O que podemos aprender com as decepções da vida?

· 24 de março de 2018
Uma vez que não podemos evitar as decepções que situações diferentes que estão além do nosso controle nos trazem, é importante saber como ver o lado positivo de cada uma delas.

Tudo que acontece com as pessoas deixa um aprendizado, tanto as experiências positivas quanto as negativas. Em geral, as experiências negativas nos ensinam mais. O que podemos aprender com as decepções da vida?

Há pessoas que saem fortalecidas de grandes decepções. Há um nome para essa condição: resiliência. A origem do termo vem da física: qualifica materiais que retornam ao seu estado normal depois de serem dobrados ao extremo.

Diante da pergunta de por que as pessoas se decepcionam na vida, é preciso lembrar que a existência é um problema e um conflito. Não há um mundo cor-de-rosa, mas seres que, dia após dia, estão envolvidos em suas vidas para superar as situações negativas.

O importante é passar por esses maus momentos evitando uma atitude derrotista e obtendo o saldo mais positivo possível para o crescimento pessoal.

Neste artigo, analisaremos algumas das atitudes positivas que podemos aprender com as decepções da vida.

Experiências que causam decepções 

Mulher enfrentando decepção

Há muitas decepções que podemos enfrentar ao longo da vida: términos amorosos, o fim de uma amizade, a perda de um emprego, traições e mentiras, falta de generosidade ou gratidão dos entes queridos…

As circunstâncias do ambiente social, político, religioso, etc. são diferentes.

Entre as questões que nos afetam mais profundamente, estão:

  • Morte de parentes e amigos
  • Dificuldades financeiras
  • Demissão
  • Emigração forçada
  • Situações de violência

O que podemos aprender com as decepções da vida

Mulher decepcionada

Na vida você não pode controlar tudo

Infelizmente, esse aprendizado vem depois de sofrer grandes decepções. É importante saber que a única coisa que pode ser controlada é a própria atitudedecisões, sentimentos e ações de uma pessoa.

Sem dúvida, é um desperdício de energia e uma ação inútil se concentrar no que não pode ser controlado.

Devemos ter paciência

Embora todos nós desejemos evitar futuros desapontamentos, devemos ter paciência.

Já vimos que não se pode controlar tudo na vida, especialmente aqueles aspectos que são responsabilidade de outras pessoas.

Questão de atitude

O que pode ser controlado é a atitude que temos diante das coisas, para fugir a tempo do que é prejudicial.

É necessário distanciar-se do que não é bom, saber como dizer NÃO em tempo hábil, exigir respeito, clareza e sinceridade em nossos relacionamentos, entre outras atitudes positivas.

Olhe para os problemas com perspectiva

É importante analisar todas as facetas de um problema. Desta forma, podemos vê-lo a partir de uma perspectiva diferente e tomar melhores decisões no futuro.

Aceitar

Devemos aprender a aceitar o que já aconteceu e o que não pode ser alterado. O mais conveniente para uma decepção que já aconteceu é retirar-se com dignidade.

Insistir em mudar uma situação levaria a um conflito pior, causaria exaustão e frustração.

A valorização e o passar do tempo

Mulher pensativa

  • Valorize o positivo. Há pessoas que se resignam com a dor e as sensações negativas, as quais provocam retrocessos e decepções, como se não houvesse nada para resgatar.
  • Ao invés de ter essa atitude não saudável para o bem-estar pessoal, é preciso resgatar o que tem valor positivo para os diferentes estágios da vida. Devemos reconhecê-lo, dar-lhe o seu valor, desenvolvê-lo e reproduzi-lo.
  • Você deve colocar o bom e o ruim numa balança: encontrar o bom e dar-lhe o seu peso adequado irá contrariar o ruim.
  • O tempo cura tudo. É definitivamente assim e é inútil dar tanta importância aos problemas. Mesmo antes de dizer, ou fazer, coisas que geram arrependimento, deixar passar um tempo dará uma melhor perspectiva do que aconteceu. Não devemos perder de vista o fato de que talvez o futuro possa ser melhor.
  • É bom, e necessário, procurar ajuda. Pode acontecer que, por várias razões, você sofra de solidão e o desconforto esteja durando mais do que deveria. Não tenha medo de buscar apoio de pessoas ou profissionais, levando em conta que o que está em jogo é a sua própria saúde psicológica.
  • Pense em si mesmo. Como os contratempos são inevitáveis, você não deve perder de vista o objetivo principal da sua vida. Muitas vezes as decepções não têm nada a ver com o que move a pessoa, com sua missão.
  • A missão deve ser a concretização do próprio bem-estar. Este seria o primeiro passo, muito necessário, para ajudar os outros.

Há muito que pode ser aprendido com as decepções da vida, para recuperar a esperança e traçar um novo horizonte. Paciência, esforço e perseverança são atitudes essenciais.