7 dicas para não ganhar peso na menopausa

20 de dezembro de 2017
Ao chegar na menopausa é essencial aumentar o consumo de água, assim como a atividade física, a fim de combater o excesso de peso e as doenças associadas a ele.

As mudanças hormonais que ocorrem nesta etapa da vida podem fazer com que as mulheres ganhem alguns quilos a mais, mas podemos seguir alguns conselhos para não ganhar peso na menopausa.

A redução da produção de estrogênio e progesterona altera a atividade do metabolismo e, além de aumentar a tendência de acumulação de gordura, leva à perda de massa muscular.

Esta situação não só causa uma mudança notória no corpo, mas, infelizmente, aumenta o risco de doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2 e outros distúrbios metabólicos que reduzem a qualidade de vida .

No entanto, há uma maneira de prevenir estes efeitos, principalmente quando o estilo de vida é melhorado muito antes de passar por essas mudanças.

Por esta razão, hoje queremos compartilhar 7 dicas que você pode colocar em prática para viver esta etapa totalmente e não ganhar peso na menopausa.

Descubra-as a seguir!

Conselhos para não ganhar peso na menopausa

1. Aumente o consumo de diuréticos naturais

Consumir sucos diuréticos

O consumo regular de alimentos e remédios com propriedades diuréticas pode favorecer a eliminação de líquidos do organismo, um fator que, de algum modo, afetam as funções do metabolismo.

Esses ingredientes ajudam a remover toxinas que viajam pelo sangue e, entre outras coisas, reduzem o nível de inflamação.

Algumas opções que se destacam são:

  • Morango
  • Melancia
  • Melão
  • Abacaxi
  • Mirtilos
  • Abóbora
  • Aspargos
  • Aveia
  • Salsa
  • Alcachofra
  • Chá verde
  • Cavalinha
  • Dente de leão

2. Beba bastante água

O consumo diário de água torna-se mais importante ao atingir a menopausa, não só porque beneficia o peso corporal, mas porque regula a temperatura e ajuda a manter o corpo hidratado.

  • Este líquido melhora a circulação sanguínea, otimizando a oxigenação das células para que elas possam ser renovadas sem problemas.
  • Apoia a função dos órgãos excretores, evitando a acumulação excessiva de toxinas e gorduras.
  • É ideal para prolongar a sensação de saciedade entre as refeições, o que reduz a ansiedade.

3. Faça exercícios físicos

Mulher fazendo exercícios físicos

Embora ocorram mudanças significativas no corpo, o exercício continua a ser uma das melhores ferramentas para manter o peso corporal saudável e estável.

  • Sua prática estimula a atividade do metabolismo, mantendo o ritmo necessário para queimar mais calorias.
  • Fortalece a saúde muscular e, apoiada por uma boa dieta, evita a perda de massa magra.
  • Entre outras coisas, é bom para proteger os ossos e as articulações do desgaste que eles sofrem com a diminuição do estrogênio.

4. Inclua peixes azuis em sua dieta

O peixe azul tem importantes benefícios nutricionais para as mulheres que estão lidando com os efeitos da menopausa.

  • Contém proteínas de alto valor biológico, que ajudam a proteger os músculos para evitar seu desgaste.
  • Seus ácidos graxos ômega 3 melhoram a saúde cardiovascular e ajudam a reduzir os níveis de colesterol ruim (LDL).
  • É um alimento anti-inflamatório, pobre em calorias, que apoia as dietas para perder peso.
  • Ele serve para proteger o sistema nervoso e a saúde.

5. Coma aveia no café da manhã

Benefícios da aveia no café da manhã

aveia é um alimento cheio de nutrientes essenciais que, em troca de poucas calorias, ajuda a manter o corpo ativo e recarregado de energia.

  • É uma excelente opção para mulheres na menopausa, pois ajuda a neutralizar os sintomas que causam as alterações hormonais.
  • É ideal para o café da manhã, pois prolonga a sensação de saciedade e melhora o desempenho físico e mental.
  • Isso ajuda a manter uma boa saúde digestiva e diminui o risco de sofrer de obesidade e distúrbios cardiovasculares.

6. Evite o consumo de gorduras saturadas e sódio

Alimentos ricos em gorduras saturadas e sódio podem piorar a situação das mulheres que ganham peso quando atingem esse estágio.

  • Isso afeta a atividade do metabolismo, retardando seu ritmo e gerando dificuldades para realizar seus principais processos.
  • São causas diretas de acumulação de gordura abdominal problemas cardiovasculares.

7. Limite o consumo de açúcar

Consumo de açúcar

O açúcar refinado, assim como os alimentos que o contêm, podem influenciar diretamente no aumento do peso corporal e, além disso, gerar outras dificuldades metabólicas.

