Hipoparatireoidismo: complicações e prevenção

11 Março, 2020
O hipoparatireoidismo também é conhecido como hipocalcemia. Hoje, você descobrirá o que pode causar esse distúrbio e as suas possíveis opções para evitá-lo.

O hipoparatireoidismo é uma doença endócrina que causa um desequilíbrio na tireoide. Esse distúrbio faz com que essa glândula produza muito pouco PTH (hormônio da paratireoide).

Como consequência, os níveis de cálcio diminuem enquanto os níveis de fósforo aumentam muito acima do normal. Embora o hipoparatireoidismo possa aparecer como uma patologia isolada, também pode estar associado a outras doenças.

Ao contrário de outras doenças relacionadas à tireoide, o hipoparatireoidismo é considerado um distúrbio raro.

No entanto, embora não se manifeste com a mesma frequência que outras patologias associadas à tireoide, a gravidade das complicações que podem ocorrer após o diagnóstico do hipoparatireoidismo torna essencial o tratamento extensivo dessa patologia.

Causas do hipoparatireoidismo

O artigo Pilares para abordagem e tratamento adequados de pacientes com hipoparatireoidismo indica quais são algumas das causas dessa doença endócrina. Embora o mais comum em 75% dos casos seja a sua manifestação após uma cirurgia, existem outras opções:

  • Autoimune: pode ocorrer devido ao uso de imunoterapia para tratar algum tipo de doença, como o câncer.
  • Funcional: é causado devido à alta presença ou deficiência de magnésio no sangue.
  • Destruição por radiação: como consequência do tratamento do hipertireoidismo, que consiste no uso de iodo radioativo.
  • Metástase: reprodução de células cancerígenas, especificamente do câncer de mama.
Metástase

Além dessas causas, existem outras em que diferentes síndromes (síndrome de DiGeorge, síndrome de HDR, etc.) ou distúrbios (gene mitocondrial ou desconhecido) podem interferir.

Não podemos esquecer as circunstâncias em que o hipoparatireoidismo aparece devido a casos isolados (como mutações no PTH ou CasR, entre outros).

Complicações

Agora que vimos o que pode causar um diagnóstico de hipoparatireoidismo, é hora de abordarmos as complicações que podem ocorrer.

Entre elas, podemos começar com aquelas que podemos considerar menos sérias, como a presença de pele muito ressecada que chega a formar escamas, cãibras musculares e formigamento nas extremidades.

Em outras ocasiões, os pacientes podem manifestar menstruações mais dolorosas do que o habitual, unhas quebradiças, cabelos ressecados e quebradiços ou dor abdominal frequente. No entanto, esses sintomas podem se complicar a ponto de provocar:

  • Convulsões.
  • Catarata.
  • Depósitos de cálcio nos tecidos.
  • Diminuição do estado de consciência

Em alguns casos, como o apresentado no artigo Hipoparatireoidismo idiopático e demência, a demência pode se manifestar.

No entanto, de acordo com diferentes estudos e testes, se não houver hipocalcemia, essa situação pode ser completamente revertida graças ao tratamento com vitamina D. Portanto, é importante diagnosticar esta doença o mais rápido possível.

Prevenção

Mulher com problema na tireoide

No que diz respeito à prevenção do hipoparatireoidismo, atualmente não há nada que nos permita prevenir ou reduzir as chances de contrair essa patologia. No entanto, algumas medidas podem ser implementadas para nos ajudar a resolver esse problema antes que ele piore.

Por exemplo, se tivermos uma cirurgia programada na tireoide ou no pescoço e, logo depois, começarmos a notar formigamento nas extremidades ou alguns dos sintomas mais leves que descrevemos acima, é necessário informar o médico.

Dessa forma, podemos iniciar um tratamento rápido que impeça que o hipoparatireoidismo progrida e acabe nos afetando de forma mais severa.

É importante não subestimarmos os sintomas. Os problemas derivados do hipoparatireoidismo aparecem gradualmente e aumentam em gravidade, à medida que não são solucionados.

Portanto, se tivermos sido submetidos a uma operação no pescoço ou na tireoide, como já indicamos, qualquer sintoma mencionado é um motivo para procurar o médico o mais rápido possível.

A razão pela qual devemos ser rápidos ao fazer um diagnóstico adequado que determine se temos ou não hipoparatireoidismo é porque, uma vez que a doença começa a nos afetar seriamente, provocando o desenvolvimento de catarata nos olhos ou a formação de depósitos de cálcio em tecidos como o cérebro (causando convulsões ou desmaios), é muito difícil revertê-la.

Daí a necessidade de focar na prevenção. Você conhece alguém que já foi diagnosticado com esse distúrbio?

  • Albalate Ramón, M., de Sequera Ortiz, P., & Rodríguez Portillo, M. (2012). Trastornos del calcio, el fósforo y el magnesio. Nefrología7(1), 0.
  • Barquero Melchor, H., Delgado Rodríguez, M. J., & Juantá Castro, J. (2015). Hipocalcemia e hipoparatiroidismo post-tiroidectomía.
  • Crespo Valadés, E., Blanco Jarava, A., & Malmierca Corral, M.. (2007). Calcificaciones cerebrales en hipoparatiroidismo idiopático crónico. Anales de Medicina Interna24(2), 102-103. Recuperado en 16 de marzo de 2019, de http://scielo.isciii.es/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0212-71992007000200015&lng=es&tlng=es.
  • Prieto, Jimena, Magalhaes, Germán, Pessolano, Miguel, Quintana, Eduardo, Pereyra, Delia, & Llorens, Mario. (2009). Crisis paratiroidea hipercalcémica. Archivos de Medicina Interna31(2-3), 81-84. Recuperado en 16 de marzo de 2019, de http://www.scielo.edu.uy/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1688-423X2009000200007&lng=es&tlng=es.
  • Rodríguez, A. (1957). Un probable caso de hipoparatiroidismo idiopático. Revista de la Facultad de Medicina25(9-12), 476-497.