Bullying nas crianças: sinais, tipos e ações a tomar

O bullying é uma situação muito difícil para uma criança. Como pais devemos dar a verdadeira importância ao assunto. Aprenda como reconhecer quando uma criança é vítima de bullying e o que você pode fazer.

O bullying ou assédio escolar é uma forma de hostilização que acontece nas escolas. Caracteriza-se pelos maus-tratos físicos e psicológicos de forma permanente e constante. Quem realiza este tipo de assédio não tem distinção na hora de escolher suas vítimas.

Qualquer jovem pode ser assediado em seu entorno escolar, seja por ser diferente ou até por não ser. Geralmente, as vítimas de bullying mantêm o assédio em segredo. As razões para se calarem podem ser vergonha, acreditar que podem superar sozinhos ou sentir que são mais fracos do que o assediador ao não saberem como enfrentá-lo.

Sinais de que seu filho é vítima de bullying

Detectar o bullying cedo é fundamental para resolver e evitar que a criança sofra danos psicológicos e emocionais permanentes.

Alguns dos seguintes sinais poderiam revelar que seu filho está sendo assediado.

1. Mudanças no rendimento escolar

Talvez seu filho nunca tenha sido o primeiro da turma; mas se está sendo assediado, pode diminuir seu rendimento de forma repentina.

Também pode perder o interesse pelas atividades escolares. Seus materiais escolares podem começar a desaparecer e ele dizer que os perdeu e não sabe como ou onde. Outro sinal é que não quer ir às aulas, quando sempre quis ir.

Visite este artigo: Bullying emocional: como reconhecê-lo e combatê-lo

2. Apresenta sinais de violência ou agressão

Menino que sofre de bullying

Este é um dos sinais mais contundentes de que algo anda mal. Pode ser que a criança passe sim por uma briga ou tropece e chegue em casa com machucados.

Mas se isso acontecer com muita frequência e quando você a questiona, ela evade, fica nervosa, agressiva ou você nota que ela mente; o mais provável é que esteja sendo vítima de bullying.

3. Problemas psicossomáticos

Estes aparecem bem antes de a criança voltar às aulas, logo depois das férias ou do fim de semana. A criança tende a apresentar mal-estar como alterações gastrointestinais, dores inexplicáveis, pressão no peito. Igualmente, pode apresentar alterações do apetite ou do sono, ansiedade excessiva e nervosismo.

Estes sinais de forma isolada nem sempre conduzem a uma vítima de bullying; mas se detectar mais de um dos sinais em seu filho, é momento de ficar alerta.

4. Afetação emocional

Pessoa que sofre de bullying

O estresse pós-traumático que afeta à maioria dos assediados envolve transtornos emocionais, tais como baixa autoestima, ansiedade, déficit de atenção, perda de memória e ansiedade, dentre os mais comuns. Também pode apresentar alterações de comportamento como isolamento e agressividade.

Tipos de bullying dos que seu filho pode ser vítima

As modalidades do assédio escolar transcendem e mudam conforme a tecnologia avança. Desta forma, foram identificados diferentes tipos de bullying, dentre os quais podemos mencionar:

Assédio de baixa intensidade

Este tipo de bullying se reduz a insultos verbais, apelidos, propagação de rumores e humilhações por telefone.

Ciberbullying

Criança magoada por sofrer bullying

É a maneira mais demolidora de assédio, visto que não acaba quando a criança chega em casa, a humilhação que recebe se replica de forma massiva, já que aumenta o número de espectadores.

Assédio social

Este bullying se caracteriza por promover e gerar a exclusão do assediado das atividades coletivas. A vítima se isola e evita entrar em contato com seus companheiros, inclusive evade de seus amigos mais próximos.

Leia também: Como descobrir se seu filho sofre bullying na escola

Assédio psicológico

Fundamenta-se em ameaças relacionadas com um dano físico ou a divulgação de alguma informação vergonhosa para o assediado, sendo esta última a que as vítimas mais temem, acima do dano físico.

Bullying físico

Este tipo de assédio é evidente pelas agressões diretas. Acontece com maior regularidade com assediadores de maior idade ou porte físico.

Ações que deve empreender quando seu filho é vítima de bullying

Costuma-se trabalhar sobre o bullying quando a criança sofreu mais de um ataque e já tem sequelas. O principal problema é que os pais tendem a banalizar o fato. E a primeira coisa que devemos fazer é dar ao assunto a real importância que tem, sem culpar a vítima.

Devemos falar com nossos filhos, procurando um ambiente de confiança e companheirismo. Também é útil procurar a escola e tratar o tema com o professor ou diretos. Os professores podem supervisionar a situação de outro ângulo e ajudar a determinar o que acontece.

A atitude de instar nossos filhos a devolver a agressão ou a não se deixar assediar, sem darmos a eles um apoio contundente, é devastador para eles. Devemos acreditar em nossos filhos, gerar uma relação de confiança e apoiá-los em situações tão difíceis como esta.

Recomendados para você