O que é a orelha de couve-flor e por que ocorre?

Se você é fã de esportes de contato ou pratica algum deles, provavelmente já ouviu falar sobre a orelha de couve-flor. Você quer saber por que essa deformação ocorre? Então continue lendo!
O que é a orelha de couve-flor e por que ocorre?

Última atualização: 29 Maio, 2021

A prática de exercícios físicos é uma atividade que ajuda a manter a boa saúde do corpo. No entanto, os atletas podem ter diferentes tipos de lesões. A orelha de couve-flor é uma das mais comuns nos esportes de contato.

O termo médico para essa condição é hematoma auricular e esta é uma deformidade irreversível da orelha que surge como resultado de um forte trauma ou de repetidos golpes na área. Essa anormalidade é comum em pessoas que praticam rúgbi, luta livre ou artes marciais mistas.

A orelha de couve-flor é mais prevalente em homens do que em mulheres. Estudos demonstraram que até 84% dos lutadores e judocas do sexo masculino apresentam a anormalidade. Apesar de irreversível, existem diversos tratamentos capazes de melhorar o quadro.

Principais sintomas da orelha de couve-flor

A alteração anatômica da orelha será evidente desde o primeiro momento em que ela ocorrer; portanto, basta a observação direta para confirmar a sua existência. A orelha ficará com um formato anormal, com tamanho aumentado, dobrada sobre si mesma e com curvas irregulares, lembrando a aparência de uma couve-flor.

Os sintomas apresentados durante os primeiros minutos não diferem dos relatados por um paciente com um traumatismo em qualquer parte do corpo. Assim, as pessoas podem apresentar as seguintes mudanças na área:

  • Dor intensa.
  • Vermelhidão.
  • Inchaço.
  • Aumento de volume.
  • Calor ao toque.
Mulher com orelha de couve-flor
A orelha de couve-flor é comum no boxe, mas esta não é a única circunstância na qual ela aparece.

Quais são as complicações se ela não for tratada?

A principal complicação é estética, pois ela pode provocar a deformação completa do pavilhão auricular nos casos mais extremos. Além disso, estudos mostraram que essa condição tem a capacidade de obstruir o canal auditivo externo e causar problemas de audição.

Por outro lado, existem evidências que associam a orelha de couve-flor à surdez. Além disso, os pacientes com a deformidade têm uma maior probabilidade de desenvolver infecções de ouvido do que aqueles sem ela.

Durante muitos anos, acreditou-se que a patologia estaria associada à demência; porém, concluiu-se que os sintomas neurológicos surgiam como resultado dos golpes constantes na cabeça. Outras complicações comuns em pacientes com orelha de couve-flor incluem as seguintes:

  • Dor de cabeça repentina.
  • Visão turva.
  • Percepção de ruídos estranhos.

Por que a orelha de couve-flor ocorre?

Conforme já foi mencionado, essa deformação ocorre como resultado de um golpe forte ou de repetidos traumatismos na orelha. Essa ação vai gerar a formação de um hematoma, que vai desprender a cartilagem auricular do pericôndrio, tecido que fornece a ela os nutrientes necessários.

É importante lembrar que o pavilhão auricular é composto por cartilagem e, portanto, não possui irrigação sanguínea direta. Dessa forma, os nutrientes para a sua manutenção são obtidos por meio do pericôndrio, um tecido conjuntivo que o envolve e que possui uma grande irrigação sanguínea.

A cartilagem auricular não será capaz de receber os nutrientes necessários para a sua manutenção por causa da separação. Assim, as células que a compõem vão morrer. Isso fará com que o hematoma produzido se dobre sobre si mesmo e haja uma produção excessiva de tecido conjuntivo fibroso.

Tanto a dobra do hematoma quanto a proliferação do tecido cicatricial serão os fatores que terão como resultado a configuração anormal do pavilhão auricular.

Tratamentos disponíveis

O atendimento médico oportuno pode prevenir a morte da cartilagem e melhorar a aparência física da orelha. Nesse sentido, recomenda-se a aplicação de gelo no local para tentar diminuir o sangramento e, assim, evitar o aparecimento de um hematoma de grandes dimensões.

