Causas e remédios para a Bartolinite

· 7 de maio de 2018
Caso não drene de forma normal, é provável que o paciente tenha que se submeter a uma intervenção cirúrgica para eliminar o excesso de secreções que causa a Bartolinite.

A Bartolinite ou inflamação das glândulas de Bartholin é uma das doenças da mulher que mais causa frustrações e é muito invalidante para o desenvolvimento de sua vida sexual, tanto quanto para o desenvolvimento de sua vida diária.

Estas glândulas servem para umedecer ou lubrificar a entrada da vagina e têm, aproximadamente, o tamanho de uma ervilha. Encontram-se nas laterais da área que demarca os lábios inferiores da vulva (o vestíbulo vulvar), e seus condutos de secreção drenam a superfície interna destes.

Desenho da gl^^andula que provoca Bartolinite

Ainda que não exista informação precisa, pensa-se que afeta especialmente a mulheres entre 20 e 30 anos, e é um problema associado à maturidade sexual.

Esta secreção não somente pode ficar “presa” nas glândulas causando inflamação e dor na região, como também pode causar uma infecção, e isso pode ter várias causas.

Ainda que não seja contagiosa e nem muito grave para a saúde em geral, as mulheres que já sofreram com isso tiveram que conviver com um sério transtorno em sua vida, chegando a apresentar ansiedade e depressão ao se depararem com um tratamento médico convencional que não apresentou os resultados esperados, principalmente quando a doença é crônica.

Às vezes, a única solução que a medicina encontra para este problema é a cirurgia, para extirpar essas glândulas, porém, para muitos casos existem outras soluções não tão drásticas.

Causas da Bartolinite

A doença pode ocorrer devido à presença de bactérias na entrada da vagina. Se essas bactérias chegam aos condutos das glândulas de Bartholin causam inflamação, então não podem expulsar as secreções porque suas paredes grudam, obstruindo-se, e ao não esvaziarem se infectam e geram um abscesso, que é chamado de abscesso de Bartholin.

Um princípio não infeccioso torna-se o chamado cisto de Bartholin, onde apenas uma parte obstrui a secreção da glândula e forma-se primeiro a cavidade preenchida de líquido, mais tarde, quando as bactérias chegam a este cisto, o infectam e então desenvolve-se a Bartolinite.

Estas bactérias não necessariamente surgem de uma doença de transmissão sexual. Elas podem derivar de outra área de nosso organismo como, por exemplo, Escherichia coli do intestino ou Staphylococcus aureus da pele e vias respiratórias.

Outras vezes pode ser causada pela bactéria da gonorreia ou da clamídia, ambas doenças de transmissão sexual.

Como a Bartolinite é diagnosticada?

Os primeiros sintomas que detectamos costuma ser o surgimento de uma protuberância, um nódulo quente e muito doloroso quando apertamos. Em casos agudos chega a doer ao caminhar ou sentar. Evidentemente é muito doloroso durante o ato sexual, ainda assim, os lábios que são afetados ficam vermelhos e inflamam devido à infecção.

O diagnóstico é feito por meio de uma exploração. Em mulheres com um histórico clínico de infecções recorrentes ou doença de transmissão sexual é preciso considerar a possibilidade de desenvolver essa doença.

Em mulheres próximas ao período de menopausa ou que já entraram nessa fase devem fazer uma biópsia para descartar tumores ou câncer.

Tratamento da Bartolinite

Realizar banhos de assento com água morna várias vezes por dia pode ser o suficiente em casos leves para que o cisto se desinflame e drene a secreção. Em caso de infecção ou se a causa for a infecção, será necessário tomar antibióticos.

Se o abscesso não esvaziar é preciso realizar uma drenagem cirúrgica, ou seja, criar um pequeno canal de saída por meio de um corte, ou incisão. Quando o problema se torna crônico, então o médico recomenda a extirpação das glândulas.

Tratamento homeopático

  • Em caso de optar pela homeopatia, deve-se esperar resultados em aproximadamente quatro dias.
  • São usados princípios depurativos, e cada um funciona de uma forma, de acordo com o paciente, ou seja, em cada caso um será efetivo e talvez outro não.
  • Enxofre 15ch e o Pyrogenium 9ch para casos de Bartolinite aguda

O recomendável é tomar cinco grãos de Hepar enxofre 15ch, e duas horas depois, cinco de Pyrogenium 9ch duas vezes por dia. Neste processo pode ocorrer um abscesso que drenará melhor com banhos de assento mornos, é um potente depurativo.

Conium 15ch e Staphysagria 15ch em Bartolinite crônica

Para a Bartolinite crônica ou reincidente será ideal tomar cinco grãos de Conium 15ch e de Staphysagria 15ch por dia.

Tratamento natural

Contra esta doença deveremos usar plantas ou produtos que se destaquem por suas propriedades antibióticas, anti-inflamatórias e emolientes.

Quanto às ervas destacam-se o gengibre, o absinto, o boldo, a genciana e o dente de leão, por exemplo, que são principalmente preparados como infusão.

Boas opções para consumo são a babosa, o mamão, a goiaba, o alho, a cebola, o brócolis e as frutas ácidas.

Para preparar a infusão, em um copo e meio de água deixamos ferver uma colher de sopa da erva ou da mistura de ervas medicinais durante 5 minutos, depois deixamos repousar por 10 minutos. Tomaremos junto com o suco de um limão, o primeiro copo em jejum, que será muito melhor.

O gengibre deve ser consumido ralado no chá ou preparado como infusão. Tem propriedades anti-inflamatórias e analgésicas. Consumir pequenos pedacinhos crus como balas será muito saudável para a mulher, deve ser chupado ao máximo para propagar pela saliva, depois mastigado e engolido. Em infusão é recomendável consumir três xícaras por dia.

Controlar seu estado emocional é muito importante na hora dos alimentos e, especialmente as infusões curativas, trabalharem para promoverem um efeito ótimo no organismo. Quando nosso estado interior é de falta de esperança, desilusão, desânimo, etc., essas emoções negativas fazem com que todo o metabolismo diminua seu rendimento e nossas defesas diminuem, de tal forma que nem os nutrientes são aproveitados e nem os benefícios dessas plantas trabalham corretamente.

O óleo vegetal (de semente) de Acácia-branca é de aplicação tópica para a região íntima externa e é muito recomendável devido às suas propriedades antibióticas, anti-inflamatórias e anti dor, além de serem nutritivas e hidratantes para a pele.

Se a infecção for grande, pode ser que não seja reabsorvida mas sim seja extraída, portanto não estranhe se, ao começar o tratamento e extrair a infecção, parecer criar-se um abscesso e se desenvolver pus, mas esse pus é sinal de que está melhorando, logo romperá e drenará.

Ainda, o vinagre pode ser um potente desinfetante, tão usado por nossas avós para muitas coisas. Aplique na região infetada compressas de vinagre quente, isso pode ajudar na drenagem dos abscessos.