Doação de leite materno: tudo que você precisa saber

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o leite materno salva 800 mil vidas por ano. Doá-lo é um ato de altruísmo com muitos benefícios.
Doação de leite materno: tudo que você precisa saber

Última atualização: 26 Junho, 2021

A amamentação nem sempre é um processo possível para todas as mulheres. Mas não se preocupe, pois hoje existem muitas alternativas viáveis ​​para alimentar seu bebê, como os bancos de doação de leite materno.

O leite materno contém todos os nutrientes de que o bebê necessita até os 6 meses de idade, por esse motivo, é recomendado como único alimento durante este período.

Está comprovado que o leite materno previne infecções e alergias e atende a todas as necessidades nutricionais para promover o desenvolvimento e crescimento do recém-nascido. Se você quiser mais informações sobre a doação de leite materno, confirmadas por especialistas e estudos, fique conosco e continue lendo este artigo.

Qual é a importância da doação de leite materno?

Doar leite materno é importante porque salva vidas. Como já mencionamos, existem diferentes situações em que as mulheres não conseguem suprir essa necessidade de seus bebês.

O dia 19 de maio é reconhecido como o Dia Mundial da Doação de Leite Humano. Essa designação surge com o objetivo de sensibilizar a população sobre a importância de fazê-lo, uma vez que esse gesto salva a vida de muitos bebês prematuros e favorece o bom desenvolvimento das crianças atendidas em todo o mundo.

Segundo a Organização Pan-Americana da Saúde e a Organização Mundial da Saúde (OPAS e OMS), o consumo desse alimento é considerado vital para o crescimento e desenvolvimento dos bebês.

A boa notícia é que existem inúmeros bancos de leite espalhados por 37 países em todo o mundo. A doação de leite materno é uma ação com fins altruístas. O processo é simples e a tendência é construir mais bancos para expandir essa prática.

Aleitamento materno
A amamentação é um ato essencial para o crescimento das crianças e das populações. Quando uma mãe não consegue amamentar, ela pode recorrer a um banco de leite materno.

O que são os bancos de leite e como eles funcionam?

A Associação Espanhola de Bancos de Leite Humano (AEBLH) define estes tipos de organizações como centros especializados responsáveis ​​pela promoção do aleitamento materno, onde o leite humano doado por mães selecionadas é recebido, processado, analisado, armazenado e distribuído.

Após uma interrupção na criação e uso de bancos de leite humano na década de 1980, eles se recuperaram, permitindo a salvação de muitas vidas de recém-nascidos. Acredite ou não, esses casos são bastante comuns.

Quer saber como funcionam os bancos de leite humano? Este costuma ser o procedimento:

  • Seleção: todas as doadoras de leite materno são selecionadas e devem passar por entrevista com os responsáveis ​​da instituição. É importante saber se a doadora sofre de alguma doença transmissível, se consome certos medicamentos ou possui hábitos não saudáveis.
  • Kits de coleta: em muitos casos, as doadoras selecionadas recebem kits de coleta, recipientes e etiquetas de identificação, bem como treinamento a respeito de como coletar.
  • Processamento: o armazenamento também ocorre nesta mesma etapa. É um ambiente estéril no qual se realizam testes microbiológicos para garantir que não há patógenos. Conserva-se o material em freezer até a hora indicada para a entrega.
  • Distribuição: é importante ressaltar que a única forma de obter o leite materno é por meio de receita médica.

O que devo levar em consideração antes de fazer a doação de leite materno?

Uma das perguntas mais frequentes antes de começar a doar leite materno é se o seu próprio bebê ficará sem leite. É essencial que você saiba que isso não vai acontecer.

Fique tranquila, pois seu filho continuará recebendo a quantidade necessária para um ótimo desenvolvimento. A extração do leite aumentará a sua produção e você poderá cobrir ao máximo toda a demanda típica dos primeiros 6 meses do seu bebê.

Exames de sangue

Além da entrevista com um funcionário específico do banco de leite, você não pode doar se sofre de doenças ou infecções que são transmitidas através do aleitameto, como HIV, sífilis, hepatite C ou hepatite B. Por isso, será feito um exame de sangue para descartar a existência de qualquer um deles.

Trabalho altruísta

Outro fato interessante é que não há recompensa financeira por ser doadora de leite materno. É um trabalho altruísta, só para aquelas mães que querem ajudar outros bebês e até mulheres que não podem oferecer este alimento aos seus próprios filhos.

Porém, a maior satisfação é poder ajudar as crianças que tanto precisam. Qualquer mãe saudável com um bom estilo de vida você fazer isso!

Bons hábitos

Certifique-se de respeitar o fato de ter um estilo de vida saudável, alimentar-se corretamente, não sofrer de doenças que sejam de risco devido à sua transmissão e ter todo o desejo de colaborar, pois sem dúvida há muitos bebês que precisam do leite materno para sobreviver.

Em caso de dúvidas, entre em contato com os centros de atenção dos bancos de leite humano mais próximo de sua casa.

