Seu filho é uma criança mimada?

Há práticas que, como pais, devemos evitar para não estragar nossos filhos. Saiba quais são os comportamentos de uma criança mimada e como corrigir esse comportamento em favor de seu desenvolvimento futuro.

Criar de forma errada uma criança pode torná-la uma criança mimada, que não respeita as regras, que faz o que quer e que não assume suas próprias responsabilidades. Tudo isso pode ter sérias consequências em sua vida adulta.

Por isso, hoje vamos falar sobre alguns comportamentos típicos de uma criança mimada, o que nos ajudará a saber se temos que tomar algumas medidas com nossos filhos para que isso não aconteça mais.

Comportamentos de uma criança mimada

O círculo de birras

Desenho de criança mimada

birra é um recurso usado por qualquer criança mimada. Ela sabe que, na maioria dos casos, vai conseguir o que quer. Elas jogam com a vergonha que o adulto pode sentir, além da culpa.

Vamos dar um exemplo:

Uma criança está no supermercado com seu pai e quer que ele lhe compre um chocolate. O pai diz “não”. Ela insiste e, ao ver que não conseguirá o que quer, joga-se no chão e começa a gritar e espernear.

O pai a repreende, percebe que outras pessoas estão olhando no supermercado e começa a se sentir culpado. Seu rosto fica vermelho de vergonha e, como ele não consegue mais, diz para a criança: “Sim, leve seu chocolate, mas não faça barulho novamente”.

O que aconteceu aqui? O menino conseguiu manipular seu pai, fazendo-o se sentir culpado e envergonhado. Ao mesmo tempo, o pai perdeu sua autoridade porque cedeu à atitude do filho. Isso também pode desencadear em outra atitude.

Como o pai sabe que quando a criança recebe o que quer, ela se comporta, o pai pode praticar suborno em algumas circunstâncias em que ele quer que a criança se comporte bem ou cumpra suas responsabilidades (passar em uma prova).

A falta de limites em casa

Menina mimada

O fato de haver limites em casa não significa que os pais sejam duros, que prejudicam emocionalmente seus filhos ou que não os amem. O oposto. Os limites são muito necessários.

Mas, para que eles tenham efeito, temos que levá-los até as consequências finais. Não vale a pena colocar um limite e permitir que ele seja esquecido diante de uma circunstância como a mencionada acima.

Os pais precisam ser firmes nas decisões que tomam. Se em um momento eles vacilarem, nada adiantará. Por essa razão, se colocarmos um limite como, por exemplo, “hoje você não compra chocolate”, então neste dia não haverá chocolate e ponto final. Aconteça o que acontecer, não importa o choro, as birras e até mesmo a vergonha que possamos sentir.

Uma criança mimada precisa saber que os adultos estão falando sério. Ela tem que aprender a aceitar um “não” como resposta, e que não haverá outra opção a não ser aceitar.

Além disso, quando há limites desde o início, desobedecer ou até mesmo demonstrar hostilidade em relação aos pais é algo que geralmente não ocorre. Portanto, temos que impor limites o mais rápido possível.

Uma criança mimada não nasce assim, ela vira

Uma criança mimada não nasce sendo assim. É o comportamento dos pais, a permissividade do egoísmo que apresenta e como ela desafia os próprios pais o que faz com que a criança aja cada vez pior.

Ela acabará insultando seus pais, controlando-os e exercendo um poder que não deveria ter. Mas, acima de tudo, ela acabará não sabendo valorizar o que tem, querendo cada vez mais satisfazer suas necessidades e desejos, mas sem saber como realmente apreciá-los.

Uma criança mimada pode se tornar uma pessoa adulta muito desagradável, prejudicial para os outros e, acima de tudo, para si mesma. As crianças precisam de limites, os pais devem agir como pais, não como amigos, e nunca permitir a falta de respeito ou manipulação.

Tudo o que fazemos para impedir que as crianças se tornem crianças mimadas irá ajudá-las a serem pessoas melhores no futuro e a saber como manter relacionamentos mais saudáveis. É bom sempre termos isso em mente.

Recomendados para você