Qual vinho é mais saudável, o caro ou o econômico?

· 6 de abril de 2018
Existem opiniões conflitantes sobre se um vinho jovem é melhor do que o mais velho, embora seu preço dependa da variedade de uvas, bem como do tempo de envelhecimento. Aqui vamos mostrar qual vinho é mais saudável.
O preço do vinho está relacionado aos benefícios para a nossa saúde? Os estudos mostram que o consumo moderado de vinho é benéfico para o corpo, graças às suas propriedades.

Agora, ao escolher qual vinho comprar, é bom saber que o custo pode estar relacionado aos seus benefícios. Antes de comprar, vamos ver qual vinho é mais saudável.

O vinho é uma bebida antiga e é valorizado em muitas culturas por suas propriedades.

Previne doenças cardiovasculares, melhora a flora intestinal e a digestão, ajuda a metabolizar gorduras, tem antioxidantes ativos e muito mais.

Nos mercados encontramos vinhos mais caros do que outros, de diferentes denominações, de acordo com sua origem e tempo de elaboração.

Muitas pessoas se perguntam se o custo influencia em quanto é saudável.

Tipo de vinho e saúde

Mulher bebendo vinho

Não é o preço em si que influencia nas propriedades, é claro, mas os componentes da uva e o tempo de fermentação.

O fato de um vinho ser mais ou menos jovem está relacionado aos meses de guarda no barril.

É esse grau de envelhecimento que afeta o custo, e também a saúde.

O bom nem sempre é caro

A palavra-chave é polifenóis. Estes são compostos bioativos que vêm de plantas e que, embora o organismo possa viver sem eles, são altamente benéficos.

  • Eles são encontrados na casca de frutas e vegetais e servem para proteger os vegetais de agressões externas.
  • No caso do ser humano, eles fornecem antioxidantes e anti-inflamatórios.
  • O vinho que contém mais polifenóis é o vinho tinto.

E aqui, uma pista para avaliar qual vinho é mais saudável. Ao avaliar a relação saúde-preço, é importante saber que existem opiniões diferentes sobre isso.

Por um lado, considera-se que os vinhos tintos jovens são os mais saudáveis porque conservam mais polifenóis.

Lembre-se de que os jovens são aqueles que não foram guardados em barris, mas engarrafados após a sua vinificação. E eles são principalmente feitos com grãos intactos.

Isso faz com que as substâncias que o formem mantenham as suas propriedades, as quais podem ser perdidas com o tempo. Por isso, alguns os consideram vinhos mais saudáveis.

Os taninos

Vinho branco

Alguns dizem que os vinhos mais antigos são melhores para a saúde. Essa ideia baseia-se principalmente no grau de fermentação.

Se as propriedades antioxidantes e as enzimas benéficas estiverem na pele da uva, mais tempo de maceração resulta em uma maior concentração desses componentes.

  • Os taninos também intervêm aqui. Estas são uma subdivisão dos polifenóis a que são atribuídas as mesmas propriedades saudáveis.
  • Os taninos são encontrados nas sementes e peles da fruta, além de estarem presentes na madeira.
  • Esta substância se dissolve no vinho a partir do contato. Aqueles vinhos que ficam mais tempo em barricas de carvalho, conseguem uma maior concentração de taninos.

Veja também: 5 remédios herbais para aliviar a cistite

Os vinhos e a relação com o preço de compra

Os vinhos que foram envelhecidos mais tempo são as variedades Cabernet Sauvignon, Merlot e Tannat.

Cada um deles permaneceu vários meses em barricas de carvalho e esta variável influencia muito no quanto pagamos por isso.

Um tempo de envelhecimento mais longo é equivalente a um produto mais caro para o nosso bolso. E mais complexidade em seu sabor.

Então, qual vinho é mais saudável?

Vinho tinto

Podemos dizer, então, que a relação custo-benefício para a saúde não é um problema resolvido.

Como vemos, existem visões científicas que consideram que certas substâncias perdem suas propriedades ao longo do tempo. Isso significa que eles são definidos por vinhos mais novos e, consequentemente, mais baratos.

Por outro lado, existem aqueles que afirmaram que os vinhos cujos componentes permaneceram mais tempo em contato com a madeira são mais saudáveis.

Neste caso, eles são os mais antigos e os mais caros.

Observamos algumas das características que afetam o preço do vinho e estão relacionadas à sua produção e propriedades. No entanto, as respostas unânimes não podem ser encontradas.

A decisão frente a ampla gama de opções é muito pessoal e será determinada pelas variáveis ​​que decidimos priorizar.

Claro, o que goza de consenso é o fato de uma taça de vinho, especialmente tinto, é estimulante, prazeroso e, além disso, saudável.