Casal adota quatro irmãos para evitar separá-los

A adoção de uma criança é um dos maiores gestos de amor e dedicação que um ser humano pode experimentar. Agora, imagine o que aconteceria se, em vez de uma criança, quatro pequeninos entrassem em sua vida.
Casal adota quatro irmãos para evitar separá-los

Última atualização: 15 abril, 2022

A adoção é uma forma de virar a vida de pais e filhos de cabeça para baixo, como aconteceu com quatro irmãos que moravam em um Acolhimento Institucional no Brasil até outubro de 2020. A partir desse momento, o destino deles mudaria, pois um casal americano tomou a decisão de se tornaram pais desses meninos pernambucanos, porque se sentiram atraídos e familiarizados com a cultura brasileira.

Assim, Brandon e Jennifer Pratt deram aos quatro irmãos a oportunidade de terem uma melhor qualidade de vida. Esses pequenos, com idades entre 2 e 6 anos, foram separados de sua mãe biológica por motivos de negligência. Eles, viveram em condições precárias em uma casa de trânsito até que o casal de Iowa, nos Estados Unidos, os adotou.

A história de Leandro, Cristiano, Enzo e William com sua nova família foi repleta de momentos incríveis, felizes e complexos. E é que não se poderia esperar menos perante um processo que costuma ser longo, burocrático e delicado, tendo em conta que se trata de menores. Descubra o que eles viveram para se integrar e começar a viver juntos.

Quatro irmãos começaram uma nova vida

Enquanto os quatro irmãos residiam em um acolhimento cristão, Brandon e Jennifer  começaram o processo de adoção. Desde o início, o plano deles era adotar mais de uma criança, pois queriam ter vários filhos. Além disso, eles estavam cientes de quão lento e complicado pode ser o processo formal de adoção.

Foi assim que eles preferiram seguir em frente com o processo para ter esses quatro pequeninos, dar-lhes amor, educação e mantê-los juntos . Tudo foi realizado através de uma agência que os ajudou. Mesmo assim, o procedimento levou mais de 2 anos.

Embora a espera tenha sido longa, a chegada desses meninos em suas vidas foi maravilhosa. Dificuldades também apareceram, mas nada longe da realidade que qualquer pai e mãe podem vivenciar em diferentes momentos da vida .

Criar uma família da noite para o dia pode ser titânico. Passamos de não ter filhos a ter quatro pequeninos que não conseguiam se comunicar conosco por causa do idioma, era estressante.

~ Jennifer Pratt ~

Nesse caso, Jennifer e Brandon foram para o Brasil porque tiveram que morar mais de 30 dias com os meninos em uma casa. Eles também tiveram que resolver os últimos detalhes sobre o processo legal de adoção. Dessa forma, surgiria o processo inicial de adaptação à convivência dos seis antes de partir para os Estados Unidos.

Os desafios da adoção

Para o casal americano, o principal desafio foi o idioma, somado ao estado de saúde dos pequenos. Eles tinham um estilo de vida precário, onde viviam com outras crianças, tinham piolhos, problemas na boca e outras doenças. No entanto, eles foram capazes de lidar com a situação, embora inicialmente pensassem que não seriam capazes de superar a barreira do idioma e da comunicação.

As crianças estavam com fome, tinham problemas na boca, piolhos, doenças, problemas de comportamento, etc. Não conseguíamos nos comunicar bem. Foi um começo muito difícil.

~ Jennifer Pratt ~

Embora o início tenha sido difícil, aos poucos eles se adaptaram e entenderam. Especialmente, quando a irmã de Jennifer e seu marido, jogador de futebol brasileiro, os acompanharam por uma semana em diversas atividades, facilitando a comunicação entre todos.

Tudo começou a fluir inesperadamente, e foi assim que eles saíram com expectativas fantásticas para os Estados Unidos. A neve os receberia para enchê-los com a magia de Natal. Vê-los crescer e descobrir um mundo cheio de possibilidades melhores tem sido o melhor presente para o casal .

Uma vida melhor para os quatro irmãos brasileiros

Sem dúvida, decidir dar aos quatro irmãos um lar acolhedor foi a maior transformação de suas vidas. Em todos os momentos, as ferramentas para começar a construir as bases de seu vínculo e seguir em frente como uma grande família foram o amor, a compreensão, a perseverança e a confiança de que tudo acabaria bem.

Esta é uma lição com a qual todos podemos aprender, pois existem inúmeras maneiras de mudar a vida de quem mais precisa. Nesta ocasião, quatro pequeninos foram extremamente afortunados por serem amados por pais adotivos que lhes oferecem o melhor.

Pode interessar a você...
Família relata que escola mandou menino cortar cabelo para não parecer menina
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Família relata que escola mandou menino cortar cabelo para não parecer menina

Veja a história do adolescente de 12 anos foi orientado por um sargento do Corpo de Bombeiros a cortar o cabelo para ‘não parecer menina’.



  • Espinoza, J., Yuraszeck, J., & Salas, C. (2004). Adopción: Una familia para un niño o una forma de hacer familia. Revista chilena de pediatría, 75(1), 13-21.

  • Español, U. C. (2016). Convención sobre los derechos del niño. Fundación UNICEF-Comité Español.