A dificuldade de esquecer um ex

28 de janeiro de 2019
Terminar um relacionamento não deve ser o fim do mundo. Acredite ou não, sua vida vai além dessa pessoa e você será feliz novamente.

Quando um relacionamento amoroso termina, ambos acabam passando por um período de luto. Independentemente dos motivos que levaram ao rompimento, às vezes nos vemos incapacitados de esquecer um ex parceiro.

A dor e o sofrimento dependerão muito do tempo que ficaram juntos. Se foi por apenas alguns meses, será muito mais fácil do que se a relação foi uma relação de anos.

De qualquer modo, é importante saber virar a página, ainda que, em algumas ocasiões, não sejamos capazes de fazer isso devido a outro tipo de problema.

Esquecer o ex para se permitir seguir em frente

Esquecer o ex para se permitir seguir em frente

Por que é tão difícil nos desvincularmos dessa pessoa? É porque a amamos tanto? Um relacionamento termina por motivos que ambos sabem, mas, às vezes é difícil, pois acreditamos que ainda estamos apaixonados.

Em alguns casos, inclusive, nos forçamos a tentar uma segunda vez, mas os problemas não se resolvem e voltam a aparecer.

O resultado é que nós enfrentamos um segundo término, mais doloroso e pior do que o primeiro.

A seguir, queremos compartilhar alguns motivos com os quais podemos nos sentir identificados, quando o assunto é o fim de um relacionamento e esquecer um ex.

Leia também: 5 sinais que indicam que uma relação chegou ao fim

1. Dependência emocional

Muitas são as pessoas que sofrem de dependência emocional, a incapacidade de poder viver sem estar em um relacionamento. Às vezes, isso é o resultado de carências afetivas que arrastamos desde a infância.

Nesse tipo de problema, a pessoa não se dá conta de que não ama seu parceiro, apenas necessita dele.

2. Não gostamos de perder

Não tenha medo da mudança; pense que se o seu relacionamento terminou, o melhor é tomar outro caminho.

Sim, temos que admitir. Ninguém gosta de perder, pelo menos não a maioria das pessoas. Isso faz com que esse fim e essa desvinculação sejam algo que não está nos nossos planos.

Além disso, essa situação piora com a ideia do amor romântico, na qual quando o relacionamento termina acreditamos que a vida se vai com ela, que tudo se paralisa, que nada mais pode seguir adiante.

Pensar realmente em você dói bastante, ou sua mente o faz a creditar que dói. Às vezes, vemos a situação desde uma perspectiva onde nossas emoções e sentimentos se confundem.

Não quero esquecer essa pessoa porque a amo ou porque me sinto ferida?

3. Sair da zona de conforto

Muitos podem confundir com o medo da solidão, mas isso vai muito além. Temos medo de perder esse estado tão cômodo onde nos encontramos, porque a mudança sempre nos causou pavor.

Se você viveu uma situação com seu parceiro por muito tempo, mudar tudo isso é o que você rejeita. Acredita se sentir seguro em algumas circunstâncias porque teme que tudo pode piorar.

Mas pense: do que você tem medo?

Às vezes, nossos temores são completamente infundados.

Em muitos casos, nos vemos arrastados e obrigados a sair da nossa zona de conforto. Não gostamos disso, mas quando não temos opção, não é uma alternativa.

Não tenha medo da mudança; pense que se o seu relacionamento terminou, o melhor é tomar outro caminho.

Não deixe de ler: Aceite as mudanças. Sempre há algo maravilhoso a aprender

Independentemente dos motivos que levaram ao rompimento de um relacionamento, às vezes nos vemos incapacitados de esquecer um ex parceiro.

São muitas as vezes nas quais não queremos esquecer um ex, porque nos sentimos inseguros para enfrentar a vida sem essa pessoa que esteve ao nosso lado por tanto tempo. A isso denominamos egoísmo.

Temos que aprender a desapegar, pois só assim poderemos seguir adiante. Além disso, cometemos um grande erro, fruto da nossa percepção sobre o amor romântico: acreditamos que não há vida depois de terminada a relação.

Um rompimento no relacionamento não significa que sua vida se acabou, implica um capítulo terminado da sua vida. Mas, desde quando um livro termina com um único capítulo?

Comece a virar a página e continue escrevendo o livro de sua vida. Ainda restam muitas experiências a viver.

  • Maureira, F. (2011). Los Componentes de la Relación de Pareja. Revista Electrónica de Psicología Iztacala.
  • Negreiros, F. (2011). A CO-DEPENDÊNCIA NA PERSPECTIVA. Boletim de Psicologia.