Transpiração noturna: 5 causas que deveríamos saber

· 3 de dezembro de 2016
Mesmo que possa não ter relação com doenças graves, se experimentarmos transpiração noturna com frequência e sem um motivo justificado, é recomendável procurar um especialista para realizar os exames pertinentes.

A transpiração noturna somente será normal caso a temperatura ou a pressão ambiental estejam elevadas. Se estes fatores não estiverem presentes, estamos perante um sintoma do qual devemos descobrir a origem.

Acreditando ou não, suar em excesso durante a noite é um problema muito comum. Às vezes, não é nada mais do que o período de incubação de um resfriado ou de uma pequena infecção. E inclusive é um efeito muito recorrente durante a menopausa.

No entanto, é necessário ter um diagnóstico adequado sobre o problema. Como curiosidade informamos que existe uma Sociedade Internacional de Hiperidrose que conduz estudos para conhecer mais sobre a transpiração.

Mesmo que nem todas as pessoas que suam durante a noite sofram com hiperidrose, este é um problema muito recorrente nas consultas de atenção primária. Muitas vezes se deve à insônia, ao estresse ou também àquela ansiedade acumulada por não conseguir um sono reparador.

Contudo, em outros casos, existem doenças subjacentes de relativa gravidade que devemos tratar. A seguir explicamos 5 causas associadas a este sintoma.

1. A transpiração noturna e o efeito secundário de alguns fármacos

O excesso de transpiração durante a noite pode ser causado pelo efeito secundário de algum tipo de medicação.

Descubra quais são os 9 alimentos para combater o cansaço e a dor de cabeça

No Departamento de Psiquiatria da Universidade da Pensilvânia (Estados Unidos), foi demonstrado que muitos tratamentos para ansiedade e depressão geram um aumento de transpiração noturna. 

  • No entanto, não é comum em todos os pacientes. Somente entre 14 e 20% mostram um aumento excessivo de suor durante a noite (o pijama e os lençóis ficam empapados).
  • O consumo excessivo de fármacos para tratar a dor ou a inflamação também pode causar este efeito secundário.

Logo, não tenha dúvidas e procure o médico caso apresente qualquer sintoma ou efeito secundário associado a determinados medicamentos que estiver usando para tratar suas doenças.

transpiração noturna

2. O hipotireoidismo

Esta é, sem dúvidas, a causa mais comum da transpiração noturna. Além das alterações de temperatura, o hipotireoidismo pode apresentar outros sintomas muito evidentes como o cansaço, o ganho de peso e a fragilidade capilar.

  • Saiba que quando a glândula tireoide sofre alguma alteração associada ao hormônio tireoxina, nosso metabolismo é afetado. Uma das principais consequências é a intolerância ao calor e o excesso de transpiração.
  • Também notaremos palpitações quando estamos na cama, zumbidos nos ouvidos e episódios de insônia.

3. O linfoma de Hodgkin ou não Hodgkin

Falávamos no início que, em certos casos, a transpiração noturna é um indicador de alguns tipos de doenças mais graves. 

  • O linfoma de Hodgkin e o linfoma não Hodgkin são exemplos. Estamos ante um tipo de câncer que tem seu início nos linfócitos, os quais são parte indispensável do sistema imune.
  • O sistema linfático, formado pelo tecido linfático, os vasos linfáticos ou o baço, pode ser afetado neste tipo de doença, na qual a transpiração noturna é algo habitual.
  • Geralmente, o principal indicador que os pacientes com linfoma de Hodgkin ou não Hodgkin costumam experimentar é a inflamação de um gânglio da axila ou na virilha.

No entanto, vale a pena saber que é um tipo de doença oncológica que costuma responder bem ao tratamento e que tem uma alta expectativa de vida.

transpiração noturna

4. A hipoglicemia

A transpiração noturna também é um sintoma comum da hipoglicemia.

Os pacientes com diabetes tipo 1, por exemplo, costumam experimentar com muita frequência estes episódios de suor em excesso pela noite, por sofrerem desequilíbrios no nível de glicose.

Se isso ocorre, é por um motivo muito específico: o pâncreas não secreta insulina e, consequentemente, é produzida uma transpiração para equilibrar esta alteração interna.

Descubra também como preparar esta vitamina natural para combater a insônia

5. O refluxo gástrico ou uma má digestão

Certamente, já aconteceu alguma vez com você. Jantar em excesso ou comer algo que não caiu bem e, em um dado momento da noite, acordar com um grande mal-estar e completamente empapado.

  • É um modo que nosso corpo tem de reação perante um desequilíbrio, uma ameaça ou uma alteração interna.
  • Saiba também que a doença do refluxo gastroesofágico está relacionada com este sintoma.
  • A pessoa pode sentir esgotamento, dor no peito e algum problema para respirar. Se este for o seu caso e acontecer com muita frequência, procure um especialista.
  • Uma vez diagnosticada a doença, com um bom tratamento ganha-se qualidade de vida.
transpiração noturna

Para concluir, nunca “normalize” este tipo de sintoma. Suar à noite se não está calor não é algo normal. Procure seu médico e explique como se sente e o que acontece.

Sua saúde sempre em primeiro lugar. 

  • Mold, J. W., Holtzclaw, B. J., & McCarthy, L. (2012). Night Sweats: A Systematic Review of the Literature. The Journal of the American Board of Family Medicine. http://doi.org/10.3122/jabfm.2012.06.120033