Bromazepam: para que serve e qual é a dose adequada?

31 Outubro, 2020
O bromazepam, quando administrado em doses baixas, alivia a tensão psíquica, a ansiedade e o nervosismo. No entanto, em doses mais altas, tem um efeito sedativo e age como relaxante muscular.

O bromazepam pertence a um grupo de medicamentos chamados de benzodiazepínicos. Esse grupo de drogas diminui a excitação neuronal e tem um efeito antiepilético, ansiolítico, hipnótico e relaxante muscular.

Dessa maneira, o bromazepam administrado em doses baixas alivia a tensão psíquica, a ansiedade e o nervosismo. No entanto, em doses mais altas, tem um efeito sedativo e relaxante muscular.

É indicado para pessoas que apresentam sintomas de ansiedade, tensão, depressão, nervosismo, agitação e que têm dificuldade para dormir. Alguns pacientes com ansiedade ou nervosismo também podem ter problemas com os batimentos cardíacos, respiratórios ou digestivos. O bromazepam também pode ajudar a aliviar esses sintomas.

Na maioria dos casos, apenas o tratamento a curto prazo é necessário. Em geral, não deve exceder 8 a 12 semanas, incluindo nesse período o necessário para a retirada gradual do medicamento.

Desenvolvimento da dependência do bromazepam

Dependência de bromazepam

Além dos efeitos imediatos dos benzodiazepínicos, o bromazepam pode causar dependência a médio e longo prazo.

Os riscos decorrem da sua capacidade de produzir indução enzimática no fígado, o que resulta em tolerância. Portanto, para obter o mesmo efeito, a dose deve ser aumentada progressivamente. Se a sua administração for interrompida, a síndrome de abstinência aparece.

Como tomar bromazepam?

A apresentação do bromazepam é através de comprimidos para serem tomados por via oral. Dependendo da natureza da sua doença, idade e peso, o médico vai definir a dose apropriada.

Precauções antes de tomar bromazepam

  • Você não deve tomar bromazepam se for alérgico a este medicamento ou ao grupo de benzodiazepínicos em geral. Você também não deve tomá-lo se for dependente de álcool ou drogas.
  • Durante o tratamento com bromazepam, você deve evitar bebidas alcoólicas. O efeito do álcool pode aumentar a sedação.
  • Se você está grávida ou acha que pode estar, seu médico deve saber para avaliar a conveniência de tomar bromazepam. Além disso, também será importante avaliar a administração deste medicamento se você estiver amamentando.
  • No caso de pacientes com mais de 65 anos, o médico também reajustará a dose, dependendo da resposta.
  • Por outro lado, o médico avaliará a dose e a adequação do tratamento com bromazepam se você sofrer de distúrbios hepáticos ou renais, falta de ar ou fraqueza muscular.

Qual é a dose adequada?

Ansiolíticos

O recomendável é iniciar com a dose mais baixa de bromazepam. A maioria dos pacientes não precisa de mais de três comprimidos de 1,5 mg por dia, divididos em duas ou três doses.

Os comprimidos de bromazepam devem ser tomados antes ou em conjunto com as refeições. Além disso, você deve engoli-los inteiros e sem mastigar, com um pouco de água.

Na maioria dos casos, é necessário um tratamento a curto prazo, que não deve exceder 8 a 12 semanas. Esse período também inclui a fase de descontinuação gradual do medicamento.

Para evitar sintomas de abstinência, você não deve parar de tomar bromazepam repentinamente, especialmente se o estiver tomando há muito tempo.

Descubra também: Efeitos colaterais e riscos dos medicamentos para dormir

Quais efeitos colaterais o bromazepam pode causar?

A maioria dos pacientes tolera bem esse medicamento, mas os seguintes efeitos colaterais podem ser observados no início do tratamento:

  • Confusão e sonolência.
  • Dor de cabeça, tonturas e redução da prontidão.
  • Ataxia, falta de coordenação e visão dupla.
  • Náusea, vômito, fraqueza muscular e fadiga.

Esses sintomas ocorrem predominantemente no início do tratamento e, geralmente, desaparecem após a repetição das doses. No entanto, há outros possíveis efeitos colaterais, como:

  • Distúrbios do sistema imunológico.
  • Transtornos psiquiátricos, como depressão.
  • Irritabilidade.
  • Agressividade.
  • Ataques de raiva.
  • Pesadelos.
  • Alucinações.

Além dos efeitos mencionados, também podem aparecer problemas do coração, como insuficiência cardíaca e ataques cardíacos. Por outro lado, os pacientes podem sofrer quedas e fraturas, com risco aumentado em pacientes idosos e em pacientes que tomam outros sedativos ao mesmo tempo.

O uso de benzodiazepínicos, como vimos, pode desenvolver dependência física, mesmo em doses terapêuticas. Isso ocorre principalmente quando o medicamento é tomado continuamente por um longo período de tempo.

Não deixe de ler: Como prevenir o abuso de medicamentos prescritos?

Conclusão

O bromazepam é um benzodiazepínico. A eficácia e segurança desse tipo de medicamento foi demonstrada com a administração a curto prazo, de 8 a 12 semanas, em distúrbios graves de ansiedade e insônia grave.

Embora existam estudos que não justifiquem seu uso a longo prazo, atualmente alguns profissionais continuam prescrevendo-o por períodos prolongados.

  • Davies, J. A. (2011). Bromazepam. In xPharm: The Comprehensive Pharmacology Reference. https://doi.org/10.1016/B978-008055232-3.61346-7

  • Fontaine, R., Mercier, P., Beaudry, P., Annable, L., & Chouinard, G. (1986). Bromazepam and lorazepam in generalized anxiety: a placebo‐controlled study with measurement of drug plasma concentrations. Acta Psychiatrica Scandinavica. https://doi.org/10.1111/j.1600-0447.1986.tb06268.x

  • Gongora, M., Peressuti, C., Velasques, B., Bittencourt, J., Teixeira, S., Arias-Carrión, O., … Ribeiro, P. (2015). Absolute Theta Power in the Frontal Cortex During a Visuomotor Task: The Effect of Bromazepam on Attention. Clinical EEG and Neuroscience. https://doi.org/10.1177/1550059414535576