Causas e remédios para a Bartolinite

7 de novembro de 2019
A Bartolinite, em muitos casos, é um problema recorrente que reduz em grande medida a qualidade de vida. Em situações extremas, pode ser necessária uma intervenção cirúrgica.

A Bartolinite, ou inflamação das glândulas de Bartholin, é uma das doenças da mulher que mais causa frustrações.

Estas glândulas servem para umedecer ou lubrificar a entrada da vagina e têm, aproximadamente, o tamanho de uma ervilha. Encontram-se nas laterais da área que demarca os lábios inferiores da vulva (o vestíbulo vulvar), e seus condutos de secreção drenam a superfície interna destes.

Desenho da gl^^andula que provoca Bartolinite

Afeta principalmente as mulheres entre 20 e 30 anos, que atingiram a maturidade sexual. Esta secreção pode obstruir as glândulas, causando inflamação e dor na região, podendo chegar a causar uma infecção, a qual pode ter várias causas.

Existem diversos tratamentos antibióticos, no entanto, às vezes a única solução é passar pela cirurgia e se submeter à extração de tais glândulas.

Descubra: Em que ponto da depressão você deve procurar ajuda?

Causas da Bartolinite

A doença pode ocorrer devido à proliferação descontrolada de bactérias na entrada da vagina. Essa proliferação leva à inflamação e à obstrução das glândulas. Assim o conteúdo se acumula gerando um abscesso. Se esse abcesso se infectar, causa a Bartolinite.

Muitas vezes, essas bactérias constituem parte da nossa flora bacteriana. No entanto, uma proliferação descontrolada pode causar uma infecção. Em outras vezes, pode ser causada por bactérias de transmissão sexual, como a que causa a gonorreia ou a clamídia.

Leia também: Como as mulheres podem se proteger de doenças sexualmente transmissíveis – DST?

Como a Bartolinite é diagnosticada?

Os primeiros sintomas que detectamos costuma ser o surgimento de uma protuberância; um nódulo quente e muito doloroso quando apertamos. Em casos agudos, chega a doer ao caminhar ou sentar. Evidentemente é muito doloroso durante o ato sexual, ainda assim, os lábios que são afetados ficam vermelhos e inflamam devido à infecção.

O diagnóstico é feito por meio de uma exploração. Em mulheres com um histórico clínico de infecções recorrentes ou doença de transmissão sexual, é preciso considerar a possibilidade de desenvolver essa doença. As mulheres próximas ao período da menopausa ou que já entraram nessa fase devem fazer uma biópsia para descartar problemas mais graves.

Tratamento da Bartolinite

Realizar banhos de assento com água morna várias vezes por dia pode ser o suficiente em casos leves, embora sempre seja recomendável procurar um médico para que nos receite o antibiótico adequado. Se o abscesso não esvaziar sozinho, será preciso realizar uma drenagem cirúrgica. Quando o problema se torna crônico, é possível que o médico recomende a extirpação das glândulas.

Tratamento natural

Contra esta doença, deveremos usar plantas ou produtos que se destaquem por suas propriedades antibióticas, anti-inflamatórias emolientes.

Quanto às ervas, destacam-se o gengibre, o absinto, o boldo, a genciana e o dente-de-leão, por exemplo, que são principalmente preparados como infusão. Boas opções para consumo são a babosa, o mamão, a goiaba, o alho, a cebola, o brócolis e as frutas ácidas.

Para preparar a infusão, em um copo e meio de água, deixe ferver uma colher de sopa da erva ou da mistura de ervas medicinais durante 5 minutos, depois deixes repousar por 10 minutos. Tome junto com o suco de um limão.

O gengibre ralado tem propriedades anti-inflamatórias e analgésicas. Consumir pequenos pedacinhos crus como balas será muito saudável. Ele deve ser chupado ao máximo para propagar pela saliva, depois mastigado e engolido. Em infusão é recomendável consumir três xícaras por dia.

Remédios externos

Controlar nosso estado emocional é muito importante para evitar doenças psicossomáticas. Sentir-se sem esperança, desiludida, irritada ou desanimada repercute enormemente em nossa qualidade de vida.

É melhor não usar nenhum tratamento tópico caseiro, visto que poderia piorar nossa situação. Isso inclui elementos como o vinagre ou diversos óleos. Sempre procure um ginecologista e siga suas recomendações.

  • Lee MY, Dalpiaz A, Schwamb R, Miao Y, Waltzer W, Khan A. Clinical Pathology of Bartholin’s Glands: A Review of the Literature. Curr Urol. 2015;8(1):22–25. doi:10.1159/000365683
  • Mattila A, Miettinen A, Heinonen PK. Microbiology of Bartholin’s duct abscess. Infect Dis Obstet Gynecol. 1994;1(6):265–268. doi:10.1155/S1064744994000220
  • Bora, S. A., & Condous, G. (2009). Bartholin’s, vulval and perineal abscesses. Best Practice and Research: Clinical Obstetrics and Gynaecology. https://doi.org/10.1016/j.bpobgyn.2009.05.002