Língua negra pilosa: causas, sintomas e orientações

A língua negra pilosa quase sempre é o resultado de uma má higiene bucal. Não basta manter rotinas diárias de limpeza; é preciso realizá-las da maneira adequada.
Língua negra pilosa: causas, sintomas e orientações

Última atualização: 08 Julho, 2021

A língua negra pilosa, também chamada de “língua peluda”, é uma daquelas condições que parece alarmante sem ser um problema sério de saúde. Como o nome indica, é uma doença que se caracteriza por um tom escuro na língua, que parece ter pelos.

Na realidade, a língua negra pilosa é uma condição inofensiva e temporária. O comum é que se resolva simplesmente eliminando o fator que ocasiona o problema e que costuma estar relacionado com a higiene bucal. É muito raro que cause dor ou outros sintomas.

O que pode causar a língua negra pilosa?

De um modo geral, o problema da língua negra pilosa é causado pelo crescimento excessivo de bactérias na boca. Este órgão tem várias pequenas saliências em sua superfície, chamadas de papilas. Às vezes, células mortas da pele se acumulam sobre elas. Quando isso acontece, essas papilas se tornam mais longas do que o normal e as bactérias, fungos, alimentos e o tabaco se aderem a elas com mais facilidade.

Esse acúmulo de resíduos faz com que as papilas fiquem manchadas. É então que adquirem o aspecto característico da língua negra pilosa, ou seja, um tom escuro e a impressão ótica da presença de pelos.

Todo este processo pode ocorrer por diversos motivos, entre os quais podemos encontrar os seguintes:

  • Higiene bucal inadequada.
  • Ingestão de antibióticos, que alteram a composição das bactérias na boca.
  • Xerostomia ou boca seca.
  • Uso regular de enxaguantes bucais que contenham agentes irritantes ou oxidantes.
  • Consumo excessivo de álcool, café ou chá preto.
  • Tabagismo.
  • Dieta à base de alimentos moles e pastosos que dificultam a esfoliação das células mortas da língua.
Pessoa fumando cigarro
O tabaco pode aumentar as papilas, o que levaria a uma maior aderência da nicotina e à consequente mudança de cor.

Quais são os sintomas da língua negra pilosa?

O sinal distintivo da “língua peluda” é a mudança na aparência desse órgão. Ele adquire uma cor escura que pode ser preta, mas também marrom, verde, amarela, branca ou castanha.

Da mesma forma, à primeira vista, parece que a língua está coberta de pelos. As pessoas afetadas costumam sentir um gosto metálico na boca e mudanças no paladar. Também há mau hálito e, se o problema for muito grave, pode haver formigamento.

A língua negra pilosa não é um problema sério de saúde, apesar da aparência dramática que a condição assume. No entanto, se o problema gerar dúvidas ou preocupações, é melhor consultar o seu médico.

Da mesma forma, vale a pena ir ao médico se o distúrbio persistir por muito tempo, mesmo com medidas de higiene mais rigorosas. Nesses casos, é melhor descartar a existência de outro problema.

Você também pode estar interessado: Bolinhas na língua? Saiba o que fazer

Tratamento da língua negra pilosa

A língua negra pilosa não requer nenhum tratamento médico. As medidas cabíveis dizem respeito aos cuidados com a higiene ou a eliminação dos fatores causadores do problema, como enxaguantes com compostos irritantes e tabagismo.

No entanto, se não estiver claro o que está acontecendo ou se surgirem outros sintomas, é melhor ir ao médico para confirmar o diagnóstico. É importante observar que existem outros fatores que geram sintomas semelhantes, como os seguintes:

  • Alguns alimentos ou medicamentos mancham a língua.
  • Pode ser uma manifestação de doença viral ou fúngica.
  • Algumas lesões causam alteração na aparência da língua, como a leucoplasia peluda.
  • Produtos que contêm bismuto podem alterar a aparência, tornando-a semelhante a uma língua negra pilosa.

Dicas caseiras para tratar e prevenir o desenvolvimento desta doença

Mulher escovando os dentes
A higiene bucal é a chave para impedir o aparecimento da língua negra pilosa.

Em primeiro lugar, é importante identificar o fator que causa a “língua peluda”. Se o problema ocorreu devido à ingestão de antibióticos, o lógico é pensar que o problema desaparecerá alguns dias após a suspensão dos mesmos.

É importante verificar a composição do enxaguante bucal utilizado. Em princípio, você pode escolher outro com uma fórmula diferente. Em todo caso, o importante é ser mais rigoroso com a higiene bucal:

  • Escove a língua: o gosto da pasta de dente pode dar a falsa impressão de que a língua está limpa, mas não está. É melhor escová-la sem muita energia, usando uma escova de cerdas macias ou um raspador de língua.
  • Escove os dentes depois das refeições: o ideal é usar creme dental com flúor e escovar após as refeições, ou pelo menos duas vezes ao dia.
  • Use fio dental: deve ser usado pelo menos uma vez ao dia, pois ajuda a remover a placa bacteriana e os restos de comida entre os dentes.
  • Visite o dentista: pelo menos duas vezes ao ano ou se notar algo anormal.

Intensificar a higiene

Se você detectar a língua negra e com a aparência de pelos, é melhor intensificar as rotinas de higiene bucal. A escovação da língua deve ser feita duas vezes ao dia. Assim que o problema desaparecer, faça-o pelo menos uma vez por dia.

Por outro lado, uma boa solução é usar um enxaguante bucal feito de peróxido de hidrogênio e água. A diluição é feita com uma parte de peróxido para cinco partes de água. Use este composto duas vezes ao dia e, logo depois, enxágue novamente com água regular.

Pode interessar a você...
Pontos pretos na língua, o que significam?
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Pontos pretos na língua, o que significam?

Os pontos pretos na língua podem ser originados por diferentes causas. O tabaco e a má higiene bucal podem ser causadores.



  • EXPERTO, P. A. U. (2007). Tengo mal aliento: ¿a qué puede deberse?, ¿qué puedo hacer?, ¿qué me recomienda? Cient. dent, 4(1), 61-68.
  • Villalobos, O. J., Salazar, C. R., & Ramírez de Sánchez, G. (2001). Efecto de un enjuague bucal compuesto de aloe vera en la placa bacteriana e inflamación gingival. Acta odontológica venezolana, 39(2), 16-24.
  • Cardona-Hernández, M. Á., Padilla-Desgarennes, M. D. C., Fernández-Cuevas, L., Salazar-Villegas, K. N., & Landini-Enríquez, V. (2019). Lengua negra vellosa. Comunicación de un caso. Revista del Centro Dermatológico Pascua, 27(3), 92-95.
  • Van der Waal, Isaäc. “Leucoplasia oral: una propuesta de simplificación y coherencia de la clasificación clínica y terminológica.” Medicina oral, patología oral y cirugía bucal. Ed. española 25.4 (2020): 228-232.