Embora a ingestão deva ser limitada em qualquer fase da vida, é melhor cortá-lo ou reduzi-lo ao máximo quando chegar à menopausa.

  • As mudanças na atividade hormonal reduzem a capacidade do corpo de usar essa substância como fonte de energia, o que influencia no acúmulo de gordura.
  • Por outro lado, os níveis sanguíneos aumentam e há uma alta probabilidade de desenvolver diabetes.

Você está preocupada em não ganhar peso na menopausa? Para evitar esse problema, mantenha todas essas recomendações em mente e aplique-as permanentemente como parte de seu estilo de vida.

  • Dutta KN, et al. (2014). Herbal plants used as diuretics: A comprehensive review.
    pdfs.semanticscholar.org/2d3c/7b118a7d60b06f65082d96ed1164fd008df4.pdf
  • Monash University. (2010). Insulin Resistance and Menopause
    med.monash.edu.au/medicine/alfred/womenshealth/news/insulin-resistance-and-menopause.pdf
  • Arteaga Urzúa, Eugenio. (2016). Menopausia y riesgo cardiovascular. Revista médica de Chile144(11), 1375-1376. https://dx.doi.org/10.4067/S0034-98872016001100001
  • Diuréticos. Texas Heart Institute. https://www.texasheart.org/heart-health/heart-information-center/topics/diureticos/
  • Lina Raudonė, Raimondas Raudonis, Valdimaras Janulis & Pranas Viškelis (2014) Quality evaluation of different preparations of dry extracts of birch (Betula pendula Roth) leaves, Natural Product Research, 28:19, 1645-1648, DOI: 10.1080/14786419.2014.925893
  • Nayanathara A. R., Anu Mathews, Aalolam K. P., Reshma J. K. 2016. Evaluation of total Phenol, Flavonoid and Anthocyanin Content in Different Varieties of Eggplant. Emergent Life Sciences Research. http://www.idjsr.com/uploads/38/1824_pdf.pdf
  • The Diuretic Effect in Human Subjects of an Extract of Taraxacum officinale Folium over a Single Day. Bevin A. Clare, Richard S. Conroy, and Kevin Spelman.
    The Journal of Alternative and Complementary Medicine 2009 15:8, 929-934
  • Chacko, S. M., Thambi, P. T., Kuttan, R., & Nishigaki, I. (2010). Beneficial effects of green tea: a literature review. Chinese medicine, 5, 13. https://doi.org/10.1186/1749-8546-5-13
  • Dhiman, Anju & Sharma, Krishan & Attri, Surekha. (2009). Functional constituents and processing of pumpkin: A review. Journal of Food Science and Technology. 46. 411-417.
  • Blair SN. Evidence for Success of Exercise in Weight Loss and Control. Ann Intern Med. 1993;119:702–706. doi: https://doi.org/10.7326/0003-4819-119-7_Part_2-199310011-00015
  • Cambios en la figura corporal con la edad. MedlinePlus. https://medlineplus.gov/spanish/ency/article/003998.htm
  • Todd JA, Robinson RJ. Osteoporosis and exercise.
    Postgraduate Medical Journal 2003;79:320-323.
  • Griffin, M. The New Low-Cholesterol Diet: Fatty Fish. WebMD. https://www.webmd.com/cholesterol-management/features/low-cholesterol-diet-fatty-fish#1
  • Candida J. Rebello, Carol E. O’Neil, Frank L. Greenway, Dietary fiber and satiety: the effects of oats on satiety, Nutrition Reviews, Volume 74, Issue 2, February 2016, Pages 131–147, https://doi.org/10.1093/nutrit/nuv063
  • Aránzazu Aparicio Vizuete, Rosa María Ortega Anta. 2016. Revista Española de
    Nutrición Humana y Dietética. http://scielo.isciii.es/pdf/renhyd/v20n2/revision1.pdf
  • Explicación de las grasas en la alimentación. MedlinePlus. https://medlineplus.gov/spanish/ency/patientinstructions/000104.htm
  • Azúcares agregados: no sabotees tu alimentación con edulcorantes. Mayo Clinic. https://www.mayoclinic.org/es-es/healthy-lifestyle/nutrition-and-healthy-eating/in-depth/added-sugar/art-20045328
  • Rojas J, Sara, Lopera V, Johan Sebastián, Cardona V, Jonathan, Vargas G, Natalia, & Hormaza A, Marfa Patricia. (2014). Síndrome metabólico en la menopausia, conceptos clave. Revista chilena de obstetricia y ginecología, 79(2), 121-128. https://dx.doi.org/10.4067/S0717-75262014000200010
  • Diabetes y menopausia: un problema doble. Mayo Clinic. https://www.mayoclinic.org/es-es/diseases-conditions/diabetes/in-depth/diabetes/art-20044312