Quais são os benefícios da comida tailandesa?

Cada vez mais pessoas estão sendo atraídas pela culinária oriental. As mais difundidas são a japonesa e a chinesa. No entanto, a comida tailandesa também tem muitos benefícios a nos oferecer.

Última atualização: 15 Janeiro, 2021

A comida tailandesa é um reflexo dos seus valores nutricionais e culturais que visa aliar o prazer ao paladar com as qualidades medicinais dos seus ingredientes, oferecendo diferentes tipos de benefícios. Essa culinária fornece quantidades notáveis ​​de nutrientes, como fibras, vitaminas, minerais e proteínas.

Baseia-se em vegetais frescos e ervas aromáticas, bem como arroz, frutos do mar e carnes temperadas com especiarias. Curries, sopas e saladas são pratos fáceis que não exigem muito tempo.

Portanto, não é difícil tirar proveito dos benefícios da comida tailandesa na sua casa. No artigo a seguir, forneceremos algumas ideias de ingredientes e receitas para preparar.

Ingredientes principais da culinária tailandesa

A comida tailandesa é repleta de sabores intensos com uma grande variedade de salgados, ácidos, picantes e doces. Embora possa parecer complicado de preparar em casa, é possível criar pratos simples com algumas noções básicas. Estes são os produtos que não podem faltar para se iniciar na culinária tailandesa:

  1. Arroz: este é o cereal básico neste país oriental. O trigo geralmente não está presente, o que é positivo para pessoas com doença celíaca. Os tipos mais usados ​​são o jasmim e o glutinoso. Se for escolhida a versão integral, a quantidade de fibras, minerais e vitaminas aumenta. 
  2. Leite de coco: esse tipo de gordura quase nunca falta nos curries e em algumas sopas tailandesas tradicionais. Fornece ácido láurico, que ajuda a diminuir o colesterol LDL (mais conhecido como ruim) e aumenta o HDL ou colesterol bom.
  3. Mamão papaia verde: é o fruto verde, usado como se fosse um vegetal. Faz parte de uma das saladas mais populares do país. Fornece vitaminas, fibras e licopeno, componente com grande atividade antioxidante.
  4. Especiarias: são comuns e amplamente utilizadas. Graças a elas, os pratos adquirem cores e aromas muito típicos. Algumas delas, como a galanga, a cúrcuma e o cardamomo, são fonte de antioxidantes, vitamina C e substâncias anti-inflamatórias. Destaca-se também o uso de manjericão tailandês, alho e pimenta.
  5. Tofu: na Tailândia, ele é feito fresco todos os dias. Fornece proteína vegetal com todos os aminoácidos essenciais, sendo uma boa alternativa à carne ou ao peixe. Além disso, contém isoflavonas para as quais foram estudados possíveis efeitos positivos na redução do risco de diabetes tipo 2 e osteoporose.
  6. Frutos do mar: muitos pratos são preparados com camarão, lula ou peixe branco. Estes representam uma boa fonte de nutrientes básicos, entre os quais podemos citar os ácidos graxos ômega 3, proteínas, vitaminas lipossolúveis e minerais.

A comida tailandesa oferece muitos benefícios para a saúde graças aos seus componentes marinhos e ao tofu.

A comida tailandesa tem contraindicações?

Como regra geral, esta dieta tradicional pode ser considerada uma opção saudável de alimentação. Baseia-se numa variedade de ingredientes com grande presença de vegetais. No entanto, algumas de suas maneiras mais típicas de cozinhar e temperar pratos podem ter alguns efeitos não tão positivos.

Em primeiro lugar, um dos temperos presentes em muitos pratos é o glutamato monossódico, que é usado para dar um toque salgado. Food and Drug Administration o considera um ingrediente inofensivo, mas seu uso é controverso, por isso é necessário especificá-lo nos rótulos dos produtos.

Em algumas ocasiões, seu consumo gera a presença de efeitos negativos, como os seguintes:

  • Náuseas.
  • Ondas de calor e suor.
  • Dor de cabeça.
  • Pressão ou tensão facial.
  • Dormência e formigamento.
  • Fraqueza.

Outro ingrediente comum é o açúcar, que também é usado em receitas salgadas. É comum que os tailandeses o adicionem a sopas ou molhos para temperar vegetais e saladas. O consumo excessivo de açúcar tem demonstrado ter efeitos negativos para a saúde, por isso é melhor reduzir a sua presença e eliminá-lo na preparação dos pratos.

