Hipermagnesemia ou altos níveis de magnésio

19 de novembro de 2019
A hipermagnesemia é uma condição médica que pode ter sérias consequências e até levar à morte. Geralmente ocorre em pessoas com insuficiência renal, mas também naquelas que consomem medicamentos ou suplementos com excesso de magnésio.

A hipermagnesemia é definida como uma concentração excessivamente alta de magnésio no sangue. O valor normal desse elemento em um adulto é de 1,5 a 2,5 mEq / l. Quando excede esse intervalo em testes de laboratório, fala-se de hipermagnesemia.

A presença de hipermagnesemia implica na existência de um desequilíbrio hidroeletrolítico no organismo. O magnésio é um dos eletrólitos do corpo. Isso significa que ele carrega uma carga elétrica quando é dissolvido em fluidos corporais. No entanto, a maior parte do magnésio no corpo não possui carga elétrica.

O magnésio no organismo

Cristais de magnésio

O magnésio é um elemento fundamental para todos os seres vivos. Constitui-se um nutriente mineral essencial para a vida. Está presente nas células e desempenha um papel definitivo no equilíbrio e no bom funcionamento do organismo.

Existem mais de 300 enzimas que requerem o magnésio para desempenhar algumas de suas funções mais importantes. Em princípio, são as próprias células que regulam o fluxo de magnésio. A partir daí, esse elemento ativa e modera as diferentes reações bioquímicas do corpo.

Manter os níveis de magnésio normais é essencial para a saúde. A deficiência ou excesso desse elemento pode causar problemas no coração e/ou sistema nervoso. Portanto, a hipermagnesemia é uma condição delicada, que pode ter consequências muito graves.

Causas da hipermagnesemia

Os rins são os órgãos responsáveis ​​pela excreção de magnésio. Por isso, qualquer condição anormal ou qualquer dano nesses órgãos pode causar a hipermagnesemia. As principais causas dessa doença são as seguintes:

  • Insuficiência renal: é a causa mais frequente da hipermagnesemia. A insuficiência renal impede que o magnésio seja excretado normalmente.
  • Ingestão excessiva de magnésio: a alimentação ou o uso excessivo de algumas substâncias, como laxantes, antiácidos ou alguns suplementos alimentares, pode causar esse problema.
  • Quimioterapia: algumas quimioterapias levam ao desenvolvimento da síndrome de lise tumoral. Por sua vez, esta aumenta os níveis de magnésio.
  • Queimaduras profundas.
  • Outras doenças crônicas: por exemplo, o hipotireoidismo e a doença de Addison.

Você pode estar interessado também: 11 razões pelas quais você precisa incluir magnésio em sua dieta

Sintomas e diagnóstico da hipermagnesemia

Magnésio ajuda a estabelecer sinapses

O diagnóstico da hipermagnesemia é feito por exames de sangue. Por exemplo, quando os níveis de magnésio estão apenas levemente elevados, não ocorrem sintomas reconhecíveis. Agora, se o índice de magnésio continuar aumentando, os seguintes sintomas provavelmente aparecerão na pessoa afetada:

  • Fraqueza muscular.
  • Vômitos e náuseas
  • Dor de cabeça.
  • Batimento cardíaco irregular ou lento.
  • Calor e vermelhidão no rosto.
  • Sonolência.
  • Tonturas, desmaios e/ou reflexos lentos.
  • Respiração lenta.
  • Paralisia muscular

Quando uma pessoa tem hipermagnesemia e fica adormecida, sem que seja possível despertá-la, ou apresenta muita dificuldade para mover os braços e as pernas, deve dirigir-se imediatamente ao hospital. Além disso, se a respiração e a frequência cardíaca forem lentas e houver sonolência e fraqueza muscular, é aconselhável consultar o médico o mais rápido possível.

Leia também este artigo: Aprenda a preparar água de magnésio para controlar a ansiedade e o peso corporal

Tratamento da hipermagnesemia 

Primeiramente, o tratamento para o alto nível de magnésio no sangue depende inteiramente da causa que o produz. Assim então, aqueles que sofrem de insuficiência renal, que são o grupo mais afetado, devem seguir um rigoroso controle médico sobre os medicamentos que consomem, e seu estado geral de saúde. Frequentemente, nesses casos, se recorre à diálise.

A diálise renal é um tratamento que ajuda os rins a eliminar algumas sustâncias químicas, bem como os resíduos do sangue, quando os rins não conseguem cumprir essa função por si mesmos. Às vezes, a diálise não é necessária, mas um tratamento farmacológico é suficiente para corrigir a situação do paciente afetado por esta doença.

Geralmente, são prescritos gluconato de cálcio ou diuréticos. O medicamento deve ser aplicado de forma rigorosa. Em geral, laxantes ou antiácidos contendo magnésio devem ser evitados. Por outro lado, caso a pessoa doente tenda a constipar, é melhor regular essa situação através de uma dieta equilibrada, rica em fibras.

Finalmente, é sempre conveniente consultar o médico sobre os medicamentos que devem ser usados, mesmo que sejam vendidos sem receita. Também é necessário tomar suplementos contendo magnésio somente após consultar o médico. Os mesmos devem ser mantidos fora do alcance das crianças.

  • Crawford, A., & Harris, H. (2012). Un equilibrio necesario Hipomagnesemia e hipermagnesemia. Nursing (Ed. española), 30(2), 24-27.
  • Blanchard, A. (2007). Metabolismo normal y patológico del magnesio. EMC – Tratado de Medicina. https://doi.org/10.1016/s1636-5410(07)70616-5
  • Blanchard, A., & Vargas-Poussou, R. (2015). Alteraciones de la magnesemia. EMC – Tratado de Medicina. https://doi.org/10.1016/s1636-5410(15)74685-4