Diretrizes para a introdução alimentar dos bebês

As diretrizes para a introdução alimentar são e têm sido objeto de novos estudos e recomendações que surgem dos avanços científicos sobre o tema. O que você precisa saber sobre isso?
Diretrizes para a introdução alimentar dos bebês

Última atualização: 16 Março, 2021

A alimentação infantil é um ato de amor, além de ser muito relevante para a obtenção de nutrientes essenciais para o crescimento da criança. Embora existam questões universais baseadas nas melhores evidências científicas e na segurança dos bebês, cada família conhece o seu bebê e deve aplicar as recomendações de acordo com a sua realidade.. Afinal, como fazer a introdução alimentar dos bebês?

Diretrizes para a introdução alimentar dos bebês

Há muito a dizer sobre esta questão, pois a introdução alimentar tem sido objeto de variações e mudanças, especialmente no que diz respeito ao momento mais adequado para iniciá-la.

A administração precoce de alimentos complementares ao aleitamento materno tem sido revista devido à possibilidade de gerar alergias, aliada à importância do bebê ser maduro o suficiente para começar a comer.

Descubra também: Receita deliciosa de papinha de couve-flor, batata e abóbora

Introdução alimentar
A introdução alimentar não deve ser feita precocemente, porque o bebê pode não estar maduro o suficiente para começar a comer.

O Comitê de Aleitamento Materno da Associação Espanhola de Pediatria salienta que:

“A introdução alimentar é considerada um processo pelo qual alimentos sólidos ou líquidos que não sejam o leite materno ou uma fórmula infantil são oferecidos ao bebê como suplemento, e não como substituto. Nos últimos anos, as diretrizes para iniciar a introdução alimentar mudaram inúmeras vezes, sendo visivelmente diferentes dos conselhos recebidos pela geração anterior.”

Paralelamente, segundo a mesma fonte, os autores recomendam que o aleitamento materno seja mantido exclusivamente durante os primeiros 6 meses de vida do bebê. A partir desse momento, você pode adicionar gradualmente outros alimentos, mantendo o aleitamento materno em livre demanda enquanto mãe e filho quiserem.

Outras recomendações

É importante notar que nem todos os bebês estão preparados para iniciar a alimentação complementar ao mesmo tempo. Também é relevante que tanto os pais quanto os profissionais de saúde estejam atentos ao desenvolvimento das capacidades necessárias.

Por outro lado, a Sociedade Valenciana de Pediatria (SVP) recomenda não atrasar a introdução de alimentos sólidos para além de 8 ou 10 meses, para evitar problemas alimentares no futuro. Isso foi refletido em um documento de recomendações sobre alimentação infantil e pré-escolar apresentado no dia de abertura do Ano Acadêmico 2018-2019 realizado no Colégio de Médicos de Valência.

Alguns comentários adicionais

Há novas informações sobre o início da introdução alimentar em bebês:

“Os alimentos fornecidos à criança devem ser completos em nutrientes, vitaminas, micronutrientes, ricos em energia, ricos em ferro, cálcio, proteínas, calorias e minerais que contribuem para o crescimento do bebê.” Fonte: Sou Mamãe.

Em relação às quantidades, o mesmo material enfatiza que “embora durante o período exclusivo de amamentação a criança mamasse a cada três ou quatro horas, com a introdução de alimentos sólidos esses períodos vão se prolongar”.

No entanto, embora não haja quantidade ou frequência definidas das porções de alimentos que seu bebê deve comer, alguns alimentos não são recomendados. Além disso, sugere-se iniciar a alimentação de maneira natural e progressiva, para que o bebê possa descobrir texturas, temperaturas e sabores.

Bebê comendo papinha
Os alimentos dados ao seu bebê devem ser completos em termos de nutrientes essenciais. É preciso garantir um fornecimento adequado de vitaminas, minerais, proteínas, entre outros.

Conclusão sobre a introdução alimentar dos bebês

  • É essencial não apressar nem antecipar os estágios necessários para o início da introdução alimentar.
  • Tenha o apoio de profissionais qualificados para oferecer orientações a respeito deste tema. No entanto, não negligencie a opinião dos familiares mais próximos, que podem trazer experiência.
  • Desconfie de certas modas relacionadas a este assunto. Como exemplo, existe atualmente o método Baby-led Weaning (BLW), ou introdução alimentar guiada pelo bebê. Uma das maiores preocupações relacionadas a ele é o risco de engasgo.
  • Em relação ao ponto anterior, a Academia Americana de Pediatria determina, em uma publicação de 2016, que “mais pesquisas são necessárias para garantir que pais e cuidadores saibam como fornecer alimentos e entornos alimentares seguros para os bebês”.
Pode interessar a você...
Apneia do sono em bebês: sintomas e tratamento
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Apneia do sono em bebês: sintomas e tratamento

A apneia do sono em bebês é um problema médico ao qual devemos prestar atenção. Não é apenas um ronco, pois esconde um distúrbio respiratório.



  • Asociación Española de Pediatría
  • Sociedad Valenciana de Pediatria
  • Fangupo LJ, Heath AM, Williams SM, et al. A Baby-Led Approach to Eating Solids and Risk of Choking.
    Pediatrics. 2016;138(4):e20160772