Tudo sobre o lábio leporino e a fenda palatina

24 Setembro, 2020
A atuação conjunta de vários profissionais é importante para tentar corrigir essas características labiais. É necessário o conhecimento de muitas áreas diferentes para ajudar nos problemas que possam surgir.

Lábio leporino e fenda palatina são defeitos congênitos que ocorrem quando o lábio ou a boca do bebê não se formam adequadamente durante a gravidez. Em conjunto, eles são chamados de “fendas orofaciais”.

As crianças com essas anormalidades costumam ter dificuldade para se alimentar e para falar com clareza. Além disso, elas também estão mais propensas a ter infecções de ouvido, bem como problemas auditivos e dentários.

O lábio leporino, também conhecido como fenda labial, geralmente é mais comum em meninos do que em meninas. Além disso, é importante saber que a maioria dos bebês nascidos com essa característica é saudável e não apresenta outros defeitos congênitos.

O que é o lábio leporino?

Bebê com lábio leporino

Durante o desenvolvimento embrionário, a formação dos lábios ocorre entre as semanas 4 e 7 da gestação. Os tecidos da criança e um tipo especial de célula crescem em direção ao centro da face para formá-la.

A união desses tecidos forma características faciais, como os lábios e a boca. O lábio leporino ocorre quando o tecido que compõe os lábios não se liga totalmente antes do nascimento.

É por esse motivo que uma abertura aparece no lábio superior. Pode ser de tamanho diferente, passando pelo lábio e atingindo o nariz.

Além disso, essas deformações podem ocorrer em diferentes áreas do lábio, isto é, de um lado, nos dois ou na parte central do lábio. Esse último local costuma ser o menos comum.

E a fenda palatina?

Bebês nascidos com lábio leporino também costumam ter um palato deformado. Ao contrário do anterior, o palato é formado entre as semanas 6 e 9 da gravidez. A fenda palatina ocorre quando o tecido que compõe essa estrutura não se liga adequadamente durante a gravidez.

Esta deformação pode ser mais ou menos pronunciada. Em alguns bebês, tanto a parte frontal quanto a traseira do palato são afetadas. Em outros, apenas uma parte do palato permanece aberta.

Leia também: Doenças respiratórias do recém-nascido

Causas

A causa exata do lábio leporino e da fenda palatina não é totalmente conhecida. O lábio e/ou o palato afundado são produzidos por múltiplos genes herdados de ambos os pais. Assim, uma combinação de genes e fatores ambientais gera o distúrbio, de causa multifatorial.

Como os genes estão envolvidos, as chances de o lábio leporino e da fenda palatina se repetirem em uma família são altas. No entanto, as chances dependerão do número de membros da família que sofrem dessa deformação.

Se um dos pais tiver, mas nenhum dos filhos apresentar esta alteração, as chances de ter um bebê com lábio leporino são de 5%. Mas se um pai e um filho a apresentam, as chances de outro filho nascer com ela são ainda maiores.

Talvez você possa se interessar: Síndrome nefrótica em crianças: causas e tratamento

Abordagem terapêutica do lábio leporino e da fenda palatina

Recém-nascido no hospital

A atuação conjunta de vários profissionais é importante para tentar corrigir esses problemas. É necessário o conhecimento de muitas áreas diferentes para ajudar nos problemas que possam surgir.

Algumas equipes participantes do tratamento são:

  • Cirurgião plástico/craniofacial: são cirurgiões especializados no diagnóstico e tratamento de anormalidades esqueléticas do crânio, ossos faciais e tecidos moles. Eles trabalham em estreita colaboração com ortodontistas e outros especialistas para coordenar um plano cirúrgico.
  • Pediatra: ajudará a coordenar os múltiplos especialistas envolvidos e monitorará a criança durante o seu crescimento.
  • Ortodontista: coordena um plano de tratamento com o cirurgião e outros especialistas.
  • Fonoaudiólogo: conduzirá uma avaliação abrangente da fala da criança para avaliar suas habilidades de comunicação e acompanhará de perto a criança em todas as etapas do seu desenvolvimento.
  • Otorrinolaringologista: especialista em garganta, nariz e ouvido. Ele ajudará a avaliar e gerenciar infecções de ouvido e perda auditiva que podem ser efeitos colaterais dessa malformação.

Tratamento do lábio leporino e da fenda palatina

O tratamento dessas malformações inclui cirurgia e uma abordagem multidisciplinar da equipe para ajudar nas múltiplas complicações que possam surgir. Após a cirurgia, o médico pode prescrever alguns medicamentos para ajudar a superar o problema.

Também pode ser necessário colocar protetores acolchoados nos braços da criança para evitar a fricção na área dos pontos e da cirurgia.

Durante a cirurgia e por pouco tempo depois, seu filho terá um cateter intravenoso para administrar líquidos, até que ele possa bebê-los normalmente pela boca.

  • Gurkowski, M. A., & Bracken, C. A. (2010). Labio leporino y paladar hendido. In Toma de Decisiones en Anestesiología. https://doi.org/10.1016/b978-84-8086-334-6.50171-1
  • Alarcón-Almanza, J. M. (2010). Labio y paladar hendido. Revista Mexicana de Anestesiologia.
  • Serrano P., C. A., Ruiz R., J. M., Quiceno B., L. F., & Rodríguez G., M. J. (2018). LABIO Y/O PALADAR HENDIDO: UNA REVISIÓN. UstaSalud. https://doi.org/10.15332/us.v8i1.1180