Como a anemia e a insuficiência cardíaca estão relacionadas?

Anemia e insuficiência cardíaca estão intimamente relacionadas, sendo a primeira uma das comorbidades mais prevalentes e associada ao aumento da mortalidade entre os pacientes.
Como a anemia e a insuficiência cardíaca estão relacionadas?

Última atualização: 26 abril, 2022

Anemia e insuficiência cardíaca estão relacionadas. Sendo a anemia uma das comorbidades mais frequentes em pacientes com insuficiência cardíaca crônica.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, a anemia é uma condição na qual o número de glóbulos vermelhos ou a concentração de hemoglobina dentro deles é menor que o normal. A hemoglobina é responsável pelo transporte de oxigênio para diferentes tecidos.

A prevalência de anemia na insuficiência cardíaca é variável e depende de vários fatores. No entanto, fica claro que a presença persistente do quadro clínico aumenta as taxas de mortalidade a longo prazo nos pacientes.

Definição de anemia

Ao definir anemia, a Organização Mundial da Saúde utiliza os limites de hemoglobina como valores menores ou iguais a 12 gramas por decilitro em mulheres em idade menstrual. E menor ou igual a 13 gramas por decilitro em homens e mulheres na pós-menopausa.

Enquanto em pessoas com doença renal crônica, a National Kidney Foundation define anemia como hemoglobina menor ou igual a 12 gramas por decilitro em homens e mulheres na pós-menopausa. A insuficiência renal crônica também é uma comorbidade muito comum em pacientes com insuficiência cardíaca, devido à diminuição do fluxo sanguíneo para os rins.

Prevalência de anemia na insuficiência cardíaca

A prevalência de pessoas com anemia em insuficiência cardíaca difere entre as diferentes publicações. Há uma faixa que vai de 9,9% a 50%. Essa variabilidade depende das diferenças entre as populações estudadas.

O maior percentual de pessoas com ambos os distúrbios são idosos e mulheres, com classe funcional III-IV (insuficiência cardíaca avançada), em tratamento farmacológico intensivo, com maiores comorbidades associadas (hipertensão, doença renal crônica e diabetes mellitus ).

Fica claro que quanto maior a classe funcional, maior o percentual de pacientes com anemia e insuficiência cardíaca. E nas mulheres é quase 2 vezes mais frequente do que nos homens.

Sangue de anemia.
A anemia é definida pela contagem de glóbulos vermelhos ou pelo cálculo da concentração de hemoglobina em laboratório.

Causas

A anemia na insuficiência cardíaca é multicausal. Na maioria das vezes, sua origem é desconhecida. No entanto, as etiologias mais importantes são as seguintes:

  • Deficiência de ferro: pode ser devido à diminuição da ingestão (devido à perda de apetite), má absorção ou perdas crônicas (como sangramento gastrointestinal associado ao consumo de aspirina).
  • Diminuição da produção de eritropoietina : um hormônio essencial responsável por promover a produção de glóbulos vermelhos na medula óssea. Isso pode ser devido à presença subjacente de doença renal crônica (muito comum em pacientes com insuficiência cardíaca) e ao uso de medicamentos da família dos inibidores da enzima conversora de angiotensina (ECA) ou antagonistas do receptor de angiotensina (ARA).
  • Diminuição da produção de glóbulos vermelhos na medula óssea: um produto da inflamação crônica, que gera substâncias como fator de necrose tumoral alfa, interleucina 1 e interleucina-6.
  • Hemodiluição: na insuficiência cardíaca há um maior volume plasmático, o que gera uma diluição dos elementos do sangue.

O tratamento é individualizado

Para estabelecer o tratamento da anemia, a insuficiência cardíaca deve primeiro ser compensada. Especialmente se houver sinais de congestão devido ao aumento do volume plasmático.

Geralmente há melhora da anemia na insuficiência cardíaca com a prescrição de eritropoietina subcutânea e ferro endovenoso. Além disso, o aumento dos níveis de hemoglobina leva à melhora de outros sintomas, com aumento da fração de ejeção e menor uso de diuréticos a longo prazo.

Ferro intravenoso para anemia na insuficiência cardíaca.
A anemia pode descompensar um paciente com insuficiência cardíaca a ponto de necessitar de internação para estabilização.

Baixas doses de eritropoietina são recomendadas, pois aumentam a frequência de trombose e hipertensão arterial.

O efeito da anemia nos sintomas de insuficiência cardíaca

A anemia é causa de descompensação da insuficiência cardíaca, pois gera repercussões no transporte de oxigênio para os diferentes tecidos. Isso agrava os sintomas de insuficiência cardíaca.

Como forma de compensar o déficit de oxigênio, são produzidas alterações no sistema circulatório. O coração trabalha mais e bate mais frequentemente, levando à taquicardia e ao crescimento anormal das paredes miocárdicas.

A presença de anemia, insuficiência cardíaca e insuficiência renal crônica é uma tríade muito comum. Esses tipos de pacientes requerem acompanhamento especial e intensivo.

This might interest you...
6 sinais precoces de insuficiência cardíaca
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
6 sinais precoces de insuficiência cardíaca

Descubra os principais sinais precoces que podem nos alertar para um quadro de insuficiência cardíaca, uma doença grave que merece atenção.