Nesta vida eu mereço ser feliz

18 Setembro, 2020
Se nós mesmos não nos preocuparmos com o nosso bem-estar e a nossa felicidade, haverá pouquíssimas pessoas que o farão. Pense nisso!
 

Nesta vida mereço ser feliz e, embora esteja consciente de que talvez nem todos os meus sonhos se cumpram, me conformo em estar em equilíbrio, em paz e em tranquilidade, aceitando tudo de bom que surgir em meu caminho.

É um ato de egoísmo expressar em voz alta que eu mereço ser feliz? De jeito nenhum. Todos nós merecemos isso, assim como todos nós temos o direito de sermos amados, respeitados e valorizados.

Nenhum princípio vital tem tanta importância como focar nossa vida no sentido da felicidade. No entanto, há algo que devemos saber: não é preciso esperar que os demais “nos façam felizes”.

Ou seja, para ser feliz, é preciso começar atendendo a si mesmo.

Para ser feliz devo saber o que quero e o que não quero em minha vida

Na realidade, para ser feliz, não são necessárias muitas coisas. Quem pensa que a felicidade é ter uma longa sequência de zeros em sua conta corrente e um exército de amizades nas redes sociais, está errado.

Basta ter uma vida digna que nos permita ser independentes e nos rodearmos de pessoas que, de verdade, sejam significativas e importantes para nós.

Nesta vida eu mereço ser feliz

  • A felicidade é, às vezes, um ato de humildade e de conceitos mínimos. Ou seja, o principal é saber o que você quer, com o que se identifica e o que é prazeroso.
 
  • Manter, por exemplo, uma rotina na qual fazemos o que gostamos, onde nos sentimos orgulhosos  de nós mesmos é, sem dúvida, um grande presente.
  • Todo o resto será simplesmente “acessórios”, aspectos que podem nos trazer, às vezes, mais complicações do que benefícios.
  • Saber o que queremos de verdade nesta vida nem sempre é fácil. Requer primeiro ter vivido algumas experiências para ter claras certas diretrizes.
  •  Saber que há pessoas cuja personalidade não bate com a nossa, ou que nossa personalidade introvertida, por exemplo, valoriza ter poucas amizades em vez de muitas, são coisas das quais só costumamos nos dar conta com o tempo.

Leia também: O amor segundo o seu tipo de personalidade

Mereço ser feliz, valorizado e respeitado

Há algo essencial que nunca devemos esquecer: você já sabe o que merece e, visto que ama a si mesmo e cuida da sua autoestima, sabe que também merece o respeito dos demais.

Pode parecer algo óbvio, mas se não sentirmos amor próprio, podemos nos deixar manipular em algumas situações e nos levarmos por desejos alheios, por vontades alheias, até o ponto de colocar a nossa felicidade como uma responsabilidade dos outros.

Não vale a pena. Defenda o que é seu, defenda o seu caráter, seus espaços pessoais e sua escala de valores. Nesta vida, todos merecemos e devemos ser respeitados, além de valorizados.

  • Os pais devem oferecer reconhecimento e respeito aos seus filhos para que estes cresçam com segurança e felicidade. Dessa forma, eles poderão desenvolver uma boa autoestima, com a qual devem crescer no dia a dia;
 
  • Para ser feliz também precisamos ser valorizados e respeitados por nossos parceiros. Neste caso, além do amor próprio, é necessário que exista reciprocidade para estabelecer uma relação estável e feliz;
  • Ninguém é egoísta por expressar sua necessidade de ser respeitado. Merecemos respeito em nossas famílias, com nossas amizades, em nossos ambientes de trabalho e em nossas relações afetivas.

Recomendamos: Como melhorar a autoestima?

E, mais, já que cada um de nós respeita a si mesmo, somos capazes também de mostrar respeito pelos demais. Isso porque tratamos o restante das pessoas da mesma forma como gostaríamos de ser tratados.

Nesta vida você pode desejar ter uma casa maior, um parceiro atraente, atencioso e humilde, pode aspirar também ter um bom emprego. Pois bem, antes de todos estes desejos deve estar sempre o objetivo de ser feliz com aquilo que a vida nos trouxer.

Ser feliz é meu projeto de vida

É possível que não se cumpram todos os sonhos, mas a felicidade, na realidade, não são coisas. Ou seja, são momentos, pessoas e vivências.

Trata-se simplesmente de viver com os olhos abertos e o coração alegre, sabendo aproveitar o aqui e o agora da forma mais simples possível.

  • Não importa que você não tenha um amor ou muitos amigos. Basta estar bem consigo mesmo e contar com as pessoas que o fazem feliz e que são contadas somente nos dedos de uma mão.
  • A vida às vezes não é fácil e nos traz algumas adversidades. Por isso, outra dimensão essencial para ser feliz é cuidar de sua atitude frente aos acontecimentos.
 
  • A sua atitude é o mais importante que você carrega. É o que faz com que você seja capaz de enfrentar as coisas com valentia e otimismo.
  • Uma atitude positiva capaz de ver a realidade com clareza sabendo que há momentos ruins, mas também há outros bons, nos ajudará a sermos felizes em nosso dia a dia. Porque quem resiste e se prende acaba muitas vezes perdido na tristeza.
Eu mereço ser feliz

É preciso saber olhar adiante, priorizando um pouco mais a nós mesmos e sabendo amar tudo o que nos rodeia, com simplicidade e com humildade.

Nota: as informações aqui expostas podem não ser úteis no seu caso. Se precisar de ajuda profissional, recomendamos consultar um especialista em saúde mental.

 
  • Goffman, E. (2016). The presentation of self in everyday life. In Social Theory Re-Wired: New Connections to Classical and Contemporary Perspectives: Second Edition (pp. 482–493). Taylor and Francis Inc. https://doi.org/10.4324/9781315775357
  • Higgins, E. T. (1987). Self-Discrepancy: A Theory Relating Self and Affect. Psychological Review94(3), 319–340. https://doi.org/10.1037/0033-295X.94.3.319
  • Dambrun, M., Ricard, M., Després, G., Drelon, E., Gibelin, E., Gibelin, M., … Michaux, O. (2012). Measuring happiness: From fluctuating happiness to authentic-durable happiness. Frontiers in Psychology3(FEB). https://doi.org/10.3389/fpsyg.2012.00016
  • Ryff, C. D. (2005). Happiness is everything, or is it? Explorations on the meaning of psychological well-being. Journal of Personality and Social Psychology57(6), 1069–1081. https://doi.org/10.1037/0022-3514.57.6.1069
  • (2008). Retrieved 25 March 2020, from http://www.surgam.org/articulos/502/1.%20CURSO%20DE%20EDUCADORES%20AMIGONIANOS%202008/3.%20ELIJO%20SER%20EDUCADOR,%20TRABAJANDO%20LA%20MOTIVACION/3.3.%20AUTOCONCEPTO%20Y%20AUTOESTIMA.pdf