Óleo de alho: um remédio muito versátil para cuidar do seu corpo

É dito que o alho é um alimento com múltiplas propriedades benéficas para a saúde, por isso tem sido usado para fazer vários remédios caseiros.

Última atualização: 24 Fevereiro, 2021

O óleo de alho é um alimento que ajuda a dar um toque de sabor diferente aos alimentos. Na verdade, para muitas pessoas é um ingrediente “secreto” que lhes permite obter iguarias, sem muito esforço, e não apenas com receitas típicas da cozinha mediterrânea.

Por outro lado, segundo as crenças, esse alimento teria diversas propriedades medicinais quando consumido como remédio natural. Em seguida, comentaremos com mais detalhes por que isso é dito e outros aspectos interessantes. Claro, também lhe daremos a receita para preparar seu próprio óleo de alho.

Qual é o valor nutricional do alho?

Segundo especialistas da Fundação Espanhola de Nutrição (FEN), o alho é fonte de proteínas, iodo, fósforo, potássio, vitamina B6 e compostos de enxofre. Além disso, esclarecem que “as propriedades do alho se baseiam sobretudo nos componentes de enxofre que contém (alicina, sulfuretos de alilo/dialilo)”. 

Dentro de uma dieta balanceada, o alho é um alimento que pode proporcionar benefícios. Por esse motivo, várias pesquisas têm sido realizadas no sentido de saber se, talvez, aumentar sua ingestão poderia obter maiores benefícios ou se consumi-lo de certa forma é mais benéfico.

Os dados fornecidos pelas diferentes investigações têm sido muito interessantes, pois revelam que o alho é um alimento saudável e benéfico, que além de ser consumido cru, pode ser consumido de outras formas, sem perder suas propriedades.

Cápsulas, comprimidos e outros produtos à base de alho já podem ser encontrados em lojas de ervas, parafarmácias e farmácias de medicina alternativa.

O alho é um alimento medicinal?

Mais de uma vez, foi dito que o alho é um alimento medicinal. Antigamente, ele tinha usos diferentes, uma vez que várias propriedades eram atribuídas a ele. Como é há muito tempo um alimento comum na cozinha, não é de se estranhar que fosse utilizado como ingrediente na preparação de vários remédios.

No entanto, com os avanços da ciência e novas pesquisas, descobriu-se que o alho não era um alimento com efeito tão poderoso e benéfico quanto se pensava anteriormente.

Tenha cuidado, as pesquisas mais recentes não indicam que o alho não tem potencial. Elas simplesmente esclarecem que, em nenhuma condição, é capaz de trazer benefícios.

Sob certas condições laboratoriais, certos compostos do alho mostraram ser úteis para vários fins. Por essa razão, comer alho diariamente, com o estômago vazio ou antes de dormir, não funciona como se costuma pensar.

Os especialistas da Associação 5 por dia observam o seguinte: “revisões sistemáticas e meta-análises de estudos em humanos com alho natural concluem que nenhum efeito sobre a saúde pode ser atribuído a ele.”

Recomendamos ler: Cebola, alho e limão: os três remédios superpoderosos

Remédio de óleo de alho

Devido ao seu teor de azeite (excelente fonte de ômega 3) e alho, considera-se que este remédio natural pode ser benéfico para a saúde. Para prepará-lo, basta seguir a seguinte receita.

Ingredientes

Preparação

  • Descasque todos os dentes de alho, corte-os ao meio e coloque-os num frasco de vidro hermético.
  • Adicione o azeite de oliva extravirgem para cobrir o alho.
  • Feche bem o frasco e guarde 30 dias em local escuro, fresco e seco. Não devemos mantê-lo na geladeira.
  • A cada dois ou três dias podemos mover um pouco o frasco.
  • Passado este tempo, coe para retirar o alho (que também podemos consumir) e conservar o óleo.

Modo de consumo (sugerido)

Acredita-se que, ao consumir uma colher de sopa do remédio por dia, pode-se manter a saúde e prevenir o aparecimento de doenças, principalmente do aparelho circulatório.

Por outro lado, é dito que o consumo de uma colher de sopa com o estômago vazio pode ajudar a combater a constipação.

Fora do campo medicinal, este óleo pode ser utilizado como condimento em qualquer prato (saladas, massas, sopas, molhos, etc.). Nesse caso, se quisermos um sabor um pouco mais suave, basta usar menos alho ou adicionar mais óleo.

Como seria melhor integrá-lo na dieta?

Não há evidências científicas que indiquem que o consumo de alho (ou óleo de alho) seja especialmente benéfico para a saúde quando consumido sozinho, sem combiná-lo com bons hábitos de vida. Portanto, é melhor integrá-lo na dieta com moderação. 

Deve-se ter em mente que, por enquanto, embora existam várias hipóteses sobre os benefícios do consumo de alho, ainda há muito o que analisar nos estudos clínicos e também sobre o óleo de alho como tal.

Em suma, para desfrutar de saúde e bem-estar, é melhor adotar e manter hábitos de vida bons (e consistentes). Portanto, nunca confie no consumo de um único alimento, bebida ou medicamento. Lembre-se de que o corpo humano é muito complexo, e uma fonte única de nutrientes não é capaz de fornecer tudo o que você precisa para funcionar bem e alcançar seu bem-estar.



  • Soto, V., Camargo, A., González, R., & Galmarini, C. (2007). Síntesis y purificación de ajoeno y su cuantificación en aceites comerciales de ajo Synthesis and purification of ajoene and its quantification in commercial garlic oils. Revista de La Facultad de Ciencias Agrarias.
  • Navarro, M. C. (2007). Posibilidades terapéuticas del bulbo de ajo (Allium sativum). Revista de Fitoterapia.
  • Ardila, M., Vargas, A., Pérez, J., & Mejía, L. (2009). ENSAYO PRELIMINAR DE LA ACTIVIDAD ANTIBACTERIANA DE EXTRACTOS DE Allium sativum, Coriandrum sativum Y Eugenia vulgaris FRENTE A Clostridium perfringens. Biosalud.