Remédios caseiros para a onicomicose (mãos e pés)

· 6 de junho de 2014
Evite frequentar lugares úmidos e potencialmente perigosos, como os chuveiros das academias. Tente não compartilhar calçados para minimizar o risco de infecções.

A onicomicose. Pode ser que este termo te soe um tanto quanto estranho, mas se refere à infecção das unhas das mãos ou dos pés devido a ação dos fungos.

Os fungos são micro-organismos que, neste caso em especial, podem afetar as unhas dos pés ou das mãos. Mas, principalmente, atacam as unhas dos pés, visto que nessa região encontram situações mais agradáveis para sua reprodução.

Os pés geralmente ficam cobertos e são mais propensos a manter o calor e a umidade, algo ideal para estes invasores. Se, além disso, você sofre com o excesso de suor nos pés, os cuidados deverão ser maiores.

A infecção causada por fungos não se caracteriza precisamente por produzir dores, o que geralmente impulsiona as pessoas à consulta médica.

Esta afecção primordialmente apresenta sintomas como coceira, vermelhidão e descamação na pele em qualquer região do corpo.

E, referindo-nos especificamente às unhas, o que chama a atenção seriam as mudanças que ocorrem: elas tornam-se de cor mais escura, mais grossas, desprendem-se da pele, ficam mais frágeis e apresentam cheiro desagradável.

É bom estar ciente de que para as pessoas que sofrem com alguma doença que debilite o sistema imunológico, uma infecção por fungos torna-se bastante grave.

Ao contrário, se o seu sistema imunológico for resistente, o problema não será grave, mas sim muito incômodo.

Sempre é recomendável tratar qualquer tipo de doença logo no início, mesmo que não apresente maiores riscos, pois, se deixarmos o tempo passar, cada vez será mais difícil erradicar o problema, os tratamentos serão mais longos e, consequentemente, mais custosos.

Neste artigo, recomendaremos remédios caseiros, que ajudarão no tratamento de casos iniciais. Se os fungos em suas unhas, seja nas mãos ou pés, forem persistentes e os danos significativos, a melhor opção é a consulta com um especialista.

Prevenção da onicomicose

Hongos-uñas

A prevenção neste caso será a melhor das opções. Você deve ser muito cuidadoso com relação aos cuidados pessoais.

Lembre-se de que as coisas que mais agradam a estes micro-organismos são a escuridão, o calor e a umidade.

Portanto, não lhes ofereça um ambiente propicio para sua reprodução. Mantenha uma correta higienização das unhas de suas mãos e pés.

Mantenha as unhas curtas e limpas. Se preferi-las um pouco mais cumpridas, você deve cuidar ainda mais da higiene.

Realize limpezas periódicas, sem esquecer a correta secagem debaixo das unhas, mas sem gerar feridas. Se ferir seus dedos, os fungos também poderão se aproveitar e ingressar através da lesão.

Não compartilhe utensílios de uso pessoal, tampouco sapatos, meias, etc.

O tratamento médico para os fungos das unhas pode ir desde as aplicações tópicas, medicamentos por via oral e, em casos mais graves, retirada da unha afetada.

A seguir falaremos sobre alguns remédios caseiros que o ajudarão na luta contra a onicomicose.

Vinagre para a onicomicose

Vinagre-de-manzana-3

Submerja os pés durante 20 minutos em um litro de água morna e adicione uma xícara de vinagre de maça. Depois retire da água e seque minuciosamente.

Bicarbonato de sódio para a onicomicose

Prepare uma pasta com bicarbonato de sódio e água morna. Coloque-a nas regiões afetadas deixe atuar por várias minutos. Enxágue e seque corretamente.

Leia também: Como melhorar a saúde com uma mistura de bicarbonato de sódio e mel

Cebola

Cebolla

Você pode bater no liquidificador a cebola. Com um algodão, coloque o suco produzido pela cebola na unha afetada.

Conheça: Remédios com cebola roxa para combater os vermes intestinais

Azeite de orégano para a onicomicose

Realize a mistura de duas gotas de azeite de orégano mais uma colher de azeite de oliva. Aplique diretamente em suas unhas afetadas.

Estes remédios caseiros podem ser utilizados durante duas semanas, sempre e quando não produzirem reações desfavoráveis. Se os sintomas persistirem, consulte um médico ou podólogo. 

  • Zanardi, D., Nunes, D. H., Pacheco, A. D. S., Tubone, M. Q., & De Souza Filho, J. J. (2008). Avaliação dos métodos diagnósticos para onicomicose. Anais Brasileiros de Dermatologia. https://doi.org/10.1590/S0365-05962008000200003