Alimentos que causam fadiga

22 Janeiro, 2018
Além das atividades que fazemos diariamente, a alimentação também pode contribuir para o cansaço físico e mental. Saiba quais são os alimentos que causam fadiga!

Se no decorrer do dia você se sentir cansado, com falta de energia ou dificuldade para se concentrar, isso pode ser devido a vários fatores: estresse, poucas horas de sono, estilo de vida sedentário ou uma das principais razões: uma dieta desequilibrada. Sim, existem alguns alimentos que causam fadiga.

Uma dieta com excesso de gorduras e açúcares refinados pode causar fadiga física e mental. Uma dieta com essas características geralmente é deficiente em vitaminas e minerais . Vejamos quais são os alimentos que causam fadiga para que possamos evitá-los.

Quais são os alimentos que causam fadiga e cansaço?

Vegetais enlatados

O excesso de calorias e uma quantidade abundante de alimentos sobrecarregam o sistema digestivo e forçam o corpo a se concentrar nessa tarefa. Isso subtrai a energia do organismo, gerando fadiga que dificulta a realização de outras atividades.

Os alimentos que causam fadiga são:

  • Os alimentos processados. Eles têm um alto teor de farinha, sal e açúcar, além de um sabor viciante. O corpo tem que fazer um grande esforço para digeri-los, levando a uma digestão mais pesada do que o normal.
  • Os carboidratos. O pão branco, o arroz branco, as massas e os biscoitos podem dar-lhe um impulso energético, mas causam sonolência, lentidão e fadiga.
  • O açúcar refinado. Ao ingerir alimentos com açúcar, o pâncreas começa a bombear insulina. Com isso, a energia sobe, mas cai rapidamente. Este é o caso de doces, bolos, chocolates, sorvetes.
  • A cafeína. Ela gera hiperatividade porque é uma bebida estimulante. Energeticamente ativa as funções do corpo, mas você não pode abusar dela. Causa insônia, fadiga, e em algumas pessoas pode causar problemas digestivos.
  • Álcool. É um depressor natural do sistema nervoso. Seu consumo afeta neurotransmissores, fazendo com que os impulsos nervosos demorem mais para atingir o cérebro. Seu consumo aumenta a fadiga.
  • Hidratação ruim. O consumo de água é essencial. Os sintomas de baixa hidratação são dores de cabeça, problemas de concentração, peso, entre outros.

É importante escolher melhor os alimentos. Escolha aqueles que contenham mais nutrientes, vitaminas e antioxidantes para que possa ter uma boa digestão e gerar a energia necessária para realizar tarefas e exercícios diários.

Quais alimentos equilibram o organismo?

Cereais integrais

Os alimentos que equilibram o corpo são ricos em nutrientes que fornecem energia de forma estável, ajudam a superar a fadiga e mantêm o sistema nervoso em boas condições de funcionamento. Devemos optar por esses alimentos em detrimento dos alimentos que causam fadiga. Alguns deles são:

  • Grãos integrais, aveia, arroz, milho, centeio.
  • Leguminosas, que são uma ótima fonte de carboidratos que fornecem proteínas, fibras, vitaminas e minerais.
  • Os vegetais, especialmente os de folhas verdes, são ricos em magnésio, cálcio e oligoelementos.
  • As sementes e oleaginosas, que possuem uma alta concentração de ácidos graxos essenciais, como ômega 3 e ômega 6. Exemplo: abóbora, linhaça, nozes, girassol, amêndoas.
  • Frutas, que são geradoras de energia por excelência. As frutas contêm açúcares, mas também fibras de excelente qualidade . Além disso, contêm muita água, são facilmente digeridas e são altamente energéticas.

Dicas adicionais para evitar a fadiga física e emocional

Jovem cansado estudando

A fadiga não é apenas uma sensação física; também pode limitar o desempenho das atividades, afetando emocional e socialmente. Pode estar associada a vários sintomas, tais como estresse e depressão, entre outras expressões do corpo.

Além de uma dieta equilibrada, existem outras recomendações para evitar ou superar a fadiga a nível físico e emocional, além de evitar a ingestão dos alimentos que causam fadiga.

  • Tome café da manhã.
  • Coma uma xícara de cereais e frutas todas as manhãs.
  • Tente reduzir o estresse, de modo que seus níveis de cortisol também sejam reduzidos.
  • Tente dormir entre 7 e 8 horas por dia.
  • Tente realizar, durante o dia, atividades físicas e/ou distrações que o relaxem e ajudem a reduzir os níveis de estresse.
  • Incorpore suplementos energizantes, como ginseng ou geleia real. Estes contêm vitaminas e minerais, que também servem como antioxidantes.
  • Tome infusões que ajudem a energizar seu corpo, por exemplo, infusões de canela ou hortelã.
  • Faça uma pausa de meia hora durante o trabalho; ela costuma ser muito restauradora. Se você tiver a possibilidade, faça uma sesta depois de comer.
  • Não seja tão exigente consigo mesmo ou se pressione demais. Seja mais flexível, dê mais permissões em suas diferentes áreas de vida.
  • Reveja suas prioridades e tenha em mente suas necessidades pessoais. Não as deixe em último em sua lista de tarefas.
  • Consulte um psicólogo se tiver sintomas depressivos ou sentir que não pode superar conflitos pessoais. Este profissional pode ajudá-lo a encontrar soluções.
  • Stanhope KL., Sugar conumption, metabolic disease and obesity: the state of the controversy. Crit Rev Clin Lab Sci, 2016. 53 (1): 52-67.
  • Venkataraman A., Kalk N., Sewell G., Ritchie CW., et al., Alcohol and alzheimer’s disease does alcohol dependence contribute to beta amyloid deposition, neuroinflammation and neurodegeneration in alzheimer’s disease? Alcohol Alcohol, 2017. 52 (2): 151-158.
  • McLellan TM., Caldwell JA., Lieberman HR., A review of caffeine’s effects on cognitive, physical and occupatoinal performance. Neurosci Biobehav Rev, 2016. 71: 294-312.