Primeiros sintomas hormonais do câncer de pâncreas

· 13 de abril de 2019
O câncer de pâncreas é um dos tumores com pior prognóstico. Como a produção hormonal do órgão é alterada, ocorrem manifestações importantes.

Primeiramente, como regra geral, o câncer é uma doença que pode afetar a grande maioria das células do nosso corpo. No câncer de pâncreas, as células que compõem o órgão começam a se dividir descontroladamente. Afeta o sexo masculino igualmente ao feminino e pode aparecer em qualquer período da vida do paciente.

Além disso, o pâncreas é um órgão de formato alongado localizado atrás do estômago. Em geral, cumpre funções importantes dentro da manutenção do nosso corpo.

Desta forma, podemos diferenciar dois tipos de células no pâncreas:

  • Endócrinas. Elas geralmente se agrupam na forma de ilhotas de Langerhans e produzem hormônios que são liberados diretamente no sangue. Eles normalmente produzem insulina e glicagina, compostos capazes de regular a quantidade de glicose na corrente sanguínea.
  • Exócrinas. As células sintetizam enzimas que viajam para o duodeno através de pequenos dutos. Elas se unem formando o ducto pancreático, que une o ducto biliar (do fígado) ao intestino delgado. As enzimas produzidas colaboram na digestão de certos nutrientes, como os lipídios ou as gorduras.

Confira também: 5 remédios naturais para limpar o pâncreas

Quais são os tipos de câncer pancreático?

Localização do câncer de pâncreas

Atualmente, os médicos distinguem dois tipos de câncer pancreático de acordo com o tipo de células afetadas. Desta forma encontramos:

  • Câncer pancreático exócrino. É o subtipo de câncer pancreático que aparece com mais frequência. Na maioria dos casos, ele se desenvolve a partir das células que produzem as enzimas digestivas.
  • Câncer endócrino pancreático ou neuroendócrino (maligno ou canceroso). Ele afeta as células das ilhotas de Langerhans que produzem hormônios e os liberam diretamente no sangue. Podemos diferenciá-lo entre diferentes subtipos dependendo do tipo de célula que eles afetam (veja os sintomas mais frequentes).

Quais são os sintomas mais comuns do câncer de pâncreas?

Câncer de pâncreas na mullher

Por exemplo, é possível que os indivíduos apresentem quadro assintomático, ou seja, não apresentem sinais da doença. Por outro lado, os sintomas podem variar dependendo do tipo de câncer pancreático que o paciente tiver.

Assim, podemos distinguir entre:

Câncer de pâncreas exócrino:

  • Primeiramente, fadiga, cansaço ou fraqueza geral.
  • Além disso, náusea e vômito.
  • Ademais, inapetência ou perda de apetite. Isso geralmente causa uma diminuição no peso do paciente.
  • Também, aumento no tamanho da vesícula biliar e/ou fígado.
  • Por outro lado, desconforto abdominal que pode se espalhar para áreas próximas (como as costas).
  • Finalmente, icterícia ou pele com tonalidade amarelada. Isso ocorre porque o câncer obstrui o ducto biliar comum e a bilirrubina se acumula. A bilirrubina é um pigmento produzido pelo fígado que normalmente atinge o duodeno através desse tubo. Outros sintomas relacionados são a urina mais escura e alterações nas características das fezes (alteração de tom e textura).

Entre os sintomas hormonais podemos destacar:

  • Em primeiro lugar: alterações na textura do tecido adiposo do paciente. Este distúrbio é devido à liberação de enzimas pancreáticas para o caminho errado.
  • Também, diabetes. Nesse caso, as células exócrinas destroem as células que sintetizam a insulina. Portanto, os níveis de glicose na corrente sanguínea aumentam e os sintomas característicos desta doença também ocorrem.
  • Finalmente, alterações leves nos níveis de glicose no sangue.

Não deixe de ler: Câncer de pâncreas pode se tornar o segundo com maior mortalidade

Câncer endócrino pancreático ou neuroendócrino (maligno ou canceroso): dependendo do tipo de célula que desenvolveu o câncer. Desta forma, podemos encontrar:

  • Gastrinoma. A doença ocorre nas células que produzem gastrina e aumenta a sua produção. Geralmente, essa substância faz com que mais ácido seja sintetizado dentro do estômago. Este distúrbio é conhecido como síndrome de Zollinger-Ellison.
  • Insulinomas. Afeta as células que formam a insulina, que aumentam sem controle. Os sintomas produzidos estão associados à hipoglicemia ou baixos níveis de glicose no sangue.
  • Glucagonomas. Neste caso, o câncer é encontrado nas células que produzem a glicagina. Desta forma, os sinais estão associados à hiperglicemia ou níveis elevados de glicose no sangue.
  • Somatostatinomas. Normalmente, a somatostatina ajuda a regular outros hormônios. Quando a patologia ocorre, é possível que os níveis dessas substâncias sejam alterados em um nível geral.
  • PPomas. Sem dúvida, estão associados a uma superprodução de polipeptídeo pancreático (PP) que regula as funções do pâncreas em condições normais.
  • VIPomas. Alteram as células que sintetizam o peptídeo vasoativo intestinal (VIP). O sintoma mais notável é a diarreia, que é mantida a longo do tempo.