11 complicações da diabetes

08 Fevereiro, 2020
A Diabetes é uma doença silenciosa que pode nos surpreender a qualquer momento. As complicações da diabetes são graves e seu diagnóstico precoce fundamental. Reconhecer seus sintomas pode nos salvar de sofrer dificuldades.

Antes de detalhar as complicações da diabetes, é importante analisar em que esta doença difícil consiste, seus tipos, seus sintomas, o que a origina e como preveni-la. Finalmente, apresentaremos as 11 complicações da diabetes mais graves.

O que é diabetes?

Medição da glicemia

A diabetes ocorre quando o pâncreas não sintetiza a quantidade de insulina que o corpo precisa e, por vezes, pode produzi-la em menor qualidade ou não produzi-la de forma eficaz. O diabetes se desenvolve quando o nível de glicose no sangue, conhecido como açúcar no sangue, é muito alto. A glicemia é a principal fonte de energia, e é obtida a partir de alimentos.

A insulina ajuda a glicose a entrar nas células para serem usadas como energia, permitindo que os músculos e os tecidos funcionem. Quando o corpo não produz insulina suficiente, não o produz ou não o usa corretamente, faz com que a glicose permaneça no sangue e não chegue às células.

Se o paciente com diabetes não seguir o tratamento corretamente, seus tecidos podem sofrer danos significativos, entre outras complicações. E com a passagem do tempo, o excesso de glicose no sangue provoca sérios problemas de saúde.

Embora a diabetes não tenha cura, o paciente com diabetes pode tomar medidas para a manter controlada ou estável.

Confira a: Relação entre a diabetes e problemas do sono

Tipos de diabetes

  • Insípida
  • Infantil
  • Gestacional
  • Tipo 1
  • Tipo 2

Sintomas

Diabetes causa fadiga

Os sintomas da diabetes tipo 1 podem aparecer rapidamente, enquanto os sintomas da diabetes tipo 2 se desenvolvem gradualmente. Estes podem aparecer depois de vários anos e serem tão leves que nem são percebidos.

Os principais sintomas da diabetes incluem:

  • Aumento da sede e desejo de urinar.
  • Fraqueza, fadiga e perda de peso.
  • Irritabilidade e mudanças de humor.
  • Sensação de desconforto no estômago e vômitos.
  • Vista embaçada
  • Cortes e arranhões que não cicatrizam ou cicatrizam lentamente.
  • Comichão ou entorpecimento nas mãos ou nos pés.
  • Infecções recorrentes na pele, gengiva ou bexiga.
  • Níveis elevados de glicose no sangue e na urina.

Você quer saber mais? Leia: 9 sintomas da fadiga crônica

Causas da diabetes

As causas e complicações da diabetes dependem de cada tipo. No entanto, alguns dos fatores que geralmente causam essa doença são:

  • O sistema imunológico que luta contra infecções ataca e destrói as células beta do pâncreas, as células responsáveis ​​pela produção de insulina.
  • Produção insuficiente de insulina.
  • Fatores ambientais que podem desencadear a doença, por exemplo, vírus.
  • Sobrepeso e inatividade física.
  • Resistência à insulina.
  • Antecedentes familiares.
  • Mudanças hormonais durante a gravidez.
  • Fatores genéticos.
  • Estilo de vida.

Outras causas

  • Mutações genéticas
  • Lesão no pâncreas
  • Certos medicamentos
  • Outras doenças

Prevenção da diabetes

Exercício físico ajuda a evitar complicações da dieabetes

Existem práticas que contribuem para a prevenção da diabetes, como exercício físico e perda de peso. Do mesmo modo, o consumo moderado de açúcar, álcool e tabaco contrariam o aparecimento desta doença complexa.

A diabetes tipo 1 não pode ser prevenida, mas a de tipo 2 pode, pois está relacionada à obesidade. Sem dúvida alguma, a prática de hábitos saudáveis, como exercícios frequentes e uma dieta equilibrada, contribuem para a sua prevenção.

