Sinais e sintomas das varizes esofágicas

12 de maio de 2019
As varizes esofágicas apresentam uma série de sintomas que podemos ignorar até que se agravam. Hoje descubra quais são e as opções de tratamento que existem na atualidade.

Todos sabem o que são as varizes: dilatações das veias que provocam uma insuficiência venosa. No entanto, existem também as varizes esofágicas situadas na parte final do esôfago e que dificultam a passagem do sangue.

Como saber se tenho varizes esofágicas?

Varizes esofágicas causam preocupação

O maior risco das varizes esofágicas é a ruptura e os possíveis sangramentos. Para saber se tem ou não varizes esofágicas, um estudo publicado na Revista Espanhola de Doenças Digestivas expõe aqueles fatores que incidem em sua aparição e os possíveis sinais a serem levados em consideração.

No entanto, como bem indica o estudo, muitas vezes as varizes esofágicas não apresentam sintomas e os que manifesta podem ser confundidos com outros problemas menos graves. Veja quais são:

  • Deposições negras: ainda que possamos não dar importância a esta cor, se for causada por este tipo de varizes é devido a presença de sangue. Isso se produz devido a ruptura das varizes.
  • Vômitos de sangue: a princípio podem aparecer tonturas ou náuseas, até chegar a vomitar sangue. Ante isso é necessário procurar rapidamente um médico.
  • Perda de consciência: costuma acontecer devido a hemorragia produzida pelas varizes esofágicas, que conduz à tontura e ao desmaio nos casos mais graves.

Se estes sintomas se mantiverem por um tempo, é necessário procurar um médico o quanto antes. Perder a consciência, estar enjoado ou vomitar sangue podem alertar se este tipo de varizes está afetando gravemente a saúde.

Talvez te interesse ler também: Sintomas de inflamação no esôfago

Diagnóstico: a endoscopia

Para realizar um diagnóstico confiável, logo após ter procurado o médico com os sintomas mencionados, este realizará uma endoscopia. Esta permite realizar inclusive biópsias para poder ajustar o diagnóstico o máximo possível.

Com a endoscopia introduz-se uma câmera pelo esôfago que permite ver a presença de varizes, além disso, permite analisar sua gravidade. Isso é, se são grossas, se há uma grande quantidade, se apresenta uma hemorragia grave na área, etc.

Dependendo do tipo de varizes o médico optará por tratá-las de uma ou outra maneira. Por exemplo, se há pouca quantidade, são pequenas e não há hemorragia na área, pode ser que o médico opte por recomendar um seguimento para ver como o problema evolui.

Descubra ademais: Os melhores remédios naturais para cicatrizar feridas

Opções de tratamento

Homem fazendo uma endoscopia

Mediante a endoscopia, os médicos poderão realizar um diagnóstico preciso e o tratamento mais adequado. Como mencionamos, dependendo do tipo de varizes descobertas na endoscopia, o médico optará por um tratamento ou outroA seguir, veja algumas opções que existem na atualidade:

  • Administração de medicamentos: se não há sangramentos, ainda que tenha varizes grandes, administra-se fármacos para reduzir sua pressão.
  • Ligadura endoscópico: quando a opção de tratamento anterior não puder ser aplicada devido a intolerância ou a efeitos secundários. Pode-se estrangular as varizes com aros de borracha para favorecer seu desaparecimento.
  • Escleroterapia endoscópica: utiliza-se quando há hemorragia, injetando uma substância no interior das varizes.

Todos estes tratamentos podem ter consequências. Por exemplo, os medicamentos podem não ser tolerados pelo corpo manifestando efeitos secundários desagradáveis como náuseas, diarreias ou enjoos.

Por isso, o médico realizará um seguimento que será muito importante para detectar qual é o tratamento que funcionará melhor para o paciente que está sofrendo as varizes esofágicas.

As pessoas que devem ter mais cuidado com os sintomas ou sinais que podem alertar da presença deste tipo de varizes são aquelas com cirrose (doença do fígado) ou que tenham sofrido uma trombose. Mesmo que as varizes esofágicas possam aparecer por outras causas, estes grupos de risco mais susceptíveis.

Concluindo

Por fim, ante a presença de fezes escuras, enjoos ou vômitos com sangue devem procurar o médico o quanto antes. Um tratamento rápido permitirá reduzir o sofrimento e o mal-estar, assim como evitar que a situação piore.

Ter varizes grandes que se rompem pode gerar uma hemorragia bastante grave que pode colocar em risco a vida do paciente. Por isso, não menospreze os sinais que podem alertar da presença desse tipo de varizes.

  • Infante Velázquez, Mirtha, Rosado Vargas, Coralia, Pérez Lorenzo, Marlene, Samada Suárez, Marcia, & Hernández Amarán, Mariela. (2013). Factores predictivos de la presencia de várices esofágicas en pacientes cirróticos. Revista Cubana de Medicina Militar42(1), 56-61. Recuperado en 01 de febrero de 2019, de http://scielo.sld.cu/scielo.php?script=sci_arttext&;amp;pid=S0138-65572013000100008&lng=es&tlng=es.
  • Vázquez González, Pedro, & Osorio Pagola, Marcos. (2010). Escleroterapia endoscópica de várices esofágicas. Presentación de un caso: nueva medida a tener en cuenta. MediSur8(5), 76-79. Recuperado en 01 de febrero de 2019, de http://scielo.sld.cu/scielo.php?script=sci_arttext&;amp;pid=S1727-897X2010000500014&lng=es&tlng=es.
  • Velásquez Chamochumbi, Hermes. (2006). Hemorragia digestiva por várices esófago – gástricas. Acta Médica Peruana23(3), 156-161. Recuperado en 01 de febrero de 2019, de http://www.scielo.org.pe/scielo.php?script=sci_arttext&;amp;pid=S1728-59172006000300006&lng=es&tlng=es.
  • Zumaeta Villena, Eduardo. (2007). Várices esofagogástricas. Acta Médica Peruana24(1), 47-52. Recuperado en 01 de febrero de 2019, de http://www.scielo.org.pe/scielo.php?script=sci_arttext&;amp;pid=S1728-59172007000100011&lng=es&tlng=es.