualização: 14 julho, 2023

A apiterapia ganhou popularidade como tratamento complementar para a psoríase. Esse tipo de abordagem refere-se ao uso medicinal de produtos produzidos pelas abelhas, como mel, própolis, geléia real, cera e veneno. Embora seja uma prática típica da medicina tradicional, nos últimos anos foi incorporada à medicina moderna.

Em particular, é valorizado por seus efeitos imunomoduladores, anti-inflamatórios, antimicrobianos e antioxidantes. De fato, seu potencial terapêutico foi avaliado em pesquisas.

Foi assim que se determinou que pode ser útil contra os sintomas de algumas doenças dermatológicas, como a psoríase. Você quer saber mais sobre isso? Continue lendo!

O que é psoríase?

A psoríase é uma doença inflamatória crônica da pele caracterizada pela presença de placas escamosas vermelhas opacas com bordas bem definidas, que tendem a se estender pelo couro cabeludo, cotovelos, joelhos, mãos, pés e região lombar.

Essas lesões também podem se manifestar como manchas brancas ou prateadas, principalmente ao coçar.

Sua causa exata não está estabelecida, mas é considerada uma doença autoimune. Ou seja, as células que combatem as infecções atacam os tecidos saudáveis e levam ao crescimento excessivo das células da pele. Isso, em particular, é influenciado por fatores genéticos e ambientais.

Alguns gatilhos identificados são os seguintes:

  • Consumo excessivo de álcool.
  • Exposição constante ao estresse.
  • Viver em climas muito secos ou muito frios.
  • Retirada rápida de corticosteroides orais ou injetáveis.
  • Uso de tabaco ou exposição ao fumo passivo.
  • Lesões na pele, como corte, mordida ou queimadura solar.
  • Uso de medicamentos, como lítio, anti-hipertensivos e antimaláricos.
  • Infecções, como faringite estreptocócica e infecções de pele.
Psoríase nos joelhos.
As áreas clássicas de apresentação da psoríase são os cotovelos, o couro cabeludo e os joelhos.

Apiterapia como complemento no tratamento da psoríase

Conforme detalhado na pesquisa relatada no International Journal of Molecular Sciences, o tratamento da psoríase varia de corticosteróides tópicos, análogos da vitamina D e retinóides a fototerapia e medicamentos injetáveis. Além do exposto, foram investigados os efeitos de outras opções complementares, entre as quais se destaca a apiterapia.

É uma forma de medicina alternativa que aproveita os benefícios do mel, pólen, própolis e geleia real, entre outros produtos produzidos pelas abelhas, cuja riqueza em nutrientes tem efeitos positivos para a saúde.

O que dizem os estudos sobre seus efeitos na psoríase?

O campo da dermatologia tem sido um dos mais explorados com a apiterapia. Assim, foi possível determinar que sua aplicação na psoríase é benéfica para reduzir os surtos e a gravidade dos sintomas.

Um estudo compartilhado através do Journal of the American Academy of Dermatology determinou que o veneno de abelha e a própolis têm propriedades imunomoduladoras e anti-inflamatórias que ajudam a controlar os surtos de psoríase.

Por sua vez, uma investigação através do Open Access Macedonian Journal of Medical Sciences relatou que uma mistura de própolis (50%) com aloe vera (3%) foi útil como tratamento tópico para reduzir a presença de placas de psoríase palmoplantar. Após 12 semanas de tratamento, 62% dos pacientes envolvidos no estudo relataram excelentes resultados. Além disso, 24% tiveram um nível aceitável de resposta. E embora estudos maiores sejam necessários, essas descobertas são promissoras.

Em um estudo randomizado controlado compartilhado pelo Journal of Dermatological Treatment, 92% dos participantes tiveram melhora completa em suas lesões de psoríase após receberem tratamento com apiterapia. Os pesquisadores concluíram que é uma opção terapêutica segura para psoríase em placas localizada, quando outras abordagens falham.

Propriedades anti-inflamatórias e cicatrizantes

Os efeitos anti-inflamatórios e cicatrizantes da apiterapia explicam em grande parte seus benefícios como remédio dermatológico. Uma postagem compartilhada na Ancient Science of Life destaca que o mel tem potencial curativo e antimicrobiano. Desta forma, favorece a recuperação da pele afetada pelas placas escamosas.

Da mesma forma, este documento detalha que o veneno de abelha, frequentemente usado em acupuntura, é uma opção terapêutica contra a psoríase vulgar. Embora sejam necessárias mais pesquisas, essas descobertas abrem caminho para novos tratamentos contra essa doença da pele.

