Os 7 melhores alimentos para aumentar as plaquetas do sangue

18 de junho de 2020
Antes de fazer uma mudança na nossa dieta, é conveniente consultar o médico sobre quais são os melhores alimentos para o nosso caso.

Você quer saber quais são os melhores alimentos para aumentar as plaquetas do sangue? Então não perca o que compartilhamos neste artigo!

As plaquetas são pequenos fragmentos de células produzidas na medula óssea que circulam no sangue. A sua função é formar coágulos para curar feridas e prevenir sangramentos. Também são chamadas de trombócitos.

Em seu interior, há pequenos sacos chamados grânulos, os quais liberam substâncias químicas que atraem outras plaquetas ao lugar da lesão para formar o que se conhece como tampão plaquetário.

Em geral, desempenham um papel-chave no controle de hemorragias. Portanto, a sua presença no sangue é fundamental para todos.

Problemas na produção de plaquetas

O problema é que, às vezes, ocorrem transtornos da função plaquetária. Seja porque sua produção se reduz ou aumenta ou porque elas não agem da forma como deveriam.

Como consequência, surgem os transtornos sanguíneos crônicos. Assim, é claro, aumenta o risco de perdas significativas de sangue.

Para evitar complicações, o controle e tratamento médico é fundamental. Além disso, é conveniente incluir na dieta alguns alimentos que, devido às suas propriedades, são benéficos para regular os níveis de plaquetas no sangue.

Alimentos para aumentar as plaquetas do sangue

1. Abóbora

alimentos para aumentar as plaquetas do sangue

A abóbora, incluindo as suas sementes, tem aminoácidos e vitaminas essenciais para a formação de plaquetas.

O seu consumo regular melhora a absorção de proteínas e vitamina A, nutrientes que participam na produção dessas pequenas células.

Além disso, como contém poderosos antioxidantes, a abóbora é ideal para inibir os efeitos negativos das toxinas e dos radicais livres.

2. Frutos cítricos

Os frutos cítricos, quando ingeridos em quantidades moderadas, são um bom complemento para a saúde sanguínea. Isso se deve ao seu alto teor de vitamina C, um nutriente essencial que aumenta a quantidade de plaquetas no sangue.

Por isso, a sua absorção fortalece o sistema imunológico. Dessa forma, aumenta a produção de anticorpos.

3. Groselha da Índia

Alimentos para aumentar as plaquetas

 

Ainda que seja um fruto exótico e não tão popular, a groselha da Índia faz parte do grupo de alimentos que promovem a saúde sanguínea e imunológica.

Além disso, contém vitaminas A e C, as quais intervêm na formação das plaquetas do sangue.

4. Suco de babosa (Aloe Vera)

O Aloe Vera é uma planta que contém: cálcio, magnésio, fósforo, potássio, zinco, sódio, cobre, vitamina C e E, vitaminas do complexo B, entre outras.

Na esfera popular, considera-se que o suco de aloe vera pode ser um aliado para cuidar da saúde cardiovascular e promover a produção de plaquetas.

5. Espinafre

folhas espinafre

O espinafre faz parte do grupo de vegetais verdes com centenas de benefícios para o organismo. Neste caso, destaca-se por seu significativo teor de vitamina K e proteínas, as quais desempenham um papel importante na coagulação do sangue, o que reduz o risco de sangramento excessivo.

 Leia também: 7 razões para comer espinafre todos os dias

6. Mamão papaya

O extrato das folhas de Carica papaya está sendo estudado como um tratamento complementar para os distúrbios da função plaquetária.

7. Beterraba

alimentos para aumentar as plaquetas do sangue

A beterraba é uma grande fonte de substâncias antioxidantes. Dessa forma, ajuda a prevenir a redução das plaquetas devido aos efeitos dos radicais livres.

Os seus teores de vitaminas A, C e K, além de minerais, ajudam a purificar o sangue e reduzem a deterioração dos vasos sanguíneos.

Popularmente se considera que, quando preparada em forma de suco, fortalece o sistema imunológico e previne o desenvolvimento de problemas sanguíneos e circulatórios.

Por si só, o consumo de certos alimentos, bebidas ou remédios naturais não ajuda a tratar ou curar doenças. No entanto, o seu consumo moderado, dentro de um estilo de vida saudável, no qual está incluído o acompanhamento das instruções do médico, pode ser benéfico para a saúde.

Em caso de dúvida, é melhor consultar o médico sobre as quantidades e as melhores maneiras de ingerir esses alimentos, pois outros hábitos de vida, medicamentos e terapias complementares devem ser levados em consideração.