Cuidados após um transplante de córnea

07 Janeiro, 2020
O transplante de córnea requer uma série de cuidados que devem ser realizados da melhor maneira possível, a fim de evitar prolongar o processo de recuperação, pois geralmente ele já é longo.

O transplante de córnea, também conhecido como ceratoplastia, é um procedimento cirúrgico que substitui o tecido da córnea que está danificado ou sofre de alguma doença por outro tecido da córnea, procedente de um doador.

O principal objetivo de um transplante de córnea é melhorar a acuidade visual do paciente. Além disso, graças a esse procedimento, é possível restaurar a morfologia da córnea e eliminar o tecido inflamado que não responde a nenhum tratamento médico.

O transplante de córnea é o único tratamento para pessoas que têm uma córnea gravemente afetada. Por isso, só vale a pena fazer essa operação quando o interior do olho, isto é, a retina e o nervo óptico, ainda funcionam adequadamente. Além disso, entre os fatores que são capazes de danificar a córnea estão:

  • Glaucoma
  • Doenças do nervo óptico.
  • Descolamento de retina.
  • Inflamação do interior do globo ocular.
  • Infecção grave dentro do globo ocular.

Mas, antes de entrar em detalhes sobre como essa operação é realizada e os cuidados necessários, precisamos entender e conhecer com mais detalhes a estrutura ocular afetada: a córnea.

O que é a córnea?

A córnea funciona como uma lente

O olho é composto por uma série de estruturas complexas. Entre elas está a córnea. Essa estrutura ocular é o que permite a passagem da luz de fora para dentro do olho. Por isso, graças à sua função, a íris e o cristalino (duas outras estruturas oculares) estão protegidos.

Além disso, a córnea possui propriedades ópticas de refração, com uma estrutura transparente e uma curvatura característica que lhe permite desempenhar suas funções:

  • Proteger os olhos. Compartilha esta função com a pálpebra, órbita ocular, lágrimas e esclerótica.
  • Controle do foco e da entrada de luz no olho.

Leia também: 6 coisas curiosas que todo paciente com miopia deve saber

Tipos de transplante de córnea

Existem dois tipos principais de transplante de córnea:

  • Espessura total ou transplante de córnea penetrante.
  • Transplante de córnea de espessura parcial ou lamelar.

Mas, estes últimos estão se tornando mais populares ultimamente e estão sendo preferidos em relação aos penetrantes. Em seguida, falaremos de cada um mais detalhadamente.

1. Transplante penetrante de córnea

É a única alternativa nos casos em que o paciente tem todas as camadas da córnea afetadas. Mas, apresenta uma grande desvantagem, que é o fato de o endotélio transplantado ser o principal estímulo para a rejeição.

Cuidados após transplante penetrante de córnea

Esses tipos de intervenções têm um período de recuperação bastante lento. De fato, pode durar até 12 meses. No entanto, a maioria das pessoas começa a notar melhora nos primeiros dias após a cirurgia.

Com o passar do primeiro ano, o médico removerá as suturas que colocou. O resultado final da visão não será conhecido até que as suturas tenham sido completamente removidas. Além disso, o paciente deve fazer um mínimo de 10 visitas após a cirurgia.

Por outro lado, aproximadamente 15% dos pacientes precisam do uso de lentes de contato. Por sua vez, 10% deles precisarão de uma correção do astigmatismo residual.

Leia também:  Tumores da córnea: pinguécula e pterígio

2. Transplante de córnea lamelar

Córneas de hidrogel

Dentro deste procedimento, podemos encontrar dois tipos de cirurgias, que mencionamos em seguida:

  • Anterior profunda: é usada para doenças da córnea que têm um endotélio normal como, por exemplo, ceratocone e cicatrizes da córnea. Essas doenças afetam a córnea, mas o endotélio é saudável.
  • Transplante endotelial: nesse caso, a parte posterior da córnea danificada é substituída por um tecido da córnea saudável de um doador. Para realizá-lo, é usada uma incisão muito menor. Não requer sutura.

Outras recomendações

Estas são outras dicas que você deve executar para tornar o processo de recuperação mais eficaz:

  1. Você não deve tocar ou esfregar os olhos.
  2. Não dirija, opere máquinas, consuma álcool ou tome qualquer decisão importante pelo menos 24 horas após a operação.
  3. Você deve limitar as atividades que podem causar queda ou aumento da pressão ocular. Por exemplo, evite atividades de contato físico.
  4. Fique longe de poeira e sujeira.
  5. Siga cuidadosamente o tratamento estabelecido pelo seu médico.
  6. Vá para os controles estabelecidos.