Doença de Lyme

Os carrapatos ficam grudados principalmente nas dobras do corpo e muitas vezes não podem ser vistos porque seu tamanho é menor do que o de uma cabeça de agulha.

A doença de Lyme é uma doença bacteriana transmitida pelos carrapatos da perna preta. Estes insetos se infectam com a bactéria Borrelia burgdorferi e a transmitem ao ser humano através da picada.

A bactéria da doença de Lyme se aloja principalmente em ratos, esquilos e outros animais mamíferos pequenos. Portanto, o carrapato adquire esta bactéria destes animais, podendo transmiti-la ao ser humano. Para que a doença seja transmitida, o carrapato deve permanecer no corpo por um tempo aproximado de 24 a 36 horas.

Se a doença de Lyme não for diagnosticada a tempo, causa vários problemas de saúde. No entanto, se detectada e tratada rapidamente, é possível que seja completamente curada. Em todo caso, as estatísticas indicam que a maioria das pessoas que são picadas por um carrapato não contraem a doença de Lyme.

Etapas iniciais da doença de Lyme

Sintomas da doença de Lyme

A doença de Lyme se apresenta em três etapas. O que marca a diferença entre uma e a outra é a quantidade de tempo que o carrapato permanece grudado no corpo. Isso, por sua vez, determina o grau de disseminação da bactéria no organismo. As três etapas são:

  • Etapa 1 ou doença de Lyme inicial e localizada. Nessa fase a bactéria ainda não se disseminou.
  • Etapa 2 ou de disseminação inicial. Quando a bactéria começa a disseminar-se, de 36 a 48 horas depois da picada.
  • Etapa 3 ou de disseminação tardia. Corresponde à fase na qual a bactéria já se disseminou por todo o corpo.

Sintomas iniciais

Os primeiros sintomas da doença de Lyme aparecem alguns dias depois da infecção ter sido contraída. Em alguns pacientes estes sintomas tardam algumas semanas a aparecer. O quadro é similar ao de uma gripe e geralmente inclui outros sintomas tais como:

  • Dores de cabeça.
  • Dores nas articulações.
  • Dores musculares.
  • Rigidez no pescoço.
  • Febre com calafrios.
  • Mal-estar geral e fadiga.
  • Gânglios linfáticos inflamados.

Também é comum que apareça uma brotoeja vermelha e plana, ou um pouco elevada, no local que foi picado. No centro da lesão se vê uma região mais clara. A aparência é como a de um olho de um boi. Esta erupção se denomina eritema migratório, e pode começar a aparecer em diferentes partes do corpo. Dura 4 semanas ou mais, se não for tratada.

Sintomas de disseminação inicial e tardia

Carrapatos que disseminam a doença de Lyme

Os sintomas iniciais podem aparecer e desaparecer. Se a doença de Lyme não for tratada, começa a originar sérios problemas de saúde. Quando se chega a etapa 2, ou de inseminação inicial, é comum que apareçam outros sintomas como:

  • Fraqueza.
  • Dor no tórax.
  • Dificuldade para respirar.
  • Paralisia nos músculos da face.
  • Rigidez e dor na área do nervo.
  • Palpitações irregulares do coração.

Quando a doença de Lyme alcança a fase 3 podem aparecer sintomas mais graves ou complicações, como as seguintes:

  • Artrite. Se manifesta com dores nas articulações inflamadas, principalmente nos joelhos.
  • Problemas neurológicos. Incluem meningite, paralisia de Bell (músculos faciais) e dor ou entorpecimento nas extremidades. Também costumam aparecer dificuldades cognitivas e problemas para dormir.
  • Problemas cardíacos. Basicamente aparece uma batida irregular, que geralmente desaparece depois de alguns dias.

Em alguns poucos casos também aparecem outros sintomas mais graves. São eles: inflamação nos olhos, hepatite e fadiga severa. Tais dificuldades surgem meses, ou até anos depois de se ter contraído a infecção.

Diagnóstico e prognóstico

Exame para identificar doença de Lyme

O mais comum é que o diagnóstico seja feito a partir de um exame de sangue chamado teste de ELISA para a doença de Lyme. No entanto, é possível que na etapa inicial da doença o resultado seja negativo, apesar da infecção estar presente. O mesmo ocorre se são administrados antibióticos nas fases iniciais.

Em muitos casos o médico simplesmente faz o diagnóstico baseando-se nos sintomas. Isso, com a presença do paciente em áreas onde tenha estado exposto a carrapatos, permite diagnosticar a doença de Lyme. Nas fases tardias são pedidos exames como eletrocardiograma, ressonância magnética, ecocardiografia e punção lombar.

Se o tratamento é iniciado nas fases iniciais tem-se um excelente prognóstico. Quando a doença está mais avançada o paciente pode seguir apresentando sintomas, às vezes muito sérios. Em uma minoria de casos alguns sintomas, como a artrite ou as alterações do ritmo cardíaco, se tornam crônicos.

Recomendados para você