O sexo anal dói?

05 Novembro, 2020
O sexo anal é definido como a prática sexual em que o pênis é inserido no ânus a fim de obter prazer.

O sexo anal é uma prática tabu há séculos. Tanto que muitas pessoas ainda sentem medo, dada a falta de informações que têm sobre o assunto e, acima de tudo, a ideia de que pode ser algo doloroso.

No entanto, existem casais que gostam dessa prática na intimidade e, além disso, sem dor. Como eles fazem isso? Muito simples, levando em conta algumas considerações e cuidados.

A seguir, veremos se o sexo anal é uma atividade prazerosa, como pode ser realizado de maneira saudável para curtir um bom encontro sexual e os riscos que acarreta quando certas medidas não são levadas em consideração.

Pode haver prazer no sexo anal?

Práticas que envolvem risco

O sexo anal pode ser muito prazeroso, desde que certos quesitos sejam atendidos. A esse respeito, o Instituto de Sexualidade Humana da Universidade Autônoma de Santo Domingo indica o seguinte:

  • É necessário recorrer às preliminares e à estimulação para que o ânus se dilate pouco a pouco. Normalmente, a masturbação é usada para excitar o parceiro e, por sua vez, fazer com que seus músculos relaxem.
  • Usar lubrificantes apropriados para a área (à base de água) para facilitar a penetração. Note que a aplicação do lubrificante pode ajudar a promover a excitação. A saliva não é recomendada.
  • Escolha um ângulo de penetração apropriado (ou seja, uma postura confortável, como a do cachorrinho).
  • Sempre use camisinha!
  • Gentilmente e lentamente insira o pênis no ânus.
  • Não faça movimentos bruscos.

Em relação à higiene

  • Claro, higiene é essencial em todos os momentos: antes, durante e depois. 
    • É mais do que aconselhável defecar antes de praticar sexo anal.
    • O ânus do parceiro deve estar limpo. A limpeza pode ser realizada simplesmente com água e sabão.
    • Se os dedos forem introduzidos para estimulação, as mãos da pessoa devem não apenas estar limpas, mas também com unhas bem cortadas e lixadas para evitar arranhões e outras possíveis lesões ao manusear a área durante a estimulação.
  • NÃO penetre na vagina durante o sexo anal ou depois (a menos que sejam tomadas medidas de higiene adequadas).
  • Existem certas práticas que devem ser evitadas, pois também representam um alto risco de infecção:
    • Fisting: é uma prática extrema em que o prazer é procurado dilatando o ânus, introduzindo todos os dedos, a mão e, finalmente, o punho.
    • Creampie: trata-se de realizar a ejaculação no ânus.
    • Anilingus: também conhecido coloquialmente como “beijo grego”, é a introdução dos lábios e da língua no ânus para estimular o parceiro.

A dor aparece quando não há cuidados

Se a prática do sexo anal for realizada sem estimulação prévia e de maneira brusca e acelerada, os músculos não relaxarão e o atrito será doloroso. Portanto, as preliminares são recomendadas e, em seguida, certifique-se de fazer a penetração anal com delicadeza.

É óbvio que o ânus não lubrifica naturalmente durante a relação sexual, como no caso da vagina. Daí a importância do uso de um lubrificante adequado para essa área e, além disso, realizar a penetração com cuidado, sem grandes impactos ou movimentos bruscos em geral.

Para alguns casais, no sexo anal o ideal é combinar a penetração com a masturbação. Dessa maneira, a sensação de prazer é intensificada, o relaxamento dos músculos ocorre e, é claro, a dilatação do ânus.

Recomendamos:  Que tipos de lubrificantes íntimos existem?

Mais uma vez, lembre-se que, sem um bom preparo, o sexo anal pode causar dor e problemas de saúde, desde uma fissura anal até hemorragias e a disseminação de infecções sexualmente transmissíveis (ISTs). Portanto, aqueles que desejam desfrutar dessa prática devem sempre ter cautela.

Caso um dos membros não se sinta confortável com sexo anal, não tem problema. Você sempre pode bater um papo e ver se a pessoa está disposta a tentar mais uma vez, e caso fique claro que não, você pode encontrar outras opções para curtir juntos na cama. O sexo anal não é uma obrigação.