Também existem receitas com uma presença significativa de gordura. Isso ocorre com pãezinhos, arroz e macarrão frito, e também com alguns curries aos quais se adiciona leite de coco. O resultado são pratos com uma alta presença de lipídios e calorias que pode precisar ser controlada.

Leia mais: Bons motivos para consumir comida japonesa

6 receitas saudáveis de comida tailandesa

Vejamos 6 preparações de alimentos tailandeses que têm benefícios para a saúde. Você pode experimentá-las se ainda não foi apresentado a esta gastronomia.

Tom Yam Gung (sopa de camarão)

É um prato apimentado feito de ervas, limão, galanga, folhas de lima e chalotas. Inclui camarões cozidos e é temperado com molho de peixe e pimenta.

Som Tam (salada verde de mamão)

Essa receita da culinária tailandesa é comum e pode ser encontrada em qualquer canto do país. O ingrediente principal é o mamão verde, servido ralado. Acompanha verduras, como tomate e alho, junto com camarão seco e amendoim.

Pad Thai (macarrão frito)

É, sem dúvida, um dos pratos nacionais. É feito com macarrão de arroz cozido que pode ser acompanhado de vegetais, como broto de feijão e amendoim. Além disso, é adicionada proteína de tofu, carne ou ovo. O prato melhora a sua qualidade nutricional se for frito com uma quantidade moderada de azeite de oliva extravirgem.

Laab Khai (salada de frango)

Nativa do Nordeste do país. É uma salada à base de frango com vegetais, especiarias e ervas aromáticas. É servido acompanhado de folhas de alface e arroz glutinoso, que permitem criar um prato completo e nutritivo.

Rolinhos primavera (rolos vegetais)

Geralmente são servidos como entradas. É preparado com vegetais crus como alface, cenoura ou pepino, embrulhados em papel de arroz.

Curry verdevermelho ou massaman (curry tailandês)

A base deste prato são os temperos e ervas esmagados no pilão. Depois de fritar esta pasta, basta juntar o resto dos ingredientes e cozinhar tudo junto. Podem ser preparados com frango, carne ou camarão.

A comida tailandesa se expandiu em todo o mundo, com diversos restaurantes dedicados a essa especialidade no Ocidente.

Descubra: Descubra as propriedades e usos da hortelã

Tire proveito dos benefícios da comida tailandesa

Incluir comida tailandesa em sua dieta é uma alternativa saudável, pois essa cozinha tradicional se baseia na utilização de ingredientes frescos e nutritivos, como vegetais, ervas aromáticas, especiarias, proteína animal e arroz. No entanto, também apresenta pontos fracos, pois quando se trata de temperar, o açúcar, o glutamato monossódico e as gorduras costumam ser usados em abundância.

Existem vários ingredientes e pratos típicos muito saudáveis ​​que podem ter benefícios para a saúde. Depois de familiarizado com eles, é possível preparar receitas asiáticas com muito sabor e aroma em casa ou ir a qualquer restaurante com a segurança de estar fazendo uma boa escolha.

Pode interessar a você...
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Burrito de arroz de couve-flor e salada tailandesa

O burrito de arroz de couve-flor é um alimento que merece ser provado combinado com uma salada tailandesa. Conheça a receita a seguir!



  • Pabich M, Materska M. Biological Effect of Soy Isoflavones in the Prevention of Civilization Diseases. Nutrients. Julio 2019.11(7):1660.
  • Rachkeeree A, et al.  Nutritional Compositions and Phytochemical Properties of the Edible Flowers from Selected Zingiberaceae Found in Thailand. Frontiers in Nutrition. Febrero 2018.5:3.
  • Rippe JM, Angelopoulos TJ. Relationship between Added Sugars Consumption and Chronic Disease Risk Factors: Current Understanding. Nutrients. 2016. 8(11):697.
  • Vanga SK, Raghavan V. How well do plant based alternatives fare nutritionally compared to cow’s milk?. Journal of Food Science and Technology. Enero 2018. 55(1):10-20.
  • Ramírez, Anahi Esquivel, Araceli Castañeda Ovando, and Juan Ramírez Godínez. “Cambios químicos de los aceites comestibles durante el proceso de fritura. Riesgos en la salud.” Boletín Científico de Ciencias Básicas e Ingeniería 3 (2014).