A relação entre a coluna vertebral e os órgãos

· 30 de julho de 2018
Ao conhecer a conexão existente entre a coluna e determinados órgãos, poderemos compreender com mais facilidade a origem de muitas de nossas doenças, tanto físicas quanto psicológicas.

A coluna é nossa sustentação e graças a ela podemos realizar todas as nossas atividades cotidianas.

Cada vértebra tem uma tarefa específica e dentre todas elas, protegem o sistema nervoso central (formado pelo cérebro, pelos nervos e pela medula espinhal).

Neste artigo contaremos qual é a relação entre a coluna vertebral e os órgãos. É algo realmente muito interessante, então venha com a gente e não perca!

A coluna e sua importante função

O cérebro se encarrega de enviar os impulsos (ou ordens) através da medula e dos nervos raquídeos para que cada célula do corpo saiba o que fazer. Desta maneira todas as nossas funções vitais são mantidas.

A coluna vertebral se encarrega de proteger este sistema de comunicação entre a mente e os órgãos.

Por isso, quando há um deslocamento de vértebras, por menos que seja, um nervo se comprime e se transforma em um obstáculo para que as mensagens cheguem ao destinatário.

Assim, o funcionamento do corpo em geral depende da coluna.

As vértebras e sua relação com as emoções e as doenças

A dor nas costas é tão frequente que já não nos assusta. Pode acontecer quando ficamos muitas horas sentados em frente a um computador, quando dormimos mal ou levantamos objetos pesados.

Você sabia que as contraturas também estão relacionadas com os sentimentos e as emoções?

A sobrecarga nas costas tem muito a ver com como nos sentimos. Cada parte da coluna vertebral tem uma correspondência com um órgão, uma emoção e uma doença.

Recomendamos também o artigo: 6 hábitos que estão prejudicando seu pescoço

Região cervical

A dor na coluna vertebral se relaciona com a dor nos órgãos

Se localiza entre o crânio e os ombros e é composta por 7 vértebras (ao representá-las, cada uma é acompanhada com um C de cervical e um número para reconhecê-las).

A região cervical reflete o centro energético, a abertura para a vida e para a comunicação.

  • C1: é o suporte e equilíbrio da cabeça. Quando pressionada causa dores de cabeça, problemas para expressar as emoções ou desordens no sistema nervoso.
  • C2: conecta-se com os olhos, o nariz e o olfato. Se estiver rígida não podemos dizer o que nos acontece.
  • C3: está relacionada com os ossos, os nervos, a pele e o rosto. É conhecida como “a cervical solitária”.
  • C4, C5 e C6: trabalham em conjunto. Por isso, quando uma tem problemas, repercute nas demais. Se relaciona com a glândula tireoide, com as cordas vocais, com a faringe e a boca. Também com os ombros.
  • C7: a última das cervicais exerce sua pressão sobre os ombros, os cotovelos e as mãos.

Região dorsal

Relação da coluna vertebral e os órgãos

É composta por 12 vértebras e vai dos ombros até a cintura.

Nela se encontram os órgãos mais importantes e quando alguma das dorsais é pressionada isso é traduzido em um mau funcionamento vital, assim como em uma falta de energia nos membros inferiores.

  • D1: tem reflexos nas pontas dos dedos, cotovelos e na respiração (e por isso a asma ou as doenças pulmonares).
  • D2: é a vértebra do coração e dos pulmões, mas também das emoções e dos sentimentos.
  • D3: está relacionada como peito e com a respiração. Quando sentimos uma pressão nessa região, se traduz a nível emocional e físico.
  • D4: tem contato com a vesícula biliar, assim como os desejos, tentações e prazeres. Por estar no centro do corpo, tem a tarefa de equilibrar nosso dia a dia.
  • D5: a circulação sanguínea e o fígado estão representados por esta vértebra. Controla e carrega nossas ações e problemas.
  • D6: ativa a autocrítica e a aceitação das coisas que nos acontecem. Além disso, a sexta dorsal está relacionada com o estômago.
  • D7: está unida ao pâncreas e ao duodeno. Por sua vez, é a encarregada de nos lembrar que temos que dormir e relaxar.
  • D8: aloja as inseguranças e os medos e se conecta com o sangue e o baço. Está relacionada com a dor no diafragma.
  • D9: se há problema nesta vértebra ocorrem alergias e as emoções se tornam mais fortes. Está enlaçada às glândulas suprarrenais.
  • D10 e D11: estão relacionadas com os rins, os nervos, as tensões e as inseguranças.
  • D12: é muito importante, porque conecta-se com o cólon, o intestino grosso, as articulações e o sistema linfático. Nas mulheres também com as trompas de Falópio. Quanto aos sentimentos, está entrelaçada com a inveja e a crítica.

Região lombar

A coluna vertebral se relaciona com os órgãos da região lombar

As lombares são 5 e costumam doer bastante quando não mantemos uma boa postura ao nos sentarmos ou fazemos muita força no dia a dia. São a sustentação de nossa parte superior e a comunicação com a inferior.

Se relaciona com a sexualidade e a segurança em si mesmo.

  • L1: conecta com os intestinos e seu desequilíbrio causa prisão de ventre e indigestão. Canaliza a impotência e os conflitos internos.
  • L2: relaciona o abdômen e as perns. Quando está pressionada ou sobrecarregada nos sentimos sós.
  • L3: é a vértebra dos genitais e do sistema urinário. Também das articulações (principalmente dos joelhos).
  • L4: nos homens se conecta com a próstata. Também pode refletir problemas no nervo ciático.
  • L5: se reflete nos joelhos, nos pés e nas pernas.

Veja também: 4 coisas que seus joelhos dizem sobre sua saúde

Região sacral

Por último, esta região se compõe de 5 vértebras e é enlaçada aos desejos sexuais, a segurança e ao controle (S1 a S3). As vértebras S4 e S5 refletem problemas renais, infertilidade, desequilíbrios hormonais, má circulação ou obesidade.