Os 10 melhores laxantes naturais para a prisão de ventre

· 20 de fevereiro de 2015
Graças a suas propriedades e seu conteúdo de pectina, a maçã pode nos ajudar a regular os processos intestinais, tanto em caso de prisão de ventre quanto em caso de diarreia.

Sempre é bom ter informações sobre quais são os melhores laxantes naturais quando se sofre de prisão de ventre.

Lembre-se de que, além disso, também é importante consumir alimentos que contenham uma boa quantidade de fibras e aqueles que são capazes de regular o trânsito e a flora intestinais, como é o caso do iogurte.

Os laxantes naturais são alimentos ou ervas que nos permitem realizar uma evacuação intestinal mais fácil.

É importante diferenciá-los dos purgantes, porque estes têm uma ação mais forte ou drástica e podem causar certos problemas ou apresentar contraindicações.

Tipos de laxantes naturais

Considerando a forma como agem no organismo, podemos diferenciar os seguintes tipos de laxantes naturais:

Laxantes estimulantes

Também são chamados de purgantes ou catárticos. Atuam estimulando a musculatura do intestino, já que possuem certos compostos que atuam nas terminações nervosas do cólon, provocando movimentos que favorecem a defecação.

Também atuam sobre as paredes do intestino, Além disso, aumentam a produção de minerais e líquidos, bem como diminuem a absorção de sódio e cloro.

Os efeitos negativos dos laxantes estimulantes estão relacionados à quantidade de tempo que atuam no organismo. Quando ingeridos, podem continuar agindo por até 8 horas. É aconselhável consumi-los antes de dormir para que atuem durante a noite.

laxantes naturais

Laxantes mecânicos

São laxantes ricos em fibras que aumentam o volume das fezes, retém água, hidratam as paredes do intestino e ajudam de forma mais natural os movimentos peristálticos, favorecendo a evacuação. Podem ser ricos em fibras solúveis ou não solúveis.

A ação é mais rápida do que a dos estimulantes. Assim, são recomendados como primeira medida quando ocorre prisão de ventre ou problemas para ir ao banheiro.

Normalizam o funcionamento do organismo e é recomendável acompanhá-los com alimentos repletos de probióticos, tais como o iogurte.

Laxantes osmóticos

Esse tipo de laxante atua ao aumentar a quantidade de água no intestino, o que amolece as fezes. Sua ação é similar à dos mecânicos, têm muitos minerais e obrigam o intestino a eliminar líquidos.

Entre os laxantes osmóticos, podemos encontrar as ameixas. O efeito é intenso e devem ser consumidos acompanhados de muita água ou bebidas isotônicas para recuperar os líquidos perdidos.

Laxantes naturais: qual escolher?

Entre os laxantes mais leves, ou seja, os mecânicos, podemos destacar os seguintes:

Suco de maçã e azeite de oliva

Prepare um suco com duas maçãs (meia xícara) e misture com a mesma quantidade de azeite de oliva. Beba todo o conteúdo da xícara antes de dormir.

Ameixas e mel

Coloque seis ameixas em uma panela com uma xícara e meia de água fervente, cubra e deixe de molho durante toda a noite. Pela manhã, coe, coloque uma colher de sopa de mel e, em seguida, beba. Não jogue as ameixas fora. Você pode comê-las ao longo do dia.

Babosa

Corte um talo de babosa e despedace. Em seguida, coloque um pouco de água para ferver. Espere esfriar e coloque a água junto com os pedaços de babosa em um frasco de vidro com tampa hermética e feche. Mantenha na geladeira. Você pode consumir duas vezes na semana, no máximo.

Esse laxante caseiro não é recomendado para mulheres grávidas ou que estejam amamentando. Da mesma forma, também não é recomendado para pessoas que tomam anticoagulantes.

laxantes naturais

Suco de uva e linhaça

Faça um suco com algumas uvas (até obter uma xícara aproximadamente) e coloque uma colher de linhaça em pó. Beba em jejum. Porém, não prolongue o tratamento por mais de uma semana consecutiva.

Compressa de óleo de rícino

Esse laxante caseiro é de uso externo. Para usá-lo, molhe uma toalhinha ou gaze no óleo de rícino, esquente em fogo baixo, deite de barriga para baixo e apoie a toalha na região lombar. Cubra para que se mantenha quente por mais tempo. Repita uma vez por dia.

Atenção: não é recomendável consumir (oralmente) óleo de rícino para a prisão de ventre, como muitos aconselham.

Alimentos com capacidade laxante

Além dos alimentos já mencionados neste artigo (como a babosa ou a ameixa), existem outros laxantes naturais muito eficazes para tratar a prisão de ventre. Antes de conhecê-los é preciso determinar do que se trata a prisão de ventre.

Esse problema ocorre quando uma pessoa vai ao banheiro menos de três vezes por semana. E quando consegue defecar, as fezes saem secas e duras. Esse problema digestivo é um dos mais frequentes na atualidade, devido à nossa alimentação.

A falta de exercício, o sedentarismo, o consumo de pouca água, as gorduras e as farinhas refinadas podem causar prisão de ventre. Por isso, é preciso manter uma vida mais saudável para ter evacuações normais. Alguns alimentos podem ajudar. Tome nota:

Tanchagem

Essa erva, originária da Índia, é muito rica em fibras e é perfeita para nos ajudar a defecar corretamente. Tem a capacidade de absorver água, aumentar o volume das fezes e estimular o trânsito intestinal.

Maçã

Essa fruta deliciosa (tanto a vermelha quanto a verde) contém uma substância chamada pectina, que tem a propriedade de promover o funcionamento dos intestinos, amolecer as fezes (devido à quantidade de fibras) e favorecer a evacuação.

Coma uma maçã por dia no meio da manhã ou como sobremesa depois do jantar, preferencialmente crua ou fervida com ameixas.

Banana

É outra das frutas que oferece uma grande quantidade de fibras (além de potássio), sendo um poderoso laxante. Um pedaço de banana oferece 12% da quantidade de fibras que o corpo precisa por dia.

Além disso, oferece oligossacarídeos, substâncias que chegam ao intestino grosso sem serem digeridas e favorecem a digestão e a evacuação.

Leia também: 5 formas de usar as cascas de banana como remédio natural

Cebola

Esse é um vegetal que não deve faltar em nenhum prato, já que tem um sabor delicioso. Mas, além disso, contribui para combater muitas doenças, patologias ou condições. É um laxante natural muito eficaz.

Além disso, consumir cebola crua ativa a secreção de sucos gástricos e favorece a saúde da flora intestinal. Por outro lado, um componente chamado quinina estimula o metabolismo do fígado, da vesícula, do estômago e do pâncreas.