5 grandes mentiras da indústria alimentícia

· 2 de maio de 2018
Para cuidar da nossa saúde ao escolher nossa comida, é importante saber quais são as mentiras com as quais a indústria alimentícia nos seduz. 

Tudo que comemos e bebemos influencia nossa saúde. Portanto, não é incomum que nos últimos anos tenhamos começado a buscar alimentos mais saudáveis ​​e de melhor qualidade. Mas será que estamos atentos às mentiras da indústria alimentícia?

Nós tendemos a pensar que as marcas nos dizem a verdade sobre o que comemos, mas isso nem sempre acontece.

O problema é que existem algumas mentiras que ajudam as empresas a comercializar seus produtos sem realmente se comprometerem com o estilo de vida que queremos manter.

Entender os rótulos do que você come é fundamental se você quiser melhorar sua qualidade de vida e ter um maior controle do que está ingerindo.

Você faz isso? A seguir vamos contar quais são as mentiras da indústria alimentícia.

Principais mentiras da indústria alimentícia

1. Alimentos com baixo teor de gordura são mais saudáveis

Torrada com abacate e ovo

A primeira das grandes mentiras da indústria alimentícia são os produtos cujo rótulo anuncia que têm  “baixo teor de gordura “, “reduzidos em gordura” ou “sem gordura”. Esses produtos podem não ser tão saudáveis ​​quanto parecem.

Alimentos dos quais a gordura é removida muitas vezes perdem o sabor, ou têm um sabor desagradável. Se as empresas deixassem esses alimentos com seu sabor real, poucos gostariam de comê-los.

É por isso que esses alimentos geralmente são carregados de açúcar, alguns adoçantes artificiais e outros compostos químicos de origem artificial.

No final, o que eles fazem é trocar um aspecto negativo por outro, então eles acabam sendo versões ainda mais prejudiciais do que as regulares.

O ideal é que você aprenda a comer as versões normais dos produtos, mas com cuidado para não exagerar em suas porções. Por exemplo, em vez de usar uma colher de sopa inteira de manteiga para cozinhar os ovos, limite seu consumo a uma colher de chá ou mude para o óleo de abacate.

2. Alimentos “sem gorduras trans”

Outra das mentiras da indústria alimentícia é encontrada em alimentos processados ​​que incluem a frase “sem gorduras trans” em seu rótulo. A realidade é que, se um produto tem menos de 0,5 g de gordura trans por porção, as empresas podem colocar esse rótulo.

Portanto, quando você comprar um produto processado, verifique sua lista de ingredientes. Se entre os ingredientes você encontrar a palavra “hidrogenado”, então esse produto tem gorduras trans.

É bastante comum encontrar gorduras hidrogenadas em produtos rotulados como não tendo gorduras trans. Outra mentira da indústria de alimentos!

3. “Contém cereais integrais”

Cereais integrais

Nos últimos anos espalhou-se a ideia de que os alimentos integrais são as opções mais saudáveis ​​para nosso cardápio diário.

A realidade é que sim, eles realmente são melhores que os refinados. A mentira da indústria de alimentos é que a maioria dos produtos que consumimos são preparados com grãos muito refinados, ou com os integrais em pouquíssima quantidade.

  • Os cereais que indicam conter grãos integrais geralmente os incluem de forma muito pulverizada ou em farinha muito fina.
  • Este tipo de produto pode incluir todos os componentes do grão, mas são mais resistentes à digestão e causam picos de glicose no sangue.

Lembre-se de que o fato de um alimento processado conter pequenas quantidades de grãos integrais não o torna necessariamente saudável. Para determinar isso, verifique o rótulo e descubra se ele tem outros ingredientes, como açúcar ou xarope de milho de alta frutose.

4. Alimentos sem glúten são mais saudáveis

Manter uma dieta sem glúten se tornou uma tendência nos últimos anos. O problema é que nem todos deveriam adotar uma dieta desse tipo.

Outra das grandes mentiras da indústria alimentícia é que produtos rotulados como “sem glúten” nem sempre cumprem esta afirmação.

  • É comum descobrir que esses produtos são feitos com amidos altamente refinados, com alto índice glicêmico (como amido de milho ou batata) e com grandes quantidades de açúcar.

No caso de seu médico lhe ter dito que você tem intolerância ao glúten, é melhor consumir alimentos preparados por você, com ingredientes livres desse elemento.

Se você decidir comprar alimentos que sejam adequados para você, lembre-se de verificar o rótulo com cuidado. A última coisa que você quer é adicionar adoçantes artificiais ou gorduras trans à sua dieta.

5. “Sem açúcar”

Açúcar branco e mascavo

Com que frequência você verifica a lista de ingredientes do que você come? Além de fazer isso o tempo todo, você deve saber que o ingrediente que se encontra no topo da lista é o que está em maior quantidade.

A próxima das mentiras da indústria alimentícia é que muitas marcas trocam o açúcar normal por outros açúcares ou adoçantes.

Entre as opções que as marcas usam para adoçar estão:

  • Xarope de milho com alto teor de frutose
  • Lactose
  • Glucose
  • Suco de cana evaporado
  • Maltose
  • Sacarose

Todos esses nomes diferentes se referem a um único ingrediente: açúcar. A diferença está na sua origem.

Mesmo que esse ingrediente não esteja no topo da lista, é realmente difícil encontrar um produto livre dele, embora tenha sido provado que ele pode causar doenças crônicas.

Se você tem diabetes ou problema de pré-diabetes, verifique com seu nutricionista sobre os tipos e quantidades de açúcar que você pode consumir.

Entendemos que é complicado evitar completamente esse ingrediente e é precisamente por isso que você deve aprender a fazer a contagem de carboidratos que consome.

Você conhecia essas mentiras da indústria alimentícia? Qual delas é mais preocupante para você?