7 formas de gaslighting que você certamente não conhece

O gaslighting faz a pessoa começar a duvidar de si mesma, das suas percepções, emoções e sentimentos. Portanto, ela fica vulnerável a abusos e manipulação. Mostramos como identificá-lo.
7 formas de gaslighting que você certamente não conhece

Última atualização: 02 Outubro, 2021

Nosso relacionamento com outras pessoas deve ser um lugar seguro, agradável e enriquecedor. Infelizmente, o abuso está mais presente do que podemos imaginar. Quando se baseia em agressões ou comportamentos claramente visíveis, é mais fácil para a vítima e as pessoas próximas identificarem o que está acontecendo. No entanto, o que acontece quando a violência ocorre em um nível sutil e ambíguo? Como identificar as formas de gaslighting?

Nos últimos anos, houve um grande avanço no nível social na exposição e condenação do abuso emocional. Portanto, cada vez mais pessoas conseguem identificar quando estão sofrendo e decidem pedir ajuda.

No entanto, o gaslighting nem sempre é identificado como tal. Sua dinâmica se baseia, justamente, em confundir a vítima e privá-la da sua capacidade de confiar em si mesma.

Talvez você já tenha ouvido esse termo antes ou este seja seu primeiro contato com ele. Em todo caso, queremos explicar algumas das suas manifestações mais comuns, embora mais difíceis de detectar, para que você possa agir caso se depare com ele.

O que é o gaslighting?

Gaslighting é um tipo de abuso psicológico ou emocional que consiste em confundir a vítima e levá-la a duvidar de si mesma, das suas percepções, da sua memória e até da sua sanidade. O termo vem da peça de 1938 e do filme subsequente de 1944 com o mesmo nome.

Nele, o protagonista consegue isolar e desestabilizar mentalmente a esposa ao manipular a iluminação e os sons da sua casa. Então, ele nega que esses fenômenos estejam ocorrendo. Dessa forma, ela começa a acreditar que está enlouquecendo.

Da mesma forma, quem sofre com o gaslighting acaba se desconectando de si mesmo, das suas intuições e instintos. Eles começam a duvidar do seu próprio raciocínio e acabam sob o controle e manipulação do agressor.

Esse fenômeno pode ocorrer em relacionamentos de qualquer tipo, embora seja especialmente prejudicial quando ocorre em laços emocionais íntimos, como aqueles mantidos por casais ou pais com seus filhos.

Os níveis nos quais esse abuso é aplicado podem variar, e suas manifestações vão desde as mais visíveis às mais sutis. Assim, você poderá conhecer algumas das suas principais características, como o fato de o agressor acusar a vítima de ser louca ou excessivamente sensível, ou de mentir mesmo na presença de provas. No entanto, queremos falar sobre outros tipos de situações relacionadas.

Algumas formas de gaslighting que você pode ter ignorado

O gaslighting ocorre de forma gradual e progressiva, de forma que quem o sofre não percebe o que está acontecendo. Além disso, algumas das suas manifestações podem ser confundidas com o que acontece frequentemente em muitos relacionamentos.

1. Projeção

Você já sentiu que seu parceiro coloca em você sentimentos, pensamentos ou ações que não são seus? Além disso, você percebe que ele tende a transferir para você os fracassos, as deficiências e as más atitudes que pertencem a ele? Isso é o que se chama de projeção e é um dos mecanismos envolvidos no abuso emocional.

A pessoa infiel acusa constantemente seu parceiro de traí-lo; a pessoa controladora repreende a outra pelo seu controle; e aquele que é abusivo e tóxico convence seu parceiro de que, na verdade, é ele que tem atitudes prejudiciais ao relacionamento.

Isso soa familiar para você? Com isso, a pessoa consegue se livrar da responsabilidade pelos seus atos e desviar a atenção de si mesma, uma vez que o outro tem que focar suas energias em se defender dos ataques que recebe.

Casal discutindo
A projeção envolve jogar as próprias culpas no outro para tirar a atenção do foco real.

2. Isolamento

Para algumas pessoas, é natural se afastar ou negligenciar seus amigos e familiares quando têm um parceiro. Embora isso seja prejudicial em todos os casos, quando é motivado pelas intenções ocultas do outro, é sem dúvida um sinal de alerta.

Se o seu parceiro tenta convencê-lo de que seus entes queridos não o amam, não se importam com você, mentem para você ou não o levam em consideração, tome cuidado! Dessa forma, ele consegue fazer com que você desconfie de todos, priva-o de outros laços sociais e leva-o a uma relação de dependência na qual você não tem mais ninguém. Sem apoio externo, você fica muito mais exposto e vulnerável ao abuso crônico.

3. Destruição da identidade

Você abandonou seus hobbies e gostos desde que começou um relacionamento? Suas opiniões, seu estilo ou suas prioridades foram transformados? Você pode pensar que este é um processo natural e necessário para um casal funcionar, mas na realidade é uma verdadeira armadilha.