O uso de apiterapia contra a psoríase é seguro?

Um aspecto que todos devem considerar antes de usar a apiterapia contra a psoríase é que ela não está isenta de reações adversas e contraindicações. Tanto o mel, a própolis, o pólen, a geleia real e, principalmente, o veneno, podem causar efeitos colaterais, principalmente em pessoas sensíveis.

Na maioria dos adultos saudáveis, a aplicação tópica de produtos apícolas é considerada segura.

Em qualquer caso, recomenda-se evitar seu uso em caso de histórico de alergia. Se houver alguma reação desfavorável, como irritação ou coceira, enxágue com bastante água e interrompa o uso.

No entanto, com a terapia com veneno de abelha, mais cuidado deve ser exercido. Ele deve ser aplicado apenas por profissionais em acupuntura ou apiterapia.

Uma revisão na revista Plos One adverte que alguns efeitos indesejados deste tratamento são os seguintes:

  • Tosse.
  • Fadiga.
  • Icterícia.
  • Ansiedade.
  • Coceira e urticária.
  • Dor de cabeça.
  • Inflamação local.
  • Perda de apetite.
  • Dor muscular e fraqueza.

Estima-se que 2% das pessoas tenham reações alérgicas a picadas de abelha. Se esse histórico existir, é melhor descartar a ideia de aplicar essa terapia. A recomendação geral é consultar o seu médico antes de decidir usá-lo.

Remédio com própolis.
A própolis é utilizado de forma geral, em apresentações comerciais que são adquiridas em diversos locais, especializados e não especializados.

É possível combater a psoríase com apiterapia?

De acordo com os achados de algumas investigações, é possível melhorar o prognóstico da psoríase com apiterapia. Sua aplicação reduz os sintomas, principalmente a formação de placas escamosas na pele. Além disso, reduz a recorrência de surtos.

Apesar disso, deve-se considerar que não é um tratamento de primeira escolha contra esta doença. Seu uso deve ser meramente complementar. Da mesma forma, deve ser aplicado por profissionais para avaliar possíveis riscos. Tenha isso em mente!


Todas as fontes citadas foram minuciosamente revisadas por nossa equipe para garantir sua qualidade, confiabilidade, atualidade e validade. A bibliografia deste artigo foi considerada confiável e precisa academicamente ou cientificamente.


  • Fratellone PM, Tsimis F, Fratellone G. Apitherapy Products for Medicinal Use. J Altern Complement Med. 2016 Dec;22(12):1020-1022. doi: 10.1089/acm.2015.0346. Epub 2016 Jul 27. PMID: 27463767.
  • Nair PA, Badri T. Psoriasis. [Updated 2022 Apr 6]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2022 Jan-. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK448194/
  • Rendon A, Schäkel K. Psoriasis Pathogenesis and Treatment. Int J Mol Sci. 2019 Mar 23;20(6):1475. doi: 10.3390/ijms20061475. PMID: 30909615; PMCID: PMC6471628.
  • Evaluation of bee venom and propolis in treatment of psoriasis: A pilot study. (2012). In Journal of the American Academy of Dermatology (Vol. 66, Issue 4, p. AB51). Elsevier BV. https://doi.org/10.1016/j.jaad.2011.11.222
  • El-Gammal E, Nardo VD, Daaboul F, Tchernev G, Wollina U, Lotti J, Lotti T. Apitherapy as a New Approach in Treatment of Palmoplantar Psoriasis. Open Access Maced J Med Sci. 2018 Jun 10;6(6):1059-1061. doi: 10.3889/oamjms.2018.135. PMID: 29983801; PMCID: PMC6026437.
  • Eltaher S, Mohammed GF, Younes S, Elakhras A. Efficacy of the apitherapy in the treatment of recalcitrant localized plaque psoriasis and evaluation of tumor necrosis factor-alpha (TNF-α) serum level: A double-blind randomized clinical trial. J Dermatolog Treat. 2015;26(4):335-9. doi: 10.3109/09546634.2014.990411. Epub 2014 Dec 30. PMID: 25424047.
  • Park JH, Yim BK, Lee JH, Lee S, Kim TH. Risk associated with bee venom therapy: a systematic review and meta-analysis. PLoS One. 2015 May 21;10(5):e0126971. doi: 10.1371/journal.pone.0126971. PMID: 25996493; PMCID: PMC4440710.

Este texto é fornecido apenas para fins informativos e não substitui a consulta com um profissional. Em caso de dúvida, consulte o seu especialista.