6 problemas bucais que indicam a presença de doenças

· 27 de setembro de 2015
A boca é uma das regiões mais sensíveis e importantes corpo. Como o organismo é interconectado, um problema em uma região afeta outra, ou seja, uma doença em um órgão interno, como o estômago, pode se manifestar através da boca, como o mau hálito.

Problemas bucais são comuns em todas as idades. A boca é a porta de entrada para o corpo, não apenas de água e alimentos, mas também de agentes nocivos, como bactérias e parasitas.

Alguns sintomas, como por exemplo, a sensação de ter os dentes frouxos, podem ser sinais de doenças mais graves, como por exemplo a periodontite. Já a perda de dentes pode ser um sinal de osteoporose. 

É preciso cuidado constante para manter sua boca segura, por outro lado, procure ingerir substâncias e alimentos benéficos para a saúde.

A higiene também é muito importante para evitar problemas bucais. A escovação deve ser diária, sempre após lanches e refeições. E não se esqueça do fio dental!

A visita periódica ao dentista é recomendada a cada seis meses. A troca da sua escova dental (sempre de cerdas macias e firmes) deve ser feita a cada três meses.

Confira abaixo alguns sinais que aparecem na boca, mas que podem ser um indício de problemas bucais ou de saúde mais graves:

Problema bucal 1: dor na mandíbula ou nos dentes

problemas bucais

A dor na parte inferior da mandíbula, acompanhada por sintomas como fadiga e dor no peito que se irradia pelos braços, pode ser um sinal de ataque do coração.

Por outro lado, se a dor aparecer na parte superior dos dentes, o mais provável é que esteja alertando sobre uma crise de sinusite.

A sinusite é uma inflamação das cavidades naturais ao redor das fossas nasais. Provoca uma dor que pode afetar a mandíbula, os dentes e a cabeça.

Mas se você não tiver um histórico de doenças cardíacas ou de sinusite, não precisa se alarmar.

Nesses casos, é provável que a dor não seja por problemas bucais, mas de origem muscular. Talvez você tenha dormido de mau jeito, comprimindo os dentes.

Problema bucal 2: aftas ou úlceras bucais

Aftas indicam problemas bucais

As aftas, o herpes, as leucoplasias e a candidíase (infecção causada por fungo) são os tipos de feridas mais comuns que podem aparecer na boca a qualquer momento.

Cada uma dessas feridas aparece por um motivo diferente e é muito importante dar atenção a elas, já que podem indicar até doenças graves, como:

  • o câncer de boca (como no caso das leucoplasias),
  • diminuição da imunidade geral do corpo (como no caso da candidíase),
  • ou apenas uma irritação causada por aparelhos ortodônticos, por exemplo.

Problema bucal 3: mau hálito

Mau hálito problemas bucais

Cerca de 90% dos casos de mau hálito que se originam na boca estão associados às bactérias presentes na parte posterior da língua e doenças da gengiva.

No entanto, os 10% restantes podem ser um sinal de algo mais grave, sobretudo, quando aparece de repente. Pode ser um indício de:

  • diabetes tipo 2,
  • gastrite,
  • lesões estomacais, problemas no fígado, rins ou intestinos.

Isso certamente vai interessar você. Por que sofremos de mau hálito e como tratá-lo naturalmente?

Problema bucal 4: alterações na aparência das gengivas

Gengivas esbranquiçadas são um sinal claro de anemia, porque indicam a diminuição dos glóbulos vermelhos no sangue. Neste caso, a língua também fica mais arroxeada, inflamada e brilhante.

se as gengivas se apresentarem roxas e inflamadas, a causa pode ser uma gengivite Essa é uma condição dolorosa que pode provocar sangramento e até a perda de dentes, se não for tratada a tempo.

Problema bucal 5: perda de dentes

Se você tiver a sensação de que os dentes estão mais “frouxos” e as gengivas estiverem roxas e brilhantes, pode ser um sinal de periodontite.

Na periodontite, os tecidos que rodeiam o dente, e que são responsáveis por dar sustentação a ele, ficam comprometidos. A gengiva se retrai e os dentes ficam frouxos, uma situação muito desagradável.

Se não for tratada, a periodontite pode também disseminar bactérias na corrente sanguínea. Isso portanto, pode prejudicar também o funcionamento do coração.

Perda dos dentes indicam problemas bucais

Outras causas da perda dos dentes

Algumas mulheres perdem um ou mais dentes durante a gestação. Isso acontece porque o excesso de hormônios causa uma reação exagerada do corpo à placa que se forma nos dentes.

Estima-se que 60 a 70% das gestantes desenvolvem a chamada “gengivite da gravidez. Evite o problema consultando com seu médico e dentista, e redobrando os cuidados com a saúde bucal.

A perda dos dentes pode ser um sinal de avanço de uma osteoporose, se não houver sinal de infecções na boca.

As mulheres que já estão na menopausa devem prestar bastante atenção a esse tipo de sinais. Nessa fase da vida, a densidade dos minerais nos ossos diminui, provocando o aparecimento de uma doença crônica.

Problema bucal 6: sangramento das gengivas

Este sintoma é muito comum quando há algum tipo de lesão ou infecção afetando as gengivas. Se o sangramento for constante e abundante, pode ser sinal de uma leucemia.

Não deixe de ler também. 13 razões pelas quais as gengivas sangram quando você escova os dentes

Se o problema vier acompanhado de sangramento nasal, pode estar associado a um problema no fígado. Nesse caso, descartamos a origem por problemas bucais.

O fígado tem a capacidade de fabricar substâncias que facilitam a coagulação do sangue. Por isso, quando o órgão apresenta algum problema, pode resultar em sangramentos nas gengivas e no nariz.

Nesses casos, é necessário consultar o médico, porque se for ignorado, pode evoluir para um problema de saúde mais grave.

Na menopausa, algumas mulheres apresentam um leve sangramento nas gengivas após ingerir uma aspirina (ácido acetilsalicílico). Nesse caso, não precisa se preocupar: basta enxaguar a boca com um pouco de bicarbonato para desinfetá-la.

Se você notar qualquer um dos sintomas mencionados, não deixe de consultar o médico ou seu dentista.

As informações foram úteis pra você? Então não deixe de ler os próximos artigos da nossa página.

FILGUEIRAS, J. (1952). Odontologia preventiva. Revista Brasileira de Medicina.