Pinguim nada 8 mil quilômetros todos os anos para visitar o homem que salvou sua vida

19 Setembro, 2020
O comportamento dos animais muitas vezes nos obriga a refletir. É o que ocorre com a incrível história deste pinguim e sua relação com o homem que salvou a sua vida no Brasil, em 2011.

O apego entre humanos e animais de estimação (cães, gatos, coelhos, etc.), é algo que acontece com frequência. No entanto, os animais selvagens também são capazes de se prender a seus salvadores e cuidadores. Foi o que aconteceu com um pinguim-de-magalhães (Spheniscus magellanicus).

As expressões de apego podem variar de acordo com a espécie, mas, sem dúvida, todas são comoventes e dignas de reflexão. Portanto, a seguir comentaremos a bela história que surgiu entre um brasileiro e um pinguim.

Em 2011, um aposentado encontrou um pinguim ferido e em apuros. Sem hesitar, ele decidiu ajudá-lo e, a partir daí, criou um vínculo que impressionou a todos.

A relação deles ficou conhecida através das redes sociais e de diversos meios de comunicação internacionais que destacam principalmente o sentimento de gratidão que o animal demonstra por este homem.

Leia também: Meu filho tem medo de animais. O que devo fazer?

o começo da história entre o pinguim e seu salvador

Pinguim resgatado

Tudo começou nas praias do Rio de Janeiro, no Brasil. Um aposentado chamado João Pereira de Souza, que trabalhava como pedreiro e pescador, resolveu dar um passeio.

O homem se inquietou quando notou algo estranho entre as rochas da praia, e por isso se aproximou para ver do que se tratava. Para sua surpresa, encontrou este animal em condições deploráveis, coberto de petróleo e indefeso. Era um pinguim-de-magalhães.

Ele não hesitou em resgatá-lo; retirou a substância do seu corpo e cuidou dele durante o processo de recuperação. O carinho que ele desenvolveu pelo animal foi tanto que ele o batizou de Dindim, e o soltou no mar assim que notou que o pinguim estava em perfeitas condições para seguir sua vida.

Pinguim resgatado na praia

  • Assim como fazem os experientes resgatadores, este homem cuidou e zelou pelo pinguim, com o intuito de ajudá-lo a retornar ao seu habitat natural.
  • Apesar do carinho que desenvolveu por Dindim, João não o considerava um animal de estimação, mas sim um amigo a quem devia ajudar.
  • Ambos são um exemplo de apego saudável e amizade verdadeira. Por isso, sua história não deixará de inspirar muitas pessoas.

A despedida e o reencontro de dois amigos

No dia em que João Pereira decidiu libertar o amigo, pensou que talvez nunca mais o tornasse a ver. No entanto, isso não lhe causou muito pesar, saber que fizera a coisa certa e que o mais importante era, acima de tudo, ver o amigo vivo e bem.

Para sua surpresa, poucos meses depois do resgate, Dindim regressou à praia que os uniu e reconheceu imediatamente o seu salvador. Desde então, o animal passa cerca de 8 meses com Pereira e o restante do tempo parte para a costa da Argentina e do Chile para viver a sua vida.

De acordo com o Daily Mail, cada ano Dindim nada 8 mil quilômetros para voltar a ver seu amigo humano, que elaborou uma dieta especial para melhorar a resistência e a força da ave.

Em uma entrevista, o homem de 71 anos ressaltou que o pinguim não se deixa tocar por ninguém mais e que recebe bem a comida que ele fornece. Ele também enfatizou que estava feliz por ter seu amigo pelo menos alguns meses por ano.

Pinguim resgatado por homem

Conclusão

João conta que muitos dizem que seu amigo não regressará mais depois de voltar ao mar; mas ele sempre confia que ele o fará. Nos últimos quatro anos, Dindim tem chegado no mês de junho e volta para sua casa em fevereiro.

Especialistas neste tipo de animais entrevistaram João Pereira de Souza e expressaram o seu espanto com a bela história. Ressaltaram que o comportamento do pinguim indica que ele reconhece Pereira como outro pinguim e age de acordo com isso.

João despede-se do amigo no mar, confiante de que ele logo voltará, como tem feito nesses anos. Sem dúvida, é mais um sinal de que os animais são excelentes amigos e muito gratos.