Dicas para prevenir a hipoglicemia em pessoas com diabetes

  • Em primeiro lugar, ajuste a dose de medicação para as novas necessidades.
  • Além disso, mantenha uma dieta equilibrada.
  • Também, coma carboidratos em quantidades moderadas antes de se exercitar.
  • Finalmente, tenha sempre um suprimento de açúcar, biscoitos e água para beber no momento em que estão presentes sinais de hipoglicemia.

Complicações da diabetes

 1.  Doenças cardiovasculares

Doenças cardiovasculares são sinal d complicações de diabetes

As doenças cardiovasculares são a principal causa de morte em pacientes com diabetes. Os ataques cardíacos, acidentes vasculares cerebrais e problemas relacionados ao dano dos vasos sanguíneos são doenças com alta probabilidade de ocorrência em pessoas com diabetes.

2. Nefropatia diabética

É uma doença que é causada pelo dano dos vasos sanguíneos nos rins, de modo que não podem filtrar o material que deve ser removido. Algumas pessoas com diabetes exigem diálise, e quando a doença está avançada, eles podem precisar de um transplante de rim.

3. Neuropatia diabética

Neropatia diabética

O risco de desenvolver uma neuropatia depende do tempo que uma pessoa tem diabetes. Isso é causado pelo dano que os altos níveis de glicemia causam aos vasos sanguíneos responsáveis ​​pelo transporte de oxigênio para certos nervos.

Cerca de metade das pessoas com diabetes tem alguma forma de neuropatia. Uma revisão diária de braços e pernas é muito importante. Se você tiver inchaço, vermelhidão ou algum desconforto, você deve consultar um médico.

Sendo assim, então, entre as consequências mais graves de uma neuropatia é a amputação dos pés, dedos ou extremidades inferiores, bem como a perda de sensibilidade.

4. Retinopatia diabética

É uma complicação ocular que faz com que os vasos sanguíneos na retina se deteriorem, a tal ponto que possam escorrer fluídos ou sangue. É também uma das primeiras causas de cegueira.

No início, algumas mudanças na visão podem ser percebidas, mas a retinopatia pode piorar. Esta complicação da diabetes não pode ser completamente evitada, mas o risco pode ser reduzido por um controle adequado dos níveis de açúcar no sangue.

5. Diabetes gestacional

Diabetes gestacional

Afeta aproximadamente 18% das mulheres grávidas e aparece em torno da 24ª semana de gestação. É caracterizada pela presença de níveis elevados de glicose no sangue durante a gravidez. Isso ocorre porque os hormônios na placenta bloqueiam a ação da insulina, causando resistência a ela.

Quando a gestante não recebe tratamento, a glicose pode passar para o bebê e ser armazenada como gordura. A consequência pode ser um bebê obeso ou com macrossomia (crescimento de órgãos).

6. Hipertensão

Uma das complicações mais graves da diabetes é a hipertensão arterialÉ uma das principais causas de morte em pacientes com diabetes. Pessoas com hipertensão arterial apresentam maior risco de desenvolver diabetes tipo 2.

7. Complicações da pele

Cicatrizes no rosto

As complicações da pele são os primeiros sintomas da diabetes. Felizmente, se diagnosticado precocemente, esses distúrbios podem ser tratados com sucesso. Por exemplo, infecções bacterianas, fungos e irritações são algumas das complicações que podem ocorrer.

Por outro lado, existem problemas de pele que afetam exclusivamente os diabéticos, como dermopatia diabética, necrobiose lipídica diabética, bolhas diabéticas e xantomatose eruptiva.

8. Complicações nos pés (pé diabético)

Essas complicações surgem quando há danos ao sistema nervosoComo resultado de um fluxo sanguíneo fraco, as pessoas com diabetes perdem sensibilidade nos pés . Ao perder a sensibilidade nos pés, os diabéticos são mais propensos a sofrer problemas circulatórios, mais quando a pessoa sofre de uma neuropatia ou doença dos vasos sanguíneos.

Quando um paciente com diabetes perde sensibilidade nos pés, as chagas ou feridas podem passar despercebidas até formar úlceras. Eles não sentem dor se tiverem uma ferida, eles podem ter uma pedra no sapato ou uma infecção e não perceber isso.

