Quais são as doenças mentais mais comuns?

· 24 de março de 2018
Os distúrbios mentais estão muito presentes em nossa sociedade, alguns são mais frequentes do que outros. Neste artigo, falaremos o que são e como eles se manifestam.

Quando falamos de doença mental, referimo-nos a distúrbios que se manifestam como alterações no comportamento, raciocínio ou reconhecimento da realidade, entre outros sintomas. Neste artigo, falaremos sobre quais são os mais comuns, embora nem sempre sejam tratados de forma apropriada.

Tipos de doenças mentais frequentes

Quando são diagnosticadas cedo, a vida dos pacientes pode ser realmente melhorada. As doenças mentais não discriminam idade ou sexo. Elas podem aparecer de um dia para outro ou podem ser desenvolvidas pouco a pouco.

Nos últimos anos, o sistema de saúde público colocou um pouco mais de foco sobre o problema, e há até mesmo censos que determinam quais são as mais frequentes:

1. Transtorno de ansiedade

A depressão é uma doença mental

É uma das doenças mentais mais comuns do século 21 e pode aparecer diante de várias situações estressantes ou angustiantes. A desordem é diagnosticada quando há mudanças na vida do indivíduo, pois pode se tornar difícil trabalhar, conversar com familiares ou estranhos, etc.

Por outro lado, o desequilíbrio generalizado interfere na vida cotidiana porque você sempre está preocupado com algo: em deixar a porta aberta, roubarem seu carro no estacionamento, algo ruim acontecer com um ente querido, você sofrer um acidente de trânsito, etc.

2. Esquizofrenia

As pessoas esquizofrênicas ouvem vozes de outras pessoas dentro delas, invadindo seus pensamentos e fazendo com que mudem sua maneira de agir. Por exemplo, elas escutam que devem machucar outra pessoa ou a si mesma. Alguém que sofre deste problema pode mudar seu dia a dia notoriamente por não conseguir controlar os monólogos internos desses personagens.

A esquizofrenia afeta homens e mulheres igualmente e geralmente aparece entre os 16 e 30 anos. A causa não é conhecida, e em termos de tratamento, os médicos optam por terapias psicossociais e medicamentos antipsicóticos.

3. Fobias

O pãnico é uma doença mental

É uma das doenças mentais mais comuns. As fobias vão além de um medo ou aversão de uma situação, objeto ou animal. É maior do que não gostar de aranhas ou palhaços.

É uma desordem irracional que não permite que você aproveite da vida pelo medo ao motivo da fobia. Por exemplo, você não sai de férias com a família por ter medo do avião ou não consegue um emprego melhor porque você tem pavor de entrar em um elevador.

4. Transtorno bipolar

Está dentro dos chamados “transtornos do humor” e causa mudanças de emoções ou episódios maníacos muito exagerados. Por exemplo, rir alto e um minuto depois chorar de forma inconsolável. Os comportamentos extremos podem causar problemas nas relações sociais, porque aqueles que estão ao redor do paciente não sabem como reagir a uma pergunta ou novidade.

5. Transtorno obsessivo-compulsivo

Quando alguém sofre dessa condição relacionada à ansiedade, eles experimentam pensamentos, imagens e ideias obsessivas que não são reais. Está associado com o medo, estresse e angústia contínua e é um problema para o cotidiano. Isso vai além de organizar os cabides ou livros, pois aparece em qualquer situação: não pisar nas linhas do chão, querer arrumar tudo o que você vê no seu caminho, não conseguir dormir se a porta do armário estiver aberta, querer organizar tudo, etc.

6. Ataque de pânico

Pessoa com insãnia e doença mental

É cada vez mais comum que este problema apareça, fazendo com que a pessoa experimente dificuldade respiratória, sinta tonturas e náuseas, fraqueza e o coração acelerado. Outros sintomas também podem aparecer, como formigamento nas mãos, transpiração excessiva, fraqueza e dor no peito. É como se você estivesse se afogando e não pudesse controlar a situação.

Aparece a qualquer momento ou lugar, em qualquer caso, sendo desencadeado pelo medo irracional. O ataque de pânico é incapacitante e pode ser hereditário. Sem ajuda profissional, pode causar agorafobia ou medo de espaços abertos e fobia social, pois a pessoa não consegue prever quando um evento traumático ocorrerá.

7. Depressão

É uma das doenças mentais mais frequentes e, em muitos casos, vai além de uma simples angústia ou tristeza transitória. O transtorno depressivo inclui desespero, dificuldade em sair da cama, sentimentos de inferioridade e até pensamentos suicidas. Quando esses sintomas são mantidos por semanas ou meses, eles modificam a vida do paciente e geram sérios problemas nas relações interpessoais.

8. Distúrbios alimentares

Neste grupo podemos encontrar a anorexia nervosa, que é caracterizada pela obsessão de controlar alimentos consumidos e distorção da imagem corporal (quando uma pessoa muito magra se acha gorda ao se olhar no espelho) e bulimia nervosa, incluindo padrões alimentares anormais. Por exemplo, compulsão e, em seguida, manobras para eliminar o que é ingerido (através de laxantes ou vômitos), o que leva à depressão e baixa autoestima.

9. Transtorno antissocial

Pessoa com dor de cabeça

Esta alteração é caracterizada por problemas relacionados aos outros. O paciente evita qualquer tipo de interação com outras pessoas, seja família, conhecidos ou estranhos. Os sintomas que alertam sobre esta desordem podem ser: timidez, depressão, solidão, violência, agressividade, entre outros. Além disso, um grande medo de rejeição é experimentado.

10. Transtorno de personalidade limítrofe

Aqueles que sofrem com esta doença mental têm uma personalidade muito variável e fraca, então duvidam de tudo. Eles podem ficar calmos e em poucos minutos se sentirem ansiosos, desesperados ou com raiva. Pode-se dizer que eles vivem as emoções ao máximo; têm relacionamentos de amor muito intensos e idolatram ao extremo.