De acordo com a OMS, o Brasil possui a maior e mais complexa Rede de Bancos de Leite Humano (rBLH) do mundo, com mais de 225 bancos em todos os estados do território nacional.

Descubra também: Como conservar o leite materno

Não é doloroso

A menos que seus mamilos estejam machucados ou rachados, o processo de extração do leite materno não é doloroso. Existem equipamentos de extração elétrica que permitem que você ajuste a velocidade até chegar a uma com a qual se sinta confortável.

Há vários blogs de maternidade em que as mulheres garantem que uma boa opção é usar um óleo ou lubrificante especial para a região, para evitar que a pele fique sensível.

Como é o procedimento para ser doadora?

Tornar-se uma doadora de leite materno é um processo relativamente simples. A entrevista com a equipe de atenção do banco pode ser até por contato telefônico.

Nesta entrevista você terá que responder perguntas sobre seu histórico médico e outras para saber se você usa drogas ou não. Na maioria das vezes, um clínico geral deve indicar os exames e um relatório positivo sobre ele.

Se você já conhece um banco de leite materno próximo da sua casa, pode contatá-lo por telefone e marcar uma entrevista. Em seguida, vem o processo de extração; o mesmo banco envia para você os kits de coleta e todos os suprimentos necessários para que você possa fazer isso em casa. Esses produtos vêm com instruções detalhadas.

Como conservar o leite depois da extração?

Depois de extrair o leite, você terá que colocá-lo em recipientes marcados com rótulos que incluem seu número de doador exclusivo. Estes podem ficar no freezer por 2 meses, mas o tempo pode variar dependendo do que você tiver agendado com o banco.

Posteriormente, o transporte é uma questão que o banco e a mãe combinam. O leite materno deve ser transportado dentro de uma geladeira ou caixa térmica, para não interromper a cadeia de frio.

Caso esteja descongelando, deve-se despejar um pouco de gelo no recipiente para mantê-lo intacto e não permitir que se danifique, pelo menos até que chegue ao centro de coleta.

Como você pode ver, tornar-se uma doadora é um processo simples que você pode realizar em sua própria casa. Não se preocupe, pois nunca faltará assessoramento.

Se tiver dúvidas, entre em contato com a equipe do banco de leite, que estará sempre pronta para auxiliá-la neste processo. A melhor parte é que você estará ajudando a salvar a vida de muitos bebês!

Bebê prematuro
Bebês prematuros com peso inferior a 1.500 gramas podem exigir a doação de leite materno para sobreviver.

Quem vai receber o leite desses bancos?

O leite dos bancos é recebido por recém-nascidos de baixo peso, principalmente os que pesam menos de 1500 gramas, mas também é necessário para crianças com riscos de doenças digestivas e infecciosas. Na maioria desses casos, o objetivo é reduzir as chances de óbito neonatal.

Devemos destacar que, para receber leite dessas entidades, o bebê deve ter receita médica; seja por causas importantes ou porque sua mãe não tem possibilidades de alimentá-lo. Em alguns casos, ele também pode alimentar bebês que foram submetidos a cirurgias no sistema digestivo.

A doação de leite materno muda o mundo

O leite materno também é um remédio. Apesar de não haver uma remuneração financeira, o melhor “pagamento” é a satisfação de ajudar a salvar vidas. Na verdade, em alguns casos, a extração significa o alívio da dor para mulheres com alta produção de leite.

Lembre-se de que seu bebê nunca ficará sem leite; você continuará atendendo a demanda do seu filho e, ao mesmo tempo, garantirá que outras crianças tenham uma melhor qualidade de vida dentro ou fora do hospital. Vá em frente e peça indicações ao pessoal do banco de leite mais próximo.

Pode interessar a você...
Como fazer o leite descer depois da cesárea?
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Como fazer o leite descer depois da cesárea?

Neste artigo, vamos falar sobre como fazer o leite descer depois da cesárea e também sobre como estimular a sua produção



    • Lactancia Materna [Internet]. OPS Organización Panamericana de la Salud. 2020 [citado 16 enero 2021]. Disponible en: https://www.paho.org/hq/index.php?option=com_docman&view=list&slug=lactancia-materna-1331&Itemid=270&lang=es
    • Bertino, Enrico, et al. “Benefits of donor human milk for preterm infants: current evidence.” Early human development 85.10 (2009): S9-S10.
    • Importancia de los bancos de leche [Internet]. Vygon, Value Life. 2020 [citado 16 enero 2021]. Disponible en: https://campusvygon.com/dia-mundial-de-la-donacion-de-leche-materna/
    • Bertino, Enrico, et al. “Benefits of donor human milk for preterm infants: current evidence.” Early human development 85.10 (2009): S9-S10.
    • Heiman, Howard, and Richard J. Schanler. “Benefits of maternal and donor human milk for premature infants.” Early human development 82.12 (2006): 781-787.
    • Williams, Thomas, et al. “Use of donor human milk and maternal breastfeeding rates: a systematic review.” Journal of Human Lactation 32.2 (2016): 212-220.