O que fazer quando o seu parceiro sofre de depressão

6 de abril de 2020
A pessoa deprimida sente uma profunda tristeza e apatia. O apoio de seus entes queridos é fundamental para a recuperação. No entanto, é importante saber o que fazer e o que não fazer nesses casos.

Muitas vezes, em uma tentativa de ajudar uma pessoa deprimida, podemos, motivados por boas intenções, dizer ou fazer coisas que, na realidade, não ajudam. Na verdade, elas podem ter o efeito oposto. Por tudo isso, neste artigo damos algumas dicas a respeito do que fazer e dizer se o seu parceiro sofre de depressão.

A depressão

Mulher bipolar
É importante não culpar a pessoa com depressão pelo seu estado atual.

A depressão é um distúrbio emocional. É caracterizada por um sentimento de tristeza e apatia constantes, que pode levar à perda do interesse por praticamente tudo. Por esse motivo, é muito importante fornecer apoio, paciência e compreensão a quem está doente.

A depressão pode variar de temporária à crônica, ou de leve à grave. Alguns sintomas são:

  • Sentir-se triste, vazio
  • Sentir vontade de chorar
  • Perda de interesse na maioria das coisas que costumava fazer antes
  • Cansaço e falta de energia
  • Falta de apetite ou compulsão alimentar
  • Ansiedade e inquietação
  • Irritabilidade, explosões
  • Etc…

Por se tratar de uma condição de saúde, é aconselhável buscar o aconselhamento de um especialista o mais rápido possível para evitar complicações. Em casos graves, um tratamento farmacológico pode ser prescrito.

De qualquer forma, também é importante contar com o apoio e aconselhamento de pessoas queridas e de confiança.

Se o seu parceiro sofre de depressão e você não sabe o que fazer, o que dizer, ou o que perguntar, deve ter cuidado e se informar para poder oferecer o seu apoio da melhor maneira.

Você também pode se interessar: 10 sintomas que nos alertam para uma possível depressão

O que dizer e o que não dizer

O que fazer quando o seu parceiro sofre de depressão
A compreensão e a paciência devem ser as atitudes adotadas ao lidar com um parceiro com depressão.

Certamente, motivado pela sua boa intenção e pela necessidade de fazer com que seu parceiro se sinta melhor, você já pensou em dizer ou já disse:

  • “Isso é consertado com força de vontade”
  • “Você também precisa fazer alguma coisa, fazer sua parte”
  • “Saia mais e se distraia”
  • “Pense em tudo que você tem; você não tem motivos para estar assim”

No entanto, essas frases são altamente desencorajadas para uma pessoa com depressão. Esse tipo de afirmação simplifica e banaliza uma condição que não é simples, nem trivial. É como se a pessoa fosse obrigada a fazer um esforço que não pode fazer, ou que não desse importância a algo que, no entanto, a faz sofrer diariamente.

A pessoa com depressão já se atormenta, culpando-se por tudo que não pode fazer. Além disso, em muitas ocasiões, não consegue entender por que se sente assim. Portanto, não precisamos lembrá-la.

Então, o que podemos dizer a um parceiro que sofre de depressão são frases positivas e de apoio, tais como:

  • “O que eu posso fazer por você?”
  • “Estou do seu lado”
  • “Você não está sozinho”
  • “Não é sua culpa”
  • “Isso vai passar. Estarei ao seu lado”
  • “Eu te amo”

Dessa forma, seu apoio será incondicional, sem censuras involuntárias sobre a sua situação, sem fazê-lo se sentir culpado.

Recomendamos que você leia: 10 alimentos para melhorar o humor e combater a depressão

O que fazer se meu parceiro sofre de depressão?

Como ajudar alguém com depressão?
Ofereça apoio e presença ao seu parceiro. Nos casos mais graves, recomendar uma terapia é a melhor opção.

Há muitas coisas que você pode fazer para apoiar seu parceiro. Aqui estão algumas:

Tente entender

Você deve entender que a depressão não é um estado emocional que foi escolhido. Inclusive, a pessoa pode até não saber por que se sente assim. Não é culpa dela.

Paciência

A depressão é um distúrbio que pode se prolongar com o tempo. Por esse motivo, você também não deve desanimar. Pratique a paciência e a compreensão e continue a oferecer seu apoio e amor pelo tempo que durar o processo de recuperação.

Não o force a fazer as coisas

Como dissemos antes, a pessoa com depressão já se sente culpada por não conseguir fazer muitas coisas. Nesse sentido, tentar forçar a pessoa afetada a, por exemplo, sair ou fazer coisas novas, pode se tornar altamente contraproducente.

Preste atenção em tendências suicidas

Embora seja o caso mais extremo, algumas pessoas com depressão têm pensamentos suicidas. Por esse motivo, você deve prestar atenção aos seguintes sinais:

  • Falar sobre suicídio (“Não quero viver”, “Seria melhor se estivesse morto”, “Quero me matar”).
  • Adquirir meios de cometer suicídio.
  • Fazer um testamento, organizar seus pertences para entregá-los aos parentes, etc…
  • Dizer adeus aos entes queridos

Apesar disso, os sinais podem ser diferentes, e muitas vezes não são óbvios. De qualquer forma, esse tipo de pensamento requer atendimento especializado imediato.

Ofereça seu apoio

Como indicado acima, seu apoio deve ser incondicional, sem forçar ou fazer seu parceiro sentir que é incapaz de superar a doença. Em muitas ocasiões, não é necessário dizer nada, apenas estar lá, ao seu lado. Faça-o sentir que não está sozinho.

Por outro lado, também é importante que você promova o tratamento. Isto é, você poderia recomendar ao seu parceiro que inicie uma terapia para tratar a sua condição. No entanto, é preciso ter em mente que iniciar ou não uma terapia é uma decisão da pessoa afetada.

  • OMS. (2016). La depresión. Journal of Chemical Information and Modeling. https://doi.org/10.1017/CBO9781107415324.004
  • Álvarez Ariza, M., Atienza Merino, G., Ávila González, M., González García, A., Guitián Rodríguez, D., De las Heras, E., … Triñanes, Y. (2014). Guía de práctica clínica sobre el manejo de la depresión en el adulto. Ministerio de Sanidad, Servicios Sociales e Igualdad. https://doi.org/10.1109/LINDI.2012.6319475
  • Guadarrama, L., Escobar, A., & Zhang, L. (2006). Bases neuroquímicas y neuroanatómicas de la depresión. Revista de La Facultad de Medicina.
  • Consejo General de Colegios Oficiales de Psicólogos., Antonio; Salguero, José Martín; Mae Wood, Cristina; Dongil, Esperanza; Latorre, J. M. (2012). La depresión en atención primaria. Papeles Del Psicólogo, 33(1), 2–11. Retrieved from https://www.redalyc.org/html/778/77823404001/
  • Clínica Universitaria de Navarra. (n.d.). Depresión: Causas, síntomas y tratamiento. Retrieved January 17, 2019, from https://www.cun.es/enfermedades-tratamientos/enfermedades/depresion