Como cuidar do pé diabético em casa?

· 10 de maio de 2018
O descontrole dos níveis de glicose no sangue afeta a saúde dos pés nos pacientes com diabetes, e eleva o risco de lesões e amputações.

Para evitar graves complicações depois de ser diagnosticado com hiperglicemia, é primordial adotar uma série de medidas para cuidar do pé diabético em casa.

As complicações que aparecem pelos níveis altos de glicose podem reduzir o fluxo sanguíneo nas extremidades inferiores, deteriorando as artérias e nervos dos pés. O problema pode se desenvolver de maneira gradual, especialmente quando não são feitos os controles necessários para regular o açúcar e mantê-lo em um patamar normal.

A consequência disso é a redução da sensibilidade na região e o aumento das chances de desenvolver úlceras, fendas e outras feridas que podem ser foco de infecções perigosas.

Como cuidar do pé diabético para evitar complicações? Tendo claro que os riscos são constantes, devemos conhecer as recomendações que compartilhamos a seguir.

O que é o pé diabético?

Mulher observando seu pé

Ter os níveis de açúcar acima do normal acarreta muitas complicações para a saúde. Entre estas, uma das mais comuns e perigosas é o pé diabético.

A condição pode se originar por uma redução do fluxo sanguíneo das pernas (vasculopatia) ou por uma afetação dos nervos inferiores (neuropatia).

Ambos os problemas causam uma série de sintomas que afetam a qualidade de vida, pois o paciente perde muito sua sensibilidade e fica exposto a lesões que tardam em sarar.

Ainda que os sintomas possam variar em função do nível de gravidade com que se desenvolvam, é primordial estar atento a todo momento para que não piorem.

Um mau controle dos mesmos pode produzir úlceras e infecções que, quando não podem ser controladas, acabam sendo a razão de amputação da extremidade. 

Conselhos para cuidar do pé diabético em casa

De acordo com os dados da Organização Mundial da Saúde, mais de 80% dos casos de amputação por pé diabético podem ser prevenidas com tratamento e cuidados básicos.

O controle médico da diabetes é a medida principal para evitar estas complicações, mas complementar a isso, cada um deve adotar alguns hábitos que reduzam o risco.

É fundamental evitar ao máximo qualquer lesão que comprometa os pés, já que as feridas tardam muito a sarar e podem servir como porta de entrada para alguma infecção. Além disso, estes cuidados devem ser permanentes, pois ainda que não existam lesões ou sintomas evidentes, o risco segue sendo alto.

Observar os pés todos os dias

Massagem nos pés

A revisão diária dos pés permite detectar se existe alguma anormalidade que deva ser tratada de maneira especial. Por isso, ainda que não tenha um problema notável, é importante dedicar tempo a isso.

Procure estar atento a sintomas como:

  • Feridas ou úlceras
  • Bolhas ou fendas
  • Calos e deformidades
  • Hematomas e veias inflamadas

Lavar e desinfetar

Um dos cuidados básicos para reduzir o risco de infecções nos pés é lavá-los todos os dias com produtos que ajudem a desinfetá-los.

Esta medida permite eliminar bactérias, fungos e outros micro-organismos que, em caso de lesão, podem causar problemas de maior gravidade.

Evitar o cigarro

Evitar o cigarro

O consumo de tabaco é um dos fatores que podem acelerar o estreitamento das artérias. Por isso, todos os pacientes com diabetes devem evitá-lo.

As toxinas do cigarro não favorecem a oxigenação dos pés e podem influenciar as complicações por falta de fluxo sanguíneo.

Usar produtos hidratantes

Para cuidar do pé diabético é necessário adquirir produtos hidratantes que ajudem a proteger sua peleSua aplicação diária permite evitar os calos e fendas para minimizar o risco de infecção.

Cortar as unhas

Cortar as unhas do pé

As unhas nos pacientes com pé diabético devem ser cortadas em linha reta para que não encravem na pele. O corte não deve comprometer nem as esquinas e nem as cutículas.

Usar calçado confortável

O uso de um calçado confortável e ventilado é uma das medidas mais recomendadas para cuidar do pé diabético. Isso permite controlar a inflamação e prevenir infecções.

O ideal é que seu interior seja composto por materiais lisos, sem elementos pontudos, para que a pele possa respirar sem problema.

Evitar atividades de alto impacto

A prática diária de exercício físico é um dos hábitos que ajudam a regular os níveis de glicose em pacientes com diabetes.

No entanto, devido às complicações que podem aparecer nos pés, é primordial observar se as atividades escolhidas não têm um forte impacto sobre os mesmos. 

Para evitar calos ou lesões, o melhor é optar por disciplinas como:

Concluindo, é de grande importância que todos os pacientes com níveis altos de açúcar no sangue adotem medidas para cuidar do pé diabético. Isso, além dos check-ups médicos, evitará situações mais graves.