A pessoa que aplica o gaslighting aos poucos convence sua vítima de que tudo o que ela acredita, sente, decide ou gosta é impróprio. Assim, destrói a identidade da outra pessoa, deixando-a sem condições de decidir e pensar por si mesma.

Discrepâncias são normais em qualquer vínculo humano, mas esperamos que o diálogo e a negociação nos ajudem a chegar a um terreno comum. Quando há uma dinâmica de violência emocional, as conversas assertivas e racionais primam pela ausência.

Um parceiro se recusa a ouvir os pedidos e sentimentos do outro ou oferece respostas vagas e confusas que desviam o assunto.

Não importa quão sólidos sejam seus argumentos ou quão razoáveis sejam suas afirmações, a outra pessoa conseguirá reverter a situação, invalidar seus sentimentos e continuar com a mesma dinâmica. Não haverá reflexão, mudança ou reconhecimento da culpa.

5. Busque aliados

É comum que ambos os membros desabafem com uma pessoa de confiança antes da discussão de um casal, exponham sua situação e busquem conselhos. Porém, quem pratica o gaslighting tenta convencer o ambiente de que seu parceiro é louco ou irracional.

Com isso, ele consegue que o restante do grupo de amigos ignore as reclamações ou pedidos de ajuda da vítima. Além disso, aumenta a sensação de que ela realmente perdeu a sanidade.

No final das contas, se ninguém parece ver o quão prejudicial ou injusta é a sua situação, se todos parecem se alinhar com a versão do seu parceiro, talvez seja você quem realmente tenha a percepção errada.

6. Culpa

O seu parceiro o responsabiliza por todas as discussões e conflitos? Ele aponta você como o culpado por todas as suas atitudes e comportamentos ruins? Esta é uma dinâmica perigosa, pois o coloca em uma posição de desamparo.

Se o seu parceiro o maltrata, desrespeita ou prejudica de alguma forma, não apenas você não pode reclamar, mas também deve assumir que foi a causa do acontecimento. Aconteça o que acontecer, você será responsável. Se você está fazendo alguém que o ama se comportar tão mal, deve haver grandes falhas em você.

Se você tende a chegar a esse tipo de conclusão, peça ajuda. Obviamente, você está sofrendo abusos emocionais e esta situação pode ser muito perigosa. Lembre-se sempre de que somente você é responsável pelas suas ações.

7. Anulação da pessoa

O destino final de uma relação em que há gaslighting é a anulação de quem o sofre. O esgotamento psicológico, a confusão, os ataques e a falta de clareza acabam por esgotar seu instinto de preservação e luta.

Por fim, ela cede à manipulação, perde a autoconfiança e acaba acreditando na versão e na palavra do agressor. Quando a dúvida é tão grande, quando a imagem de si mesmo não é mais estável, a única solução parece ser renunciar e ceder à exaustão.

Mulher sendo manipulada
O objetivo final desse abuso emocional é a diluição da personalidade, com uma baixa autoestima que é muito perigosa.

A maneira como você se sente ajuda a identificar o gaslighting

Se você se concentrar em identificar o abuso do seu parceiro, pode cair na confusão, nas dúvidas e nas desculpas que sustentam todos esses tipos de dinâmica. Portanto, se você quiser saber se está sofrendo de gaslighting, pergunte-se como você se sente.

Você duvida de si mesmo com frequência? Você acha que não pode confiar nas suas percepções, instintos ou emoções? Você presume que é excessivamente emocional ou exagerado? Você perdeu a conexão com quem você era, com aqueles que te amam e com o que você amava fazer?

Se sua resposta às perguntas anteriores for sim, é muito provável que você esteja sofrendo abuso psicológico. Nesse caso, é fundamental que você busque ajuda do seu ambiente próximo e de profissionais qualificados.

As consequências dessas formas de gaslighting afetam a identidade, a autoestima e a confiança. Elas requerem todo um processo para serem curadas. No entanto, este é o caminho para a libertação e a reconexão com aquela parte essencial de você que o abuso o levou a perder.

Pode interessar a você...
5 dicas para evitar ser vítima de manipulação
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
5 dicas para evitar ser vítima de manipulação

Aprender a estabelecer limites e reconhecer suas próprias emoções são pilares para evitar ser vítima de manipulação. Saiba mais aqui!



  • Galán, J. S., & Figueroa, M. R. (2017). Gaslighting. La invisible violencia psicológica. Uaricha14(32), 53-60.
  • Sarkis, S. M. (2018). Gaslighting: Recognize Manipulative and Emotionally Abusive People–and Break Free. Hachette UK.
  • Calef, V., & Weinshel, E. M. (1981). Some clinical consequences of introjection: Gaslighting. The Psychoanalytic Quarterly50(1), 44-66.