Melhor Com Saúde
 

Como superar um término

Se tínhamos focado muito na outra pessoa, é possível que custe mais superar um término. Devemos pensar que, ao invés de nos completar, os outros nos complementem para não ficarmos incompletos.

Como superar um término

Última atualização: 18 Dezembro, 2019

Todos nós já atravessamos alguma vez um término. No entanto, passar por isso supõe um momento muito duro e difícil. Por isso, hoje vamos descobrir como superar um término da melhor maneira possível.

O que temos que levar em consideração é que, querendo ou não, vamos passar pelo quarto do luto. Esse que em certas ocasiões tentamos fugir, ignorar ou que atrasamos a entrada.

No entanto, entrar nele será uma condição indispensável para superar um término.

Aceitar o que aconteceu

Carinhas tristes de casal que terminou o namoro

Aceitar o que acontecer é o mais difícil na hora de superar um término. No início, vamos negar a assumir o que aconteceu, vamos ficar aborrecidos, vamos sentir ódio, depois tristeza. No entanto, a realidade é aquela.

Em certos casos, se o término é fruto do final de um relacionamento amoroso, podemos guardar certa esperança. Se negociamos uma possível volta da relação e esta acontece, então estaremos dando passos para trás.

É normal se encontrar com uma série de sentimentos e emoções desagradáveis.

No entanto, isso não significa que tenhamos que fugir deles, ignorá-los ou tampá-los. Temos que olhar para eles e aceitá-los. Somente assim poderemos seguir em frente.

Tire o que está por dentro

Não deveríamos reprimir as emoções ou escondê-las, já que isso poderia ter o resultado contrário. O ideal é expressá-las, mesmo que cada pessoa o faça de uma maneira diferente. Algumas decidem falar com amigos, outras chorar desconsoladamente e outras se isolar por um breve período de tempo.

  • Se você estiver tentando superar um término, busque a fórmula que funciona para tirar as emoções presas. Se for daqueles que se isolam, não saia com amigos para tentar “esquecer” o ocorrido. Isso somente acentuará as emoções quando você se encontrar sozinho.

Na cultura que vivemos nos ensinam a mostrar as emoções agradáveis, mas a esconder as desagradáveis, talvez porque incomoda os outros.

No entanto, é o momento de deixar de fazer isso e expressar o que se sente quando se sente. Sem julgamentos e sem cortar a liberdade que temos.

Foque no que lhe motiva

Pessoa feliz porque superou um término

Uma vez realizados os passos anteriores, é tempo de parar de focar no término. É o momento de nos centrarmos em tudo aquilo que temos ao nosso redor e nos faz vibrar. Pode ser um projeto pessoal, o trabalho, os filhos…

Muitas pessoas acreditam que sua vida gira ao redor do relacionamento amoroso. Então, quando este acaba e ocorre o término, já não sabem para onde ir.

É importante olhar ao redor e prestar atenção naquilo que também o motiva.

Se não conseguir isso, procurar ajuda de um profissional permitirá encontrar e voltar a redescobrir aquilo que dá sentido a nossa existência. Porque o relacionamento é somente uma parte de nossa vida. Não o centro da mesma.

A vida segue em frente

É natural que quando passamos por um término acreditar que tudo ao nosso redor se quebra aos pedaços. No entanto, não é verdade que quando observamos situações similares do passado não percebemos que a vida segue em frente?

Não importa o quão difícil seja, nem o tanto que custe sair da situação. No final, tudo passa e tudo se resolve. 

Com o tempo, aprendemos com a experiência, nos fortalecemos graças a ela e continuamos com nossa vida. Porque nada se termina com um término. Pelo contrário, em alguns casos, indica novos inícios repletos de oportunidades.

Lidar com as emoções nunca é simples. Tampouco fazê-lo com aquilo que tínhamos dado uma importância enorme.

Assim como sabemos superar uma despedida, a morte de um ser querido ou de um fracasso, temos que saber superar um término.

  • Se deixarmos a relação amorosa ser o centro de nossa vida, devemos aprender com cada término para compreender que, na verdade, as coisas não são assim.
  • O centro somos nós e ao nosso redor existem vários focos de interesse que dão sentido a nossa vida (trabalho, família, hobbies…).

Superestimar um deles ou girar em torno de somente um desses focos nos trará uma dor terrível e uma custosa recuperação quando o término aparece.

Você já passou por algum término? Em alguma ocasião você tornou seu relacionamento o centro de tudo?

5 conselhos para conservar o seu relacionamento

5 conselhos para conservar o seu relacionamento

Apesar dos afazeres, das obrigações e responsabilidades, "estou pensando em você porque você está acima de tudo". Saiba como conservar seu relacionamento.



  • Baumeister, R. F. (1997). Esteem threat, self-regulatory breakdown, and emotional distress as factors in self-defeating behavior. Review of General Psychology. https://doi.org/10.1037/1089-2680.1.2.145
  • Brueckner, K., & Moritz, S. (2009). Emotional valence and semantic relatedness differentially influence false recognition in mild cognitive impairment, Alzheimer’s disease, and healthy elderly. Journal of the International Neuropsychological Society. https://doi.org/10.1017/S135561770909047X
  • Fonzo, G. A., Ramsawh, H. J., Flagan, T. M., Simmons, A. N., Sullivan, S. G., Allard, C. B., … Stein, M. B. (2016). Early life stress and the anxious brain: Evidence for a neural mechanism linking childhood emotional maltreatment to anxiety in adulthood. Psychological Medicine. https://doi.org/10.1017/S0033291715002603