Salbutamol: usos e efeitos colaterais

14 Novembro, 2020
O salbutamol é um fármaco agonista beta adrenérgico que possui alta afinidade pelos receptores beta-2. É usado principalmente para o tratamento e prevenção da asma e dos broncoespasmos em doenças pulmonares obstrutivas.

O salbutamol, também conhecido como albuterol, é um medicamento amplamente utilizado no tratamento da asma e da DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica). É administrado por inalação, com o objetivo de produzir um efeito direto no músculo liso dos brônquios.

Este medicamento começou a ser produzido em 1969 sob o nome de Ventolin, um estimulante seletivo dos receptores beta-2-adrenérgicos.

O que é DPOC?

Mulher com falta de ar

É importante conhecer estes termos para entender como o salbutamol funciona. A DPOC é, como o próprio nome indica, uma patologia crônica que afeta o fluxo de ar dos pulmões.

A causa do desenvolvimento desta doença geralmente está no contato com partículas tóxicas por um longo período de tempo. Uma dessas partículas é o tabaco. De fato, os fumantes são mais propensos a desenvolver essa doença. Além disso, os pacientes com DPOC também são mais propensos a sofrer de outras patologias, como câncer de pulmão ou doença cardíaca.

Quanto aos sintomas, o mais característico é a tosse diária. No entanto, os sinais geralmente não aparecem até que a doença esteja relativamente avançada e tenha causado danos significativos.

E a asma?

Esta doença afeta as vias aéreas, que se estreitam e inflamam, produzindo mais muco. Como resultado, o paciente pode ter dificuldade de respirar. Além disso, tosse, falta de ar e chiado no peito também são comuns.

Ainda não está claro por que algumas pessoas sofrem desta doença e outras não. Provavelmente é devido a uma combinação de fatores, ambientais e genéticos.

É importante saber que não há cura para a asma, mas os sintomas que ela produz podem ser tratados, e este é o objetivo do tratamento com salbutamol. Além disso, é necessária a colaboração do médico para monitorar os sintomas e os sinais e ajustar o tratamento conforme necessário.

Como o salbutamol exerce seu efeito no organismo?

Como o salbutamol exerce seu efeito no organismo?

O salbutamol interage com os receptores beta-2-adrenérgicos, que são os principais receptores da musculatura lisa dos brônquios. Quando esses receptores são ativados pela ação desse medicamento, uma série de reações bioquímicas são desencadeadas, causando o início da transdução de sinal.

Esse sinal faz com que os níveis de íons de cálcio, necessários para a contração muscular, diminuam, além de também diminuir o número de células inflamatórias nas vias aéreas. Dessa forma, consegue diminuir e combater os sintomas da asma e da DPOC, uma vez que são duas doenças que afetam o músculo liso dos brônquios.

Finalmente, devemos comentar que o salbutamol tem uma ação mais longa que o isoproterenol, outro medicamento com características semelhantes. A razão para isso é que o salbutamol não é um substrato enzimático para os processos de metabolismo celular.

Efeitos colaterais do salbutamol

O salbutamol, como todos os medicamentos existentes no mercado, produz uma série de efeitos adversos que devem ser levados em consideração ao iniciar o tratamento com ele.

Entre as reações adversas mais frequentes, podemos citar as seguintes:

  • Tremores.
  • Dor de cabeça.
  • Reações de hipersensibilidade em pessoas alérgicas ao medicamento ou aos componentes que ele contém.
  • Cãibras musculares transitórias.
  • Hiperatividade em crianças.
  • Nervosismo.
  • Insônia.

Além disso, devemos mencionar que estudos clínicos controlados e experiências clínicas demonstraram que o salbutamol inalado, assim como outras drogas beta-adrenérgicas, pode produzir efeitos cardiovasculares significativos, como o aumento da pressão arterial, alterações no ritmo cardíaco e alterações no eletrocardiograma.

Conclusão

O salbutamol é um fármaco agonista beta-adrenérgico que possui alta afinidade pelos receptores beta-2. É usado principalmente para o tratamento e prevenção da asma e dos broncoespasmos no tratamento de doenças pulmonares obstrutivas.

Você sempre deve seguir as recomendações do médico e contar se estiver tomando outro medicamento, pois eles podem interagir entre si e produzir efeitos indesejados.

Lembre-se também de que a asma e a DPOC não têm cura, mas podemos tratar os sintomas e melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

  • Ullmann, N., Caggiano, S., & Cutrera, R. (2015). Salbutamol and around. Italian Journal of Pediatrics. https://doi.org/10.1186/1824-7288-41-s2-a74
  • Patel, M., Pilcher, J., Reddel, H. K., Pritchard, A., Corin, A., Helm, C., … Beasley, R. (2013). Metrics of salbutamol use as predictors of future adverse outcomes in asthma. Clinical and Experimental Allergy. https://doi.org/10.1111/cea.12166
  • De Graaf, L. (2018). Salbutamol. Nursing. https://doi.org/10.1007/s41193/018/0045/1