O especialista pode tentar drenar o sangue localizado na área por meio de uma incisão. Foi demonstrado que a aspiração com seringa pode ser  insuficiente. Assim que o sangue for drenado, o médico procederá à união dos tecidos com pontos.

O médico vai recomendar a aplicação de pressão constante na orelha afetada a fim de evitar a formação de outro hematoma. Além disso, o pavilhão auricular é uma área propensa a infecções e, por isso, o especialista pode recomendar o uso de antibióticos.

Essa é uma deformidade que pode reaparecer em muitos pacientes. Por essa razão, o lado afetado deve ser examinado com frequência.

Cirurgia corretiva

Quando surge a orelha de couve-flor propriamente dita, é possível realizar um procedimento cirúrgico denominado otoplastia, que buscará melhorar a aparência física da orelha. É importante ressaltar que ela não vai retornar à sua total normalidade, porém, pode ter uma aparência mais agradável.

O procedimento consiste em expor a cartilagem auricular na sua parte posterior. Uma vez exposta, o especialista procederá à remoção de algumas partes dela em busca de uma configuração mais anatômica.

Esta é uma cirurgia rápida que não envolve grandes complicações; porém, pode ser necessária a aplicação de anestesia geral. O tempo de recuperação não excede 6 semanas.

Médico examinando ouvido
A orelha de couve-flor pode estar associada a um estreitamento do canal auditivo, o que leva à diminuição da audição.

Prevenção da orelha de couve-flor e recomendações

O atendimento médico imediato é o melhor mecanismo de prevenção; ao drenar o hematoma nos primeiros minutos, é possível evitar o aparecimento da orelha de couve-flor. Além disso, muitos esportes iniciaram a implementação de capacetes, que evitam golpes nas orelhas e traumatismos cranioencefálicos.

É importante que o capacete a ser utilizado tenha o tamanho adequado e cubra as orelhas para garantir uma melhor proteção. No caso das crianças que praticam esportes de contato, é importante alertar os técnicos sobre a importância do atendimento médico quando a lesão ocorrer.

Uma recomendação que pode ser seguida é evitar o consumo de anticoagulantes antes da prática de esportes de contato. Esses medicamentos são capazes de promover o sangramento, produzindo hematomas maiores. No entanto, sempre é necessário consultar um médico em relação a esta ação.

Uma lesão permanente que é um símbolo de orgulho

Apesar de causar uma deformação total do pavilhão auricular, a orelha de couve-flor é exibida com orgulho por muitos lutadores de artes marciais mistas. É considerada um sinal de respeito e uma prova do seu comprometimento com o esporte.

No entanto, é preciso ter em mente que esta é uma lesão em uma parte do corpo e que não deve ser subestimada. Essa deformidade pode levar a problemas de audição. Por isso, a cirurgia corretiva não deve ser descartada sob nenhuma circunstância.

Pode interessar a você...
5 causas para pontadas na cabeça
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
5 causas para pontadas na cabeça

Quando as pontadas na cabeça ocorrem, é necessário prestar atenção imediata para evitar que ela se torne em uma enxaqueca e afete nossas vidas.



  • Manninen IK, Blomgren K, Elokiuru R, Lehto M, Mäkinen LK, Klockars T. Cauliflower ear among Finnish high-level male wrestlers and judokas is prevalent and symptomatic deformity. Scand J Med Sci Sports. 2019; 29(12): 1952-1956.
  • Butt WE. Auricular haematoma–treatment options. Aust N Z J Surg. 1987 Jun;57(6):391-2.
  • Patel BC, Skidmore K, Hutchison J, Hatcher JD. Cauliflower Ear. 2020 Sep 13. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2020 Jan–.
  • Noormohammadpour P, Rostami M, Nourian R, et al. Association Between Hearing Loss And Cauliflower Ear in Wrestlers, a Case Control Study Employing Hearing Tests. Asian J Sports Med. 2015;6(2):e25786.
  • Ingvaldsen CA, Tønseth KA. Auricular haematoma. Tidsskr Nor Laegeforen. 2017 Jan 24;137(2):105-107.
  • Gooch MD. Preventing Cauliflower Ear. Adv Emerg Nurs J. 2020 Jul/Sep;42(3):204-209.