Barriga de aluguel desabafa: “Eu dei à luz gêmeos há 14 meses e os pais nunca vieram buscá-los”

No primeiro momento, as coisas pareciam estar caminhando da melhor maneira possível, mas algo saiu errado.
Barriga de aluguel desabafa: “Eu dei à luz gêmeos há 14 meses e os pais nunca vieram buscá-los”

Última atualização: 13 junho, 2022

Com certeza você já ouvir falar sobre barriga de aluguel. É uma das alternativas buscadas por mulheres e casais que desejam ter um filho, mas por diversos motivos não são capazes de gestar herdeiros biológicos.

Essa opção é muito comum, principalmente fora do Brasil. Uma “barriga de aluguel” consiste em uma mulher gerar o bebê em seu útero, mas para outra pessoa.

O embrião é gerado por meio de técnica de reprodução assistida, de modo que mantém a genética de seus pais biológicos. Como recompensa, no exterior é comum que a gestante receba um pagamento por gerar o bebê.

No Brasil, porém, esse tipo de procedimento é um pouco diferente: não pode envolver o pagamento de recompensas ou qualquer outro aspecto comercial. Por isso, os termos corretos no país são: gestação de substituição ou doação temporária do útero.

As regras para uma gestação de substituição no Brasil são definidas pela Resolução CFM N° 1.358/92, do Conselho Federal de Medicina.

Uma norte-americana foi até as redes sociais para contar como havia sido “trolada” pelo casal com quem fez negócio

Uma mulher quefoi barriga de aluguel dos Estados Unidos acabou se deparando com uma situação bastante inusitada após ter sido contratada por um casal para gestar o seu filho.

Ela contou nas suas publicações que já havia sido barriga de aluguel anteriormente e foi uma experiência positiva, por isso, em 2020, decidiu que gestaria outra criança pela última vez.

Então, se registrou em uma agência que a conectou a um casal que mora no exterior. As coisas pareciam estar caminhando da melhor maneira possível, e ela engravidou de gêmeos logo após assinar o contrato. Mas algo saiu errado: os pais dos bebês não apareceram para buscá-los.

“Eles não estavam dispostos a ficar em quarentena por duas semanas antes de entrar nos EUA”, explicou a mulher. “Eles não apenas não pegaram os gêmeos, como nunca estabeleceram seus direitos parentais”, complementou.

No início, os pais dos bebês estavam enviando dinheiro para que ela pudesse cuidar das crianças. No entanto, essa situação desagradou a mulher, que pediu para que eles parassem de enviar dinheiro se não tivessem a intenção de buscá-los.

Depois dessa declaração, a mulher relatou que os pais não entraram mais em contato, nem mesmo quando os bebês completaram um ano de vida.

barriga de aluguel

Eles estão há mais de 50 dias sem nenhuma notícia do casal e os gêmeos já estão com 14 meses

Nessa situação e sem saber o que fazer, a mulher relatou que contratou um advogado para lhe direcionar em seus próximos passos.

Até momento, ela e seu marido constam como pais legais dos bebês nas certidões de nascimento porque os pais biológicos não estavam presentes no dia em que as crianças nasceram.

O contrato que assinaram previa que uma segunda certidão de nascimento deveria ser feita assim que eles chegassem para levar os gêmeos embora para o seu país e estabelecer formalmente seus direitos parentais.

No entanto, até o momento isso não aconteceu, ainda que as restrições em viagens por conta da COVID tenham terminado no final de 2021.

É uma situação delicada. Nas redes sociais, as pessoas ficaram espantadas com o caso e com a falta de responsabilidade do casal. Como é que alguém abandona os filhos dessa maneira?

Muitos pontuaram que eles deveriam ter pensado melhor antes de tomar a decisão de terem filhos porque acabaram transferindo a sua responsabilidade enquanto pai e mãe para a mulher que gestou os bebês e seu marido, sem que eles fossem sequer questionados se poderiam assumir essa responsabilidade.

Pode interessar a você...
Bebê on-line: após comprar esperma on-line, mulher consegue ter seu 2º filho
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Bebê on-line: após comprar esperma on-line, mulher consegue ter seu 2º filho

Conheça a história de Eden, uma bebê concebida de forma caseira (mas não convencional) graças a um aplicativo on-line de doação de esperma.