9. Amputações

Ferida-no-pe

Outra complicação da diabetes é o pé diabético, definido como uma infecção, ulceração ou destruição dos tecidos profundos do pé, o que pode exigir amputação. As pessoas nessa situação tendem a ter um alto nível de glicose no sangue e pressão arterial elevada, de modo que controlar ambas as condições podem reduzir o risco de uma amputação.

10. Síndrome hiperglicêmico hiperosmolar (HHNS)

É uma condição grave, muito comum em pessoas idosas com diabetes, principalmente com diabetes tipo 2. Envolve a passagem de excesso de açúcar no sangue para a urina. Assim, por exemplo, quando o paciente não bebe muita água, ele corre o risco de se tornar desidratado e sofrer um ataque, entrar em coma ou até morrer.

Primeiramente, para detectar HHNS, deve estar atento a sintomas como sede extrema, nível de açúcar no sangue superior a 600 mg / dl, boca seca, pele seca sem transpiração, perda de visão, febre alta e fraqueza de um lado do corpo.

11. Impotência masculina

Disfunção sexual

A impotência masculina é outra complicação da diabetes que é bastante comum na maioria dos pacientes diabéticos. E é que o alto nível de açúcar pode afetar a circulação e terminações nervosas do corpo. Pode danificar os nervos responsáveis ​​pela obtenção e manutenção da ereção masculina.

Por outro lado, os medicamentos utilizados para controlar e regular a diabetes podem causar disfunção erétil. No entanto, a impotência masculina pode melhorar gradualmente com hábitos saudáveis ​​e seguir o tratamento médico corretamente.

Recomendações para manter os níveis de açúcar normais

  • Primeiramente, avalie os níveis de açúcar no sangue regularmente.
  • Ademais, siga o tratamento indicado 100%.
  • Por outro lado, use insulina de acordo com a prescrição médica.
  • Além disso, siga uma dieta apropriada para controlar o nível de açúcar no sangue.
  • Também faça exercícios para reduzir e ajudar o corpo a usar açúcar no sangue.
  • Evite consumir produtos à base de açúcar refinado.
  • Durma bem respeitando as horas de sono.
  • Finalmente, evite o consumo de álcool, tabaco e cigarros.

Teste

Para medir a concentração de glicose no sangue, uma amostra de sangue deve ser retirada do paciente. Portanto, para fazer isso, o paciente deve estar em jejum 8 horas antes do teste. Por outro lado, pessoas com idade superior a 65 anos devem ter este teste em jejum, pois eles têm um aumento maior nas concentrações de glicose no sangue após comer.

Há outro exame de sangue chamado teste de tolerância oral à glicose. Este teste é realizado quando uma mulher grávida é suspeita de ter diabetes gestacional.

Diagnóstico

Equipamento para medir glicemia

diagnóstico de diabetes é feito quando o paciente possui altos níveis de glicose no sangue. Este diagnóstico deve ser monitorado e medido com um exame anual de rotina ou um exame clínico. Além disso, são realizados testes para determinar a possível causa dos sintomas associados ao aumento da sede, micção e fome.

Verifique se existem fatores de risco, como história familiar de diabetes, obesidade, infecções frequentes ou qualquer outra complicação associada à diabetes.

Tratamentos

O tratamento da diabetes mellitus baseia-se principalmente em três aspectos: dieta, exercício físico e medicação. Em primeiro lugar, ela tem como objetivo manter os níveis de glicose no sangue em parâmetros normais para minimizar o risco de complicações causadas pela doença.

Em muitos pacientes com diabetes tipo 2, a medicação pode não ser necessária, desde que o excesso de peso seja controlado e um programa de exercícios físicos seja realizado regularmente. No entanto, em muitos casos, é necessária uma terapia de substituição com insulina ou a administração de hipoglicemiantes por via oral.

Finalmente, você deve saber que na maioria das vezes, a diabetes não se manifesta até depois de muitos anos de sofrimento desta doença. Geralmente se desenvolve silenciosamente e gradualmente ao longo do tempo. Desta forma, uma pessoa pode estar desenvolvendo a doença apesar de não ter nenhum sintoma.