6 características dos pais ausentes

Acredita-se que por estar presente em casa, você não é um pai ausente. Falso. Se não houver conexão emocional com as crianças, mesmo se você estiver presente, você é um pai ausente.

Pais ausentes são aqueles que não conseguem se conectar afetiva e emocionalmente com seus filhos. As razões para isso são muitas e é psicologicamente complexo determiná-las.

Um pai pode dar o sustento necessário, fornecer roupas necessárias ao filho, proporcionando moradia segura, pagar contas de cuidados médicos ou da escola, dar todos os brinquedos que a criança pede, e ainda assim ser um pai ausente. O vínculo de amor e respeito que deve uni-lo ao seu filho não foi criado ou foi quebrado.

Características dos pais ausentes

O pai ausente é definido como aquele que não pode ou não quer se envolver com o filho. A ausência do papel do pai deixa feridas profundas e um vácuo emocional no filho. Embora geralmente se refira ao pai, é cada vez mais comum encontrar mães ausentes.

Os pais ausentes podem apresentar uma ou mais das características que explicaremos abaixo. Caso você se veja retratado em alguma delas, é hora de refletir. Encontre a ajuda que você considera relevante para restaurar o vínculo com seus filhos, antes que as consequências sejam irreversíveis.

1. Impor seu julgamento

Geralmente é um pai fisicamente presente. Sua desconexão emocional se expressa pela imposição de sua vontade e seu ponto de vista aos seus filhos, sem escutar as razões de sua família.

Não lhe interessa, você não sabe ou não valoriza o que seu filho pensa, embora você possa não ser capaz de reconhecer isso. Exige e obriga a realização de metas elevadas, mas não reconhece o esforço nem sabe como reforçar as ações positivas. Impõe punições desproporcionais em relação à idade das crianças.

Um pai ausente pode gritar muito com seu filho

2. É indolente

Embora seja um provedor econômico seguro, não está ligado aos interesses ou às características de seus filhos. Não se envolve nas regras nem estabelece limites. Não tem disposição para criar espaços para compartilhar com as crianças.

É incapaz de fazer um elogio ou oferecer uma reprimenda a tempo. Geralmente, deixa todo o peso da educação dos filhos para a mãe. Não é muito comunicativo, e é limitado ao fornecimento daquilo que considera necessário.

3. É imaturo emocionalmente

É o tipo de pai que se recusa a crescer e deseja ser um eterno adolescente. As crianças implicam um fardo para o seu estilo de vida. Ele não tem a maturidade para tomar decisões e especificar os limites que as crianças precisam.

Ter filhos é fácil, porque ele não se compromete com a responsabilidade que a criança representa. Ele passa mais tempo consigo mesmo do que com seus filhos. Ele é incapaz de ser um modelo positivo para seus filhos, uma vez que tem como prioridade as suas próprias necessidades e, se não a conseguir, fica com raiva.

Pai ausente assistindo TV

4. Não tem tempo

Ele é o pai que, por motivos de trabalho, não está em casa. Talvez ele não queira ser um pai ausente, talvez ele até venha de uma casa que tenha um pai positivo e amoroso, mas delega o papel do pai porque precisa atender a uma agenda de trabalho exigente para prover o sustento da casa.

Embora a tecnologia ofereça opções para “compartilhar” maior proximidade e interesse no crescimento das crianças, isso não é suficiente. A criança precisa compartilhar o tempo com o pai. O amor que se expressa via redes sociais ou aplicativos como o WhatsApp não é suficiente, precisa existir uma manifestação física, com abraços e presença.

5. É irresponsável

Ele não está envolvido no apoio emocional, afetivo e econômico das crianças. Por mais que a mãe pressione para que o pai assuma o ajuda com os filhos, ele não consegue.

Por trás de um pai irresponsável, pode haver uma criança que foi criada por um pai ausente, mas isso não justifica seu comportamento. É aquele que nega a paternidade de uma criança ou desaparece após uma separação ou divórcio.

6. Há uma mãe absorvente ou vingativa

Devemos perguntar às mães que se queixam de que seus parceiros são pais ausentes se elas permitem sua presença. Sim, na verdade, por trás de alguns pais ausentes, há mães absorventes.

Além daquelas que assumem todas as responsabilidades da parentalidade e educação, há também aquelas que negam aos pais qualquer possibilidade de estarem presentes.

A dissolução do casal leva algumas mulheres a atacar o pai dos filhos. É uma espécie de vingança que nem sempre é consciente, mas não menos negativa para as crianças. Embora o pai queira estar presente e se envolver de algum modo com seus filhos, a mulher nega qualquer possibilidade.

Pais brigando pelo filho

Quais as consequências que o pai ausente gera?

Ser criado por um pai ausente tem sérias consequências para as crianças:

  • Problemas para se relacionar com os outros.
  • Dificuldade em se conectar com as próprias emoções.
  • Incapacidade de seguir regras e respeitar a autoridades.
  • Incapacidade de exercer funções de autoridade.
  • Falta de vontade ou incapacidade de estruturar e materializar seus próprios sonhos ou projetos.

Além da paternidade responsável, amorosa e positiva ser essencial para que as crianças possam crescer saudáveis e autoconfiantes, também fornece a capacidade de curar suas próprias feridas se você tiver sido criado por um pai inconsequente.

